Imprimir este capítuloImprimir este capítulo

STIS 2017

10. Dezembro: Projetos Pedagógicos

cartaz STIS dezembro 2017

STIS - Seminários Teóricos Interdisciplinares do SEMIOTEC

Adelma Andressa e Ana

Conferência dupla STIS

Dezembro-2017

Dia 6 de dezembro às 19:30 horas, na Sala de Conferências do STIS

 

UMA VISÃO PANORÂMICA DOS PROJETOS DE IMPLEMENTAÇÃO PEDAGÓGICA DO ENSINO FUNDAMENTAL I REALIZADOS NA ESCOLA NAZLE JABUR, PASSOS /MG, NO ANO DE 2017

(Adelma L.O.S. Araújo (UFOP/STIS/UFMG/ Conversa entre Educadores)) 

(Andressa Cristina Santos (E.E. Nazle Jabur/STIS/UFMG/ Conversa entre Educadores) ) 

(Ana Cláudia dos Santos (E.E. Padre Paulo/STIS/UFMG/ Conversa entre Educadores)) 

Resumo: Nesta conferência relatamos o processo de implementação pedagógica de 5 projetos educacionais desenvolvidos no Ensino Fundamental I, na Escola Estadual Nazle Jabur, na cidade de Passos, Minas Gerais, em parceria com o Conversa entre Educadores, a UFOP e o STIS - Seminários Teóricos Interdisciplinares do Semiotec da FALE/POSLIN/UFMG. Nossos objetivos com o desenvolvimento destes projetos foram: (i) nortear os educadores em sua tarefa educativa para a formação de cidadãos conscientes de seu papel na sociedade; (ii) formar educandos para respeitar as diversidades culturais, regionais, étnicas etc; (iii) motivar os alunos a conhecerem sua própria história e construção da sua identidade; (iv) promover a reflexão nos educadores sobre os objetivos propostos em cada projeto, por exemplo, como se trabalhar os conteúdos curriculares, levando-os à discussão sobre o encaminhamento de todas as etapas de cada atividade a ser desenvolvida instigando o professor a ter ciência de seu papel de educador, guia e pesquisador em sua sala de aula e, por fim, (v) apresentar os benefícios da avaliação longitudinal através dos resultados alcançados ao longo do desenvolvimento dos projetos. Nosso trabalho mostrou que a pedagogia de projetos permite a elaboração de estratégias específicas de intervenção em função das dificuldades apresentadas pelos alunos e que foram solucionadas durante a execução das etapas. Possibilitou também o estabelecimento de medidas objetivas de comparação entre os alunos, ou seja, a percepção por parte do educador de quem precisava de mais atenção para o desenvolvimento de cada fase. Observamos que o trabalho em grupo possibilitou a escolha de metodologias e orientações pedagógicas mistas em cada etapa e, ao final, permitiu-nos proporcionar um acompanhamento mais preciso quanto ao desenvolvimento escolar ao longo do ano de todos os alunos.

Palavras-chave: pedagogia de projetos, pesquisa-ação, colaboratividade, prática reflexiva.

 

JOVENS NO PARLAMENTO E PARLAMENTO PARA JOVENS: O USO DA ESCRITA SIGNIFICATIVA E COLABORATIVA NA PROPOSIÇÃO DE PROJETOS DE LEIS

(Adelma L.O.S. Araújo (UFOP/STIS/UFMG/ Conversa entre Educadores)) 

(Andressa Cristina Santos (E.E. Nazle Jabur/STIS/UFMG/ Conversa entre Educadores) ) 

(Ana Cláudia dos Santos (E.E. Padre Paulo/STIS/UFMG/ Conversa entre Educadores))

Resumo: Este artigo discorre sobre a inserção na sala de aula do gênero textual Projeto de Lei. Objetivamos levar ao debate o papel da escrita como instrumento de ação e cidadania; instigar os alunos a refletirem sobre problemas sociais locais que os impactaram, (re)direcionando o protagonismo das ações aos estudantes. A proposta dialoga com os PCNs de Língua Portuguesa por permitir o entendimento das razões sociais da escrita, atribuindo-lhe sentido, assim como as Diretrizes Curriculares Nacionais do Ensino Médio – DCNEM (1998) que direcionam um ensino pautado no protagonismo e no reconhecimento dos direitos humanos. Este trabalho segue o viés da pesquisa-ação de Thiolent (1985, 1997) que dá voz a professores e alunos apontando que a construção do conhecimento acontece por meio do empoderamento, da colaboratividade, da autonomia de todos os envolvidos no processo de ensino-aprendizagem. Para a compreensão do papel de cada um destes atores sociais convidamos três parlamentares jovens, uma jovem embaixadora e um parlamentar municipal para partilharem suas experiências com alunos do Ensino Médio. A partir desta ação, debates e discussões foram intensificados e um estudo sobre o poder regulador das leis, bem como sua significância para a sociedade, ganhou o âmbito escolar. Foram submetidos à seleção do Parlamento Jovem de Minas Gerais, 11 projetos, representando as duas escolas envolvidas no processo ensino-aprendizagem. Ao compreender a linguagem e fazer uso dela, torna-se possível um posicionamento crítico dos alunos diante do problema do outro para que se sintam sensibilizados e predispostos a mudanças e percebam que toda linguagem é política.

Palavras-chave: Escrita Significativa, Projeto de Lei, Língua Portuguesa, Parlamento Jovem.