Imprimir este capítuloImprimir este capítulo

STIS 2016

5. Agosto: Mobile Learning e Tradição Oral

cartaz STIS agosto 2016

STIS - Seminários Teóricos Interdisciplinares do SEMIOTEC

Carlos Alexandre e Ana Claudia

Conferência dupla STIS AGOSTO 2016

Dia 26 de agosto das 15 às 17 horas, na Sala de Conferências do STIS

 

MOBILE LEARNING: um olhar sobre as tecnologias digitais móveis no ensino e aprendizagem de Língua Portuguesa

(Prof. Ms. Carlos Alexandre Rodrigues de Oliveira - UFMG)

Resumo: Este estudo tem por finalidade discutir o papel das tecnologias digitais móveis de informação e comunicação (TDIC) nas práticas de leitura e escrita da cultura digital e a atuação do professor, que precisa se capacitar para desenvolver as suas práticas pedagógicas nos espaços de inclusão digital escolar e social. Com este pensar, discutimos ainda o uso prático das tecnologias, no que diz respeito à Educação, que transforma qualquer lugar em um espaço de informação, comunicação e aprendizagem. Ou seja, a escola como agência de letramento(s) (e de informação) precisa mediar a integração das tecnologias às práticas pedagógicas de seus docentes para interligar o que é ensinado em sala de aula com o que o aluno vive e navega fora desse espaço. Sendo esta uma realidade que tem organizado as relações sociais atuais, não é impróprio admitir que, com a introdução das tecnologias digitais, e principalmente com a inserção das tecnologias móveis em sala de aula, novas condutas por parte dos professores são necessárias para que consigam utilizar essas ferramentas de modo a torná-las aliadas no processo de ensino e aprendizagem da Língua Portuguesa. Para elucidar tal discussão, apresentamos também uma proposta de intervenção - para a Educação Básica - que abrange o uso didático-pedagógico de duas mídias digitais (celular e tablet) tendo como finalidade estimular a leitura e a produção de textos capazes de provocar a interação entre os alunos e estimulá-los a buscar o prazer da leitura e a melhoria na competência de interpretação de textos em tela. Com essas reflexões, espera-se poder contribuir para a construção de uma educação tecnológica e social acessível a todos.

 

Tradição oral: um resgate de nossa história

(Prof Esp. Ana Cláudia Santos (mestranda / FUNEDI))

Resumo: O resgate da diversidade cultural e histórica é um traço marcante do projeto O Povo Conto, vencedor do Prêmio Educador nota 10 (2014). Estabelece um diálogo entre a realidade de alunos, suas histórias – imbuídas da cultura local, de pessoas, de tradições e de valores - e os contos populares. Embasado nos conceitos de Marcuschi (1999), busca ressaltar a importância da variação linguística, destacando o fato de sermos seres sociais e de nossa identidade formar-se na relação com nossos semelhantes. Resgata a tradição oral narrada em contos e causos, além de vislumbrar a capacidade de formação do aluno-autor e não apenas a reconstrução de um texto. Prevê, segundo Garcez (1998), envolver a escrita como um processo interativo, como uma prática necessária em sala de aula.