Imprimir este capítuloImprimir este capítulo

STIS 2016

5. Agosto: Mobile Learning e Tradição Oral

5.1. registro agosto

Registro da Conferência em chat escrito, de 26 de agosto de 2016:

 

 MOBILE LEARNING: um olhar sobre as tecnologias digitais móveis no ensino e aprendizagem de Língua Portuguesa
conferencista: Prof. Ms. Carlos Alexandre Rodrigues de Oliveira

 

 Tradição oral: um resgate de nossa história
conferencista: Prof Esp. Ana Cláudia Santos

 

 

moderador: Equipe STIS

 

 

[13:59] <adelmaa> Bom dia a todos e todas! É sempre uma honra recebê-los, participantes e palestrantes conferencistas , em cada evento STIS.
[13:59] <adelmaa> O STIS, coordenado pela profa Drª Adelma L.O.S Araújo, é um dos braços do Projeto "Polvo" Texto Livre do CNPq. Caracteriza-
[13:59] <adelmaa> se como um programa de conferência que é realizado na penúltima semana de casa dos meses de março a junho e de agosto a novembro.
[14:00] <adelmaa> Ao longo deste seis anos de vida o STIS tem congregado pesquisadores do Brasil e do exterior em torno do tema
[14:00] <adelmaa> educação livre, democrática, igualitária, com o desejo de ser acessível a todos. O STIS, a Revista Texto Livre, o UEADSL e o EVIDOSOL/CILTEC são pés do programa POLVO denominado TEXTO LIVRE do CNPq,
[14:00] <adelmaa> coordenado pela Profª Drª Ana Cristina Fricke Matte. Ao longo desta caminhada o STIS tem se firmado como um canal democrático
[14:00] <adelmaa> de divulgação das pesquisas relevantes que estão sendo desenvolvidas no Brasil e no exterior.
[14:00] <adelmaa> Na verdade, nós do grupo STIS, temos muito que comemorar, pois, neste curto período de tempo, o STIS já promoveu 37 eventos, com a presença de ilustres pesquisadores
[14:00] <adelmaa> tais como Carla Viana Coscarelli (UFMG), Luiz Tatit (USP), Maria Lucia Castanheira (FAE/UFMG), Almeida Filho (UNB), dentre outros nomes do Brasil
[14:01] <adelmaa> e do exterior como o Brian Street (Kings College/Londres), Luis Gonçalves (Universidade da Pensilvânia) e o Júlio Paz (Argentina).
[14:01] <adelmaa> Também divulgamos o STIS em dois eventos internacionais ocorridos: CLAFP / Brasília e no 19º Intercâmbio de Pesquisa em
[14:01] <Douglas_> Boa tarde à todos!
[14:01] <adelmaa> Linguística Aplicada (19º InPLA) e 5º Seminário Internacional de Linguística (5º SIL), este último como convidado do Prof. Marcelo Buzzato.
[14:01] <adelmaa> Também contamos coma colaboração de todos os conferencistas convidados que nos deram a honra de sua presença como agentes divulgadores, além da
[14:01] <adelmaa> força e colaboração na divulgação realizada pelos nossos participantes. Para que todo este projeto seja realizado eficientemente, mês a mês, e chegue até vocês conferências relevantes para sua formação cultural, intelectual e
[14:01] <adelmaa> acadêmica o STIS conta com Comissão Organizadora com um espírito de colaboratividade formada por
[14:01] <adelmaa> Ana Cristina Fricke Matte - Coordenadora Geral do Projeto Texto Livre Adelma Lúcia de Oliveira Silva Araújo - Coordenação Geral do Projeto STIS
[14:02] <adelmaa> Thalita Santos Felício de Almeida - Secretaria Aline Resende Pereira Marinho - Secretaria
[14:02] <adelmaa> Daniervelin Renata Marques Pereira - Administração Elizabeth Guzzo de Almeida - Administração
[14:02] <adelmaa> Woodson Fiorini de Carvalho - administração Hugo Leonardo Canalli - Suporte técnico TI
[14:02] <adelmaa> Danilo Cesar - TI
[14:03] <adelmaa> Hugo Leonardo - Suporte técnico TI
[14:03] <adelmaa> Rivânia Maria Trotta Sant'Ana - Revisora Maria do Carmo Ferreira dos Santos - Relações públicas
[14:03] <adelmaa> Hoje o STIS tem a honra de receber como conferencistas
[14:03] <adelmaa> convidados o professor Mestre Calos Alexandre Rodrigues de Oliveira que possui graduação em Letras - Licenciatura Plena - com habilitação em Língua
[14:04] <adelmaa> Portuguesa, Língua Inglesa e suas respectivas Literaturas pelo Centro de Ensino Superior de Santa Luzia - CESSAL / MG. Especialista em Língua Portuguesa: Ensino de Leitura e
[14:04] <adelmaa> Produção de Textos pelo Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais -
[14:04] <adelmaa> PosLin / FALE / UFMG. Especialista em Mídias na Educação pelo Centro de Educação Aberta e a Distância da Universidade Federal de Ouro Preto - CEAD / UFOP-MG / UAB. Mestre em Educação e
[14:04] <adelmaa> Docência/MP pela Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais - FaE / UFMG.
[14:04] <adelmaa> Pesquisador da área de Linguística Aplicada (Linguagem & Tecnologia), Educação (Educação Tecnológica & Sociedade)
[14:04] <adelmaa> e, Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC) no processo de ensino e aprendizagem da leitura e da escrita da/na cultura digital (FALE / FaE / UFMG / CAPES).
[14:05] <adelmaa> e a professora especialista Ana Claudia Santos, tem graduação em Letras pelo Centro Universitário de Formiga, FUOM, Brasil. É especialista em Gestão, Inspeção e
[14:05] <adelmaa> Supervisão Escolar pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, PUC Minas, Brasil e em Literatura Fundação Educacional da Região dos Lagos, Ferlagos, Brasil.
[14:05] <adelmaa> E agora está cursando o mestrado em EDUCAÇÃO, CULTURA E ORGANIZAÇÕES SOCIAIS. Foi Educadora Nota 10 da Fundação Vitor Civita no ano de 2014 com o trabalho que hoje vocês tem a oportunidade de conhecer.
[14:05] <adelmaa> Gostaria de agradecer ,em nome do STIS, aos dois conferencistas convidados pelo honra de suas presenças em nosso evento. O STIS se engrandece ao trazer ao centro de nossa sala virtual dois educadores que se colocam no cenário educacional brasileiro
[14:05] <adelmaa> como jovens referências a serem seguidas pelo trabalho sério e relevante que desenvolvem. De antemão, nosso muito obrigada!
[14:06] <adelmaa> Dou agora boas vindas à moderadora oficial das conferências STIS, Profª Thalita Santos Felício de Almeida.
[14:06] <adelmaa> A profª Thalita Felício é membro do STIS e mestranda da FALE/POSLIN/UFMG. Ela moderará estas conferências e antes dela passar à palavra aos nossos conferencistas convidados ela explicará, de forma pormenorizada, o funcionamento de um evento online como o do STIS para os que participam pela primeira vez de nosso evento.
[14:06] <thalita> Obrigada, adelmaa
[14:06] <thalita> Boa tarde a todos! Sejam bem-vindos!
[14:06] <thalita> Para quem participa pela primeira vez, teremos 30 minutos de apresentação dos conferencistas (só por escrito, aqui no chat)
[14:06] <thalita> não temos vídeo nem áudio
[14:07] <thalita> durante esse tempo, a sala estará moderada
[14:07] <Fernanda_> Boa tarde a todos
[14:07] <thalita> após as duas apresentações, abriremos a sala para perguntas, sugestões e discussão geral das ideias expostas
[14:07] <thalita> o código para os slides será indicado no início de cada apresentação
[14:07] <thalita> basta inserir o código à direita, depois de escolher o tipo de atendimento: “apresentação de slides”
[14:07] <thalita> vocês podem regular o tamanho do chat e slides ajustando a coluna vertical entre as partes
[14:08] <thalita> códido dos slides: oliveira
[14:08] <thalita> desejamos um ótimo seminário a todos!
[14:08] <acris> boa tarde
[14:08] <thalita> Professor Carlos, pode começar quando quiser. Cole, por favor, frases pequenas, de até 3 linhas, durante sua apresentação, ok?
[14:08] <calexandre_ro> Boa tarde, Thalita!
[14:08] <calexandre_ro> Boa tarde a todos!
[14:08] <acris> :)
[14:09] <calexandre_ro> Gostaria de agradecer a todos os organizadores do STIS, em especial à Profa. Dra. Adelma Araújo (querida) pelo convite e disponibilidade nas orientações para a minha participação nesse evento.
[14:09] <calexandre_ro> E gostaria de agradecer também a todos que estão aqui participando dessa conferência. Em especial, a todos os meus alunos presentes e que também ficaram ansiosos e surpresos com a existência de um evento online de porte como é o STIS.
[14:09] <calexandre_ro> Quero ressaltar, nesse momento, o tamanho de minha felicidade em poder compartilhar meus estudos/pesquisas e experiências docentes com vocês.
[14:10] <calexandre_ro> Espero que tenhamos uma tarde muito proveitosa.
[14:10] <calexandre_ro> OBS.: Teremos apresentações de slides (código: oliveira). E, para auxiliá-los, sempre que eu estiver falando sobre um slide, irei indicá-lo no início do texto.
[14:11] <calexandre_ro> O título da minha apresentação é:
[14:11] <calexandre_ro> MOBILE LEARNING: um olhar sobre as tecnologias digitais móveis no ensino e aprendizagem de Língua Portuguesa
[14:11] <calexandre_ro> As reflexões que vou apresentar foram desenvolvidas no âmbito dos meus estudos acadêmicos e aplicadas em sala de aula da Educação Básica na Rede Pública Estadual de Ensino de Minas Gerais.
[14:11] <calexandre_ro> Não irei apresentar dados para demonstrar análises e diálogos teóricos com estes. A minha proposta é discutir com vocês sobre o uso didático-pedagógico das tecnologias digitais de informação e comunicação (TDIC) para as práticas de leitura e escrita no
[14:11] <calexandre_ro> processo de ensino e aprendizagem da Língua Portuguesa. Daí, abordaremos alguns discursos teóricos para nos apoiar. No entanto, estes são apenas para propor um diálogo mais contextualizado.
[14:12] <calexandre_ro> Além disso, irei apresentar no decorrer dessa conferência algumas propostas de ensino e aprendizagem para a sala de aula. Estas foram aplicadas no decorrer de minhas práticas docentes enquanto professor de Educação Básica. E que me despertaram o interesse em
[14:12] <calexandre_ro> pesquisar as tecnologias digitais para o ensino e aprendizagem da Língua Portuguesa no que se refere às práticas de leitura e escrita.
[14:12] <calexandre_ro> Slide 2
[14:13] <calexandre_ro> É o que vamos discutir nessa conferência.
[14:13] <calexandre_ro> Slide 3
[14:13] <calexandre_ro> Nosso objetivo geral.
[14:14] <calexandre_ro> Slide 4
[14:14] <calexandre_ro> Nossos objetivos específicos.
[14:14] <calexandre_ro> Para reflexão:
[14:15] <calexandre_ro> a escola como agência de letramento(s) (e de informação) precisa mediar à integração das tecnologias às práticas pedagógicas de seus docentes para interligar o que é ensinado em sala de aula com o que o aluno vive e navega fora desse espaço.
[14:15] <calexandre_ro> Slide 5
[14:16] <calexandre_ro> O que é ser professor na cultura digital?
[14:16] <calexandre_ro> Lévy (1999) defende que o professor da cibercultura tem que ser um arquiteto cognitivo e engenheiro do conhecimento; deve ser um profissional que estimule a troca de conhecimentos entre os alunos, que desenvolva estratégias metodológicas que os
[14:16] <calexandre_ro> levem a construir um aprendizado contínuo, de forma autônoma e integrada e os habilitem, ainda, para a utilização crítica das tecnologias. Essa modificação na postura do professor contribuirá para a reformulação do próprio conceito de educar.
[14:17] <calexandre_ro> Além dessas reformulações, Soares (2002) observa a grande necessidade de desenvolver o letramento digital. A esse respeito, refletindo sobre o termo letramento nas práticas sociais de leitura e de escrita, a pesquisadora menciona que este pode ser
[14:17] <calexandre_ro> definido “como estado ou condição de indivíduos ou de grupos sociais de sociedade letradas que desempenham efetivamente as práticas de leitura e de escrita, e participam de forma competente dos eventos de letramento” e, pensando, ainda, na inserção das
[14:17] <calexandre_ro> novas tecnologias na vida humana e nas práticas de leitura e de escrita, a autora defende que o letramento na cibercultura conduz a um estado ou condição diferente daquele conduzido pelas práticas de leitura e de escrita quirográficas e
[14:18] <calexandre_ro> tipográficas, o letramento na cultura do papel.
[14:18] <calexandre_ro> Slide 6
[14:18] <calexandre_ro> Além de “mostrar alternativas e ensinar condutas que favoreçam um uso consciente e crítico dessas (novas) tecnologias”, o professor pode aprender e compartilhar saberes tecnológicos com seus próprios alunos.
[14:19] <calexandre_ro> Slide 7
[14:19] <calexandre_ro> Vamos refletir!
[14:20] <calexandre_ro> Slide 8
[14:20] <calexandre_ro> Slide 9
[14:20] <calexandre_ro> Será que ainda é válida essa discussão em torno do que chamados de “Nativos Digitais” e “Imigrantes Digitais”? Se estamos imersos a uma cultura digital multiletrada e que podemos compartilhar saberes tecnológicos e que aprendemos a lidar com as
[14:20] <calexandre_ro> tecnologias constantemente [...] ainda é necessário separar nativos e imigrantes?
[14:21] <calexandre_ro> É para refletirmos.
[14:21] <calexandre_ro> Slide 10
[14:22] <calexandre_ro> Além disso, propõe-se a praticar um ensino reflexivo e, portanto, crítico. Nada de entupir simplesmente os alunos de conteúdos, sem que dê aos mesmos a oportunidade
[14:22] <calexandre_ro> de refletir, de digerir essa massa de informações multidisciplinares, de aplicá-las em seu cotidiano.
[14:22] <calexandre_ro> Entende-se ainda que, num mundo totalmente interligado, globalizado e multiletrado (além de sustentado por uma inteligência coletiva) uma ação educativa individualista é um terrível contrassenso. Toda a pedagogia da rede digital tem sido grandemente
[14:22] <calexandre_ro> influenciada por teorias de aprendizagem que privilegiam ambientes educacionais interativos, com elevado grau de participação do aluno no processo de construção do próprio saber.
[14:23] <calexandre_ro> Acho que até aqui já conseguimos refletir um pouco sobre o assunto.
[14:23] <calexandre_ro> Não é verdade?
[14:24] <calexandre_ro> Mas pensando no uso das tecnologias móveis em sala de aula...
[14:24] <calexandre_ro> Vejam o Slide 11
[14:25] <calexandre_ro> E o celular em sala de aula? Proibir ou aceitar?
[14:25] <calexandre_ro> Vejamos o que dizem as leis:
[14:25] <calexandre_ro> Slide 12
[14:26] <calexandre_ro> Slide 13
[14:26] <calexandre_ro> Mas o problema é tão serio assim para chegar ao ponto de ser preciso criar leis proibindo o uso dos celulares em sala de aula? Ou somente uma campanha educativa resolveria esse problema?
[14:27] <calexandre_ro> Mas temos algumas exceções que dizem que é PERMITIDO, com autorização da escola, desde que seja utilizado para fins pedagógicos.
[14:27] <calexandre_ro> Slide 14
[14:27] <calexandre_ro> e
[14:27] <calexandre_ro> Slide 15
[14:27] <calexandre_ro> Mas...
[14:28] <calexandre_ro> Minas Gerais PROIBE!
[14:28] <thalita> código para os slides: oliveira
[14:28] <calexandre_ro> ENTÃO...
[14:28] <calexandre_ro> Vejam os Slides 16 e 17.
[14:30] <calexandre_ro> O Slide 16 reflete bem o nosso papel como professor nessa cultura digital...
[14:31] <calexandre_ro> Já o Slide 17 nos indaga sobre usar ou não usar a tenologia móvel em sala de aula.
[14:31] <calexandre_ro> Xavier (2013) afirma que existem inúmeras escolas em que o aluno não pode entrar com o celular. E que precisamos romper essa barreira, a de que o celular é um inimigo.
[14:32] <calexandre_ro> Xavier (2013) também ressalta que o uso dos dispositivos móveis surgiu para dar conta da educação em situações extraordinárias que impediam os estudantes de frenquentarem a escola – como em guerras, catástrofes e conflitos armados. Hoje, no entanto, eles vêm
[14:32] <calexandre_ro> ajudando, muito mais além de uma modalidade de ensino alternativa e complementar ao ensino presencial.
[14:32] <calexandre_ro> Vejam o Slide 18.
[14:33] <calexandre_ro> Mas, ainda estamos indagados... O que fazer com ele?
[14:33] <calexandre_ro> Os Slides 19 e 20
[14:34] <calexandre_ro> vão nos propor uma reflexão a cerca de usar ou não usar essa ferramenta em sala de aula.
[14:34] <thalita> código dos slides: oliveira
[14:35] <calexandre_ro> Nesse sentido, adotar as tecnologias digitais na educação é um caminho sem volta. Mas não é preciso reinventar a roda. Agregar o celular como ferramenta pedagógica já pode
[14:35] <calexandre_ro> ser um excelente começo. Proibir seu uso nas escolas faz com que os alunos se sintam em um presídio (Luciana Allan, 2013).
[14:35] <calexandre_ro> Com toda essa discussão, não podemos deixar de lado que hoje há estudos sobre as práticas de leitura e escrita no contexto das mídias digitais: “os letramentos múltiplos” ou “multiletramentos”.
[14:35] <calexandre_ro> E que também enfatiza a multiplicidade e variedade das práticas letradas da nossa sociedade, além de fazer referência tanto à multiplicidade cultural quanto à semiótica de constituição de textos (ROJO, 2012).
[14:36] <calexandre_ro> Slide 21
[14:37] <calexandre_ro> Diante de tal discussão, vejamos alguns exemplos de atividades realizadas com alunos de Ensino Médio da Rede Pública Estadual de Ensino de Minas Gerais:
[14:37] <calexandre_ro> Slide 22
[14:37] <calexandre_ro> Slide 23
[14:38] <calexandre_ro> E agora apresento algumas propostas para se pensar no contexto da sala de aula:
[14:39] <calexandre_ro> Slide 23
[14:39] <calexandre_ro> O celular sendo uma ferramenta para o ensino...
[14:39] <calexandre_ro> a diversão...
[14:39] <calexandre_ro> e a aprendizagem.
[14:40] <calexandre_ro> No Slide 24
[14:40] <calexandre_ro> Temos algumas alternativas para o uso pedagógico do celular em sala de aula.
[14:41] <calexandre_ro> No que diz respeito ao ensino e aprendizagem da Língua Portuguesa.
[14:41] <calexandre_ro> No slide 26
[14:42] <calexandre_ro> e 27
[14:42] <calexandre_ro> Uma proposta de usar o Haikai para uma escrita interativa com o celular.
[14:43] <calexandre_ro> No Slide 28
[14:43] <calexandre_ro> Há uma proposta de trabalho desenvolvida por mim na Educação Básica.
[14:44] <calexandre_ro> É uma proposta de trabalho elaborada e aplicada com alunos de Ensino Médio disponível online que pode e deve ser adaptada para a escola que estamos querendo hoje (uma escola conectada).
[14:44] <calexandre_ro> No Slide 29
[14:45] <calexandre_ro> Há uma proposta de trabalho apresentada ao curso de “Mídias na Educação” oferecido pelo CEAD / UFOP, em 2015.
[14:45] <calexandre_ro> que segue passo a passo
[14:46] <calexandre_ro> até o Slide 41.
[14:46] <calexandre_ro> Foi um trabalho baseado na Proposta (1), porém visando o uso das tecnologias digitais como ferramentas pedagógicas
[14:47] <calexandre_ro> para desenvolver às práticas de leitura e escrita de alunos da Educação Básica.
[14:48] <calexandre_ro> É uma proposta que vai exigir do professor o diagnóstico de sua turma...
[14:48] <calexandre_ro> e a possibilidade de disponibilização de aulas para a elaboração da atividade.
[14:49] <calexandre_ro> A proposta é aberta e deixa o professor livre para possíveis adaptações.
[14:49] <calexandre_ro> Quero enfatizar aqui...
[14:50] <calexandre_ro> que a primeira proposta (1) usei o SMS para compartilhar as produções dos alunos.
[14:50] <calexandre_ro> Já a segunda,
[14:50] <calexandre_ro> tivemos o privilégio de usar a tecnologia digital.
[14:50] <calexandre_ro> Com este pensar, a escola vem construindo pouco a pouco um espaço de inclusão digital que servirá como base para a formação de seus alunos inseridos no processo de ensino e aprendizagem mediados pelas tecnologias digitais, ou seja, no que se refere às práticas
[14:51] <calexandre_ro> de leitura e escrita e a interação dialógica sob a tela (no que diz respeito às mídias propostas). A partir de então, o uso do celular e do tablet torna-se um importante instrumento de trabalho mediado por alguns dos profissionais da área de educação, principalmente por fazerem parte do espaço escolar e da vida dos professores e alunos.
[14:51] <calexandre_ro> No entanto, falta ainda muita habilidade dos mediadores para o uso crítico e consciente dessas tecnologias digitais em sala de aula e na vida. E que muitas vezes as deixam de usar para retomar o método tradicional de ensino.
[14:51] <calexandre_ro> Mas, observa-se também uma falta de investimento para capacitar tais mediadores (acessível a todos de forma geral) e o desenvolvimento de um projeto pedagógico de qualidade que envolva todos os profissionais da educação no que diz respeito à inclusão
[14:52] <calexandre_ro> digital. Tudo isso, necessita de apoio e planejamento para o coletivo, ou seja, não há como deixar de lado o acesso às tecnologias digitais e pensá-las como apenas uma segunda opção. É necessário que invistam em formação continuada e trabalhos
[14:52] <calexandre_ro> interativos para todo o corpo docente. Assim, pode-se pensar em um trabalho contínuo e de qualidade.
[14:52] <thalita> Professor calexandre_ro, faltam 5 minutos.
[14:52] <calexandre_ro> No Slide 41
[14:53] <calexandre_ro> Ok!
[14:54] <calexandre_ro> A tecnologia pode (sim) ser uma possibilidade para a sala de aula...
[14:54] <calexandre_ro> Finalizando...
[14:54] <calexandre_ro> Portanto, utilizar as tecnologias que a escola já possui é um passo inicial para a inclusão de outras tecnologias. Capacitar e incentivar os professores para o uso de tais tecnologias é outro passo importante. E, finalmente, propor aos alunos o acesso à
[14:54] <calexandre_ro> cidadania, mediados pelas tecnologias de informação e comunicação, é a construção de uma ciberescola num ciberespaço de conhecimento.
[14:55] <calexandre_ro> Nos Slides 42 e 43
[14:55] <calexandre_ro> apresento-lhes algumas referências para consulta.
[14:55] <calexandre_ro> No Slide 44...
[14:56] <calexandre_ro> O medo não deve existir!
[14:56] <calexandre_ro> E no Slide 45...
[14:57] <calexandre_ro> Agradeço a participação de todos vocês e estarei disponível para uma conversa saborosa regada por café.
[14:57] <thalita> Muito obrigada, calexandre_ro!
[14:57] <calexandre_ro> Muito obrigado!
[14:58] <thalita> Convidamos, na sequência, a professora Ana Cláudia para apresentar
[14:58] <calexandre_ro> Eu que agradeço, Thalita.
[14:58] <thalita> e depois abrimos para discussão
[14:58] <thalita> Professora Ana Cláudia, pode começar quando quiser. Cole, por favor, frases pequenas, de até 3 linhas, durante sua apresentação, ok?
[14:58] <thalita> Código para os slides: santos
[14:58] <Ana_> Ok!
[14:58] <Ana_> Boa tarde a todos e todas! É uma honra e prazer ter a oportunidade de construir com vocês conhecimentos, relatando experiências vivenciadas por mim em sala de aula. É uma enorme satisfação também ser conferencista deste evento ao lado de
[14:59] <Ana_> educadores como o prof. Ms Carlos Alexandre de Oliveira e todos que nos acompanham pelo chat. Por fim, gostaria de agradecer formalmente a todos que fazem acontecer o projeto STIS de conferências,
[14:59] <Ana_> especialmente a Profª Draª Adelma Lúcia de Oliveira Silva Araújo. Obrigada pela confiança e pelo convite!
[14:59] <Ana_> Minha conferência discorrerá sobre um projeto denominado O Povo Conto desenvolvido na escola Estadual Padre Paulo da cidade de Santo Antônio do Monte no ano de 2014. Como este trabalho eu fui ganhadora do prêmio Educadora Nota 10 da Fundação Vitor Civita.
[15:00] <Ana_> Primeiramente, gostaria de destacar a importância da oralidade e da escrita em nossa vida cotidiana. Tais práticas constituem formas essenciais para interagir em um mundo pautado pelas mais diversas modalidades de comunicação.
[15:00] <Ana_> Por gentileza, cliquem no Slide 1
[15:00] <Ana_> Código santos
[15:01] <Ana_> Os diversos usos da palavra em público atendem a diferentes propósitos na sociedade da comunicação. O presente projeto trouxe um recorte linguístico manifestado nas histórias da tradição oral, quer sejam em prosa, quer sejam em versos.
[15:01] <Ana_> Siga para o Slide 2
[15:01] <Ana_> Sou de uma cidade interiorana, com traços tipicamente mineiros, com muitos contos e causos, daí a escolha desse gênero para trabalhar. E afinal, quem não gosta de uma boa história?
[15:02] <Ana_> O conto popular, base dos mais variados gêneros narrativos literários; traduz o imaginário coletivo, caracteriza-se pela simplicidade, apresenta traços que repetem em diferentes histórias de diferentes épocas e lugares.
[15:02] <Ana_> Slide 3
[15:02] <Ana_> A região onde a escola está localizada recebe muitos migrantes de outras cidades, que vêm em busca de trabalho e melhores condições de vida. Abriga, portanto, um grupo bastante diversificado, com hábitos e conceitos distintos em relação à leitura.
[15:03] <Ana_> Slide 4
[15:03] <Ana_> Considerando nossa realidade e as ideias comumente difundidas pela tradição oral, relacionamos, assim, em nosso projeto, o conto popular às diferenças regionais, um diálogo entre as histórias locais
[15:04] <Ana_> imbuídas da cultura, de pessoas, de tradições e de valores - à variação linguística.
[15:04] <Ana_> Slide 5
[15:05] <Ana_> Dentre os objetivos, destaco: Retextualizar adequadamente textos orais em textos escritos. Citar diferenças entre conversação face a face e textos essencialmente escritos.
[15:05] <Ana_> Fazer apresentações orais, com postura e linguagem adequadas. Reconhecer, em textos apresentados, os elementos constitutivos da narrativa. Perceber a linguagem e a língua como atividades interativas,
[15:05] <Ana_> sistematizadas nos planos gramatical (ou formal), semântico e pragmático ao longo do tempo por meio do uso dos falantes.
[15:05] <Ana_> Analisar os diferentes usos sociais da língua, evitando os estereótipos e preconceitos linguísticos, observando as diferenças entre os padrões da linguagem escrita e os padrões da linguagem oral.
[15:06] <Ana_> Utilizar mídias digitais como prática mediadora para o incentivo à pesquisa.
[15:06] <Ana_> Passem para o Slide 6, por favor.
[15:07] <Ana_> Lemos e analisamos algumas histórias, dentre elas, O Pássaro Lapão (Pedro Bandeira). Malasaventruas é um livro fantástico para esse trabalho, aguça a curiosidade, é cômico e exemplifica bem o estudo.
[15:07] <Ana_> Retextualizamos a história através da gravação de um curta-metragem com a história de Pedro Bandeira.
[15:07] <Ana_> Adequar o uso da língua ao contexto é um dos maiores desafios enfrentados por nossos alunos nessa faixa etária. Ouvir, falar e escrever parecem concepções distantes e distantes.
[15:08] <Ana_> Foi então que decidi solicitar aos alunos que ouvissem os típicos “causos” de família e recontassem em sala de aula.
[15:08] <Ana_> O senhor que aparece na foto é Sr. Luís, mais de 90 anos, e o garoto – o neto – que recontou a Luz da Chapada. O vídeo do sr. Luís está disponível no link do slide, no site da Nova Escola.
[15:08] <Ana_> Depois de ouvirmos as histórias, analisarmos, passamos para a escrita.
[15:09] <Ana_> Acompanhem no Slide 7, a primeira versão
[15:09] <Ana_> Socializar os textos é uma estratégia bastante significativa nesse tipo de trabalho, é possível reconhecer no texto do outro falhas ou até mesmo elementos interessantes que podem ajudar o aluno na construção do próprio texto.
[15:09] <Ana_> Reconhecer-se autônomo, exige um trabalho de autoria, de apropriação de saberes. O propósito não é melhorar o texto, mas o autor. Daí, a necessidade de reescrita.
[15:10] <Ana_> Acessem o Slide 8
[15:10] <Ana_> Segunda versão do texto, depois de socializado.
[15:10] <Ana_> Importante questionar e orientar a reescrita:Como você começou a escrever este texto? Se este texto não fosse seu, mas de um colega, qual seria sua opinião sobre a qualidade dele?
[15:10] <Ana_> De todos os seus colegas da classe, existe algum que escreva de um modo que agrada a você? Por quê? Que tipos de problema você enfrentou enquanto escrevia este texto?
[15:11] <Ana_> Quando teve dúvidas de ortografia, você consultou o dicionário? Existem partes, em seu texto, que você considera especialmente boas? Se sim, quais são essas partes? O que o leva a pensar que são especialmente boas?
[15:11] <Ana_> O que você acha que poderia tornar sua escrita melhor? Quais são os pontos fortes de sua escrita? E quais são os pontos fracos?
[15:11] <Ana_> É uma reflexão constante
[15:12] <Ana_> Passem para o Slide 9
[15:12] <Ana_> E vejam o slide 10
[15:13] <Ana_> Atender a todos os alunos sei bem que é um desafio, é preciso firmar com eles um pacto de aprendizagem que passa, incialmente, pelo comprometimento e interesse.
[15:13] <Ana_> No primeiro momento, não consegui que todos levassem suas histórias, tampouco escrevessem, quem dirá reescrever.
[15:13] <Ana_> Somente quando começaram a ler histórias diferenciadas e perceber a relação delas com suas vivências se sentiram motivados.
[15:13] <Ana_> Por outro lado, se não participassem, poderiam ficar alheios a atividades que, para eles, eram recreativas, como no laboratório de informática.
[15:14] <Ana_> Vejam o Slide 11
[15:14] <Ana_> Sigam para o slide 12
[15:14] <Ana_> Cliquem no slide 13
[15:15] <Ana_> E comparem como o texto foi modificado
[15:15] <Ana_> Avaliação: Itens avaliados em cada correção
[15:15] <Ana_> Emprego dos recursos linguísticos característicos de textos orais e escritos A função comunicativa do texto e do interlocutor Tratamento temático
[15:15] <Ana_> Mecanismos de coesão
[15:15] <Ana_> Coerência textual
[15:15] <Ana_> Para chegarmos ao produto final – um ebook – tivemos um intenso trabalho
[15:16] <Ana_> Vejam o passo a passo do trabalho nos slides 14, 15 e 16
[15:17] <Ana_> Conversamos sobre a variação linguística presente nos versos lidos. Discutimos sobre a maneira como falamos e o modo como registramos a palavra.
[15:17] <Ana_> Foi a oportunidade para conhecer as experiências dos alunos, uma sondagem para traçar metas e ações com a turma.
[15:17] <Ana_> Foi importante sistematizarmos cada fase de aprendizagem.
[15:18] <Ana_> Produção de texto e reescrita Para criar condições que permitissem aos alunos o desenvolvimento do processo de criação e não apenas do produto final, preferi propor a criação de textos por partes.
[15:18] <Ana_> Primeiramente, exploração da leitura de “A língua do povo”; o caráter ambíguo do título, descrição oral e escrita da imagem que acompanhava o texto.
[15:18] <Ana_> Retextualização individual: transformação das marcas de oralidade para a variante padrão.
[15:18] <Ana_> Em seguida, usando o datashow, reconstruímos o texto de forma coletiva e comparamos as produções e identificamos aspectos que poderiam ser melhorados no texto.
[15:18] <Ana_> Para dinamizar o trabalho, os alunos foram divididos em grupos, discutiram sobre seus textos, bem como a necessidade de reescrevê-los.
[15:19] <Ana_> Como não temos muitos computadores, reescreveram os enredos com as ideias principais de cada história ou, de acordo com os critérios do grupo, escolheram apenas uma história para ser melhorada.
[15:19] <Ana_> Em virtude do espaço e do número de alunos, o uso dos computadores é sempre em grupo e eu pude acompanhar melhor os trabalhos, atender à demanda de cada um deles.
[15:19] <Ana_> Assim, transformamos a classe numa comunidade de ouvintes, criando condições para que pudessem compartilhar seus textos com os colegas e percebessem a si mesmos como autores
[15:20] <Ana_> Divulgação : Momento ímpar de reconhecimento, apresentaram em dois formatos o livro produzido:
[15:21] <Ana_> um aplicativo de tablet – disponível também para download no site do grupo Reinventando (http://www.redereinventando.com.br/livros/o-povo-conta/o-povo-conta.pdf)
[15:21] <Ana_> e no FORMATO FLIPPAGE para aqueles que tenham o programa em seus computadores.
[15:21] <Ana_> Acompanhem o slide 17
[15:22] <Ana_> É um programa bem comum nos computadores, basta clicar em novo
[15:22] <Ana_> Vejam no slide 18
[15:22] <Ana_> Em seguida, buscar o arquivo salvo em PDF
[15:22] <Ana_> Vejam nos slide 19 e 20 como aparece o conteúdo
[15:23] <Ana_> No tablete, basta escolher o tipo de leitor, acompanhem no slide 21
[15:23] <Ana_> Outras sugestões de acesso: http://www.livrosdigitais.org.br/ http://papyruseditor.com/pt/
[15:23] <Ana_> http://www.myebookmaker.com/
[15:24] <Ana_> http://bookbuilder.cast.org/
[15:24] <Ana_> http://papyruseditor.com/pt/
[15:24] <Ana_> Avaliar o processo é muito importante, uma retomada para validarmos aquilo que ensinamos e o que nossos alunos realmente aprenderam. Confiram uma síntese nos slides 22 e 23
[15:25] <Ana_> Ao longo do projeto pude observar uma considerável evolução dos alunos sobre os conceitos apresentados, foram capazes de refletir sobre a temática dos textos em estudo, além de explicitar, por meio de atividades interativas, seus conhecimentos.
[15:25] <Ana_> Cliquem nos slides 24 e 25 para acompanhar as considerações finais
[15:26] <Ana_> O trabalho não foi fácil, mas foi muito gratificante. A cada desafio que eu levava para a sala, era desafiador primeiro para mim. De mera leitora estaria passando à produtora de livros virtuais.
[15:26] <Ana_> Uma das maiores dificuldades para quem está na sala de aula é envolver todos os alunos, são níveis diferenciados de aprendizagem, ritmos distintos no processo de formação educacional. As ferramentas tecnológicas nem sempre são tão acessíveis para todos os envolvidos.
[15:27] <Ana_> Nós mesmos, educadores, muitas vezes não sabemos lidar com tantos desafios, com o avanço tecnológico que chega cada vez mais veloz em nossas vidas.
[15:27] <Ana_> Aprendi muito, acredito que isso é que fez a diferença na minha prática docente: aliar elementos tradicionais, a vivência de nossa gente aos recursos que o mundo moderno nos oferece.
[15:28] <Ana_> O apoio da escola é essencial, somos parte de um todo e sozinhos não conseguimos a excelência de nossos educandos. Quando a equipe tem uma voz uníssona, o canto ecoa mais forte e mais alto.
[15:28] <Ana_> Mais uma vez, pretendemos associar saberes literários aos valores de nossa comunidade atrelados aos recursos tecnológicos. Considerem os exemplos que estão nos slides 27 e 28.
[15:29] <Ana_> Conversão de arquivos de texto instantânea e gratuita para autores autônomos. Acompanhem no slide 26
[15:32] <thalita> código dos slides: santos
[15:37] <thalita> Tivemos problema com a conexão
[15:37] <thalita> Ainda não
[15:37] <thalita> a professora Ana Cláudia perdeu a conexão
[15:38] <thalita> vamos aguardar alguns minutos
[15:39] <thalita> professora Ana Cláudia, todos caímos.
[15:39] <thalita> Fique tranquila
[15:39] <thalita> Pode dar continuidade
[15:39] <Ana_> Ok! Obrigada!
[15:39] <Ana_> O prêmio Educador Nota 10 veio consolidar meu compromisso com a educação. Aprendi que os recortes que fazemos de nosso contexto de ensino e levamos para a sala de aula edificam os saberes.
[15:40] <Ana_> Somos milhares de educadores Brasil afora, ensinamos no anonimato, mas fazemos história na vida de tanta gente.
[15:40] <Ana_> Prêmios como esse são muito importantes para validar nosso trabalho. Em 2014, estive entre os escolhidos, não saberia traduzir em palavras a emoção experienciada.
[15:41] <Ana_> Acredito que é necessária essa valorização, quantas vezes nos sentimos sem ânimo diante de tanto descaso com a educação?
[15:41] <Ana_> Levo comigo o legado de meu pai: saber não ocupa espaço. Gosto de aprender, gosto muito também quando alguém aprende comigo.
[15:41] <Ana_> Na Olimpíada de Língua Portuguesa do corrente ano, uma aluna minha está classificada na categoria artigo de opinião. Vejo, mais uma vez, o fruto de uma semente florescer.
[15:42] <Ana_> O que mais me motiva a desenvolver projetos dessa natureza é o entusiasmo de meus alunos, o envolvimento, o crescimento, a gradativa evolução
[15:42] <Ana_> Caros colegas que nos acompanham, despeço-me reafirmando o quão importante é nosso trabalho para a sociedade.
[15:42] <Ana_> Potencializem o produto de suas aulas: o saber! Propaguem suas ideias, compartilhem conhecimentos.
[15:42] <Ana_> Não tenham medo da audácia ao ensinar, diria como Guimarães: “A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem”.
[15:42] <Ana_> Coragem para enfrentar a diferença, aliar tradição e tecnologia, coragem para mostrar ao mundo que a mudança está em nossas mãos: EDUCAR!
[15:43] <Ana_> Acompanhem as referências no slide 29. Obrigada! Estou à disposição!
[15:45] <thalita> Muito obrigada, professora Ana_
[15:45] <thalita> convidamos então os participantes para discutir os temas abordados pelos conferencistas
[15:45] <ElaineTeixeira> Parabéns aos dois Professores pelas excelentes pesquisas.
[15:45] <Ana_> Eu que agradeço a oportunidade!
[15:45] <GonzaloAbio> Muito obrigado Carlos Alexandre e Ana Cláudia pelas excelentes apresentações. Ana Cláudia, quando você escreveu "acredito que isso é que fez a diferença na minha prática docente: aliar elementos tradicionais, a vivência de nossa gente aos recursos que o mundo moderno nos oferece" lembrei de uma também bonita experiência que conheci hoje de um game criado por uma tribu indígena no Acre com ajuda técnica externa para pr
[15:45] <GonzaloAbio> Vejam essa experiência em http://www.gamehunikuin.com.br/
[15:46] <Ana_> Vou olhar sim!
[15:46] <ElaineTeixeira> Pergunto à Professora, os alunos tiveram dificuldades em levar o texto de papel para o digital?
[15:46] <Ana_> Do papel para digital não foi o mais difícil.
[15:47] <Ana_> Mas, do oral para o escrito
[15:47] <nana_> interessante o game
[15:48] <Ana_> Eles gostam muito de conhecer e usar os recursos tecnológicos, são curiosos
[15:49] <calexandre_ro> Professora Ana Cláudia, parabéns pelo trabalho!
[15:49] <ElaineTeixeira> PAra o Professor, concordo com seu parecer sobre a formação dos professores para lidar com os recursos tecnológicos
[15:49] <Ana_> Obrigada!
[15:49] <rodolfo> Parabéns pelas pesquisas!!
[15:49] <cvcosc> Parabéns, Carlos e Ana. Vocês desenvolvem um trabalho muito interessante.
[15:50] <calexandre_ro> Em algum momento você pensou em usar o celular como ferramenta pedagógica para sua atividade?
[15:50] <GonzaloAbio> As maiores dificuldades no uso da tecnologia na educação geralmente não é na parte técnica, senão, no planejamento prévio, ou como neste caso, na "retextualização" (segundo Marcuschi) ou ressemiotização (Iedema) ou transdução (Kress).
[15:50] <calexandre_ro> Obrigado, Elaine e Carla!
[15:50] <Ana_> Sim, pensei e até usamos algumas vezes.
[15:50] <Adriana_> Parabéns pelo projeto professora Ana, professor Alexandre parabéns pela pesquisa com as novas tecnologias, utilizei
[15:51] <calexandre_ro> É importante esse olhar para o professor, Elaine.
[15:51] <Adriana_> no projeto que participei no PIBID/CAPES, no processo de alfabetização
[15:51] <cvcosc> Como fica a reflexão linguística nas atividades que vocês apresentaram?
[15:51] <nana_> Prof. Carlos como o sr. vê a questão dos escritos digitais? As reduções de palavras, as marcas da internet nas escritas tradicionais?
[15:51] <calexandre_ro> Elaine, ele, muitas vezes, tem interesse em usar as tecnologias como aliadas às suas práticas de ensino, mas não sabem por onde começar.
[15:51] <Adriana_> com crianças de 1º e 2º ano e foi muito proveitoso
[15:52] <Lucas_Cancela> Como defensor das tecnologias no ensino, gostei muito dos projetos aqui apresentados e creio que a inserção das TICs no âmbito escolar torna as aulas mais atraentes e dinâmicas.
[15:52] <Vera__> Parabéns,unir as novas mídias aos velhos gêneros é gratificante!
[15:52] <Douglas_> Nesse sociedade hodierna e coetânea, é indispensável o uso de aparelhos tecnológicos nas salas de aula para o melhor aprender.
[15:52] <Lucas_Cancela> Parabéns para os apresentadores. Foi enriquecedor
[15:53] <Adriana_> meu maior desafio foi conseguir que os alunos vissem a sala de informática não apenas como uma sala de jogos
[15:53] <annatheresa95> Parabéns professores pelos projetos apresentados.
[15:53] <calexandre_ro> A reflexão linguística, Carla, parte de reescrita dos textos. E não ficarmos presos a regras.
[15:53] <Douglas_> Adriana, realmente você deve ter tido um desafio e tanto para isso
[15:53] <GonzaloAbio> É inspirador ver os resultados desses projetos em ação. Parabéns para os dois!
[15:53] <Adriana_> mas foi muito bom
[15:53] <Ana_> A todo instante, o aluno é levado a refletir sobre as variantes linguísticas.
[15:53] <Douglas_> Jogos em ideia de educação
[15:53] <Douglas_> Como forma de também educar
[15:54] <monica_> Parabéns aos palestrantes.... foi muito bom.
[15:54] <Adriana_> perceber ao final do projeto as construções, os textos
[15:54] <Jose__> Parabéns aos palestrantes!
[15:54] <calexandre_ro> O aluno precisa despertar o prazer em ler e escrever. E depois utilizamos essas escritas e as contextualizamos "gramaticalmente". Sem modelos autoritários e tradicionais.
[15:54] <Adriana_> Parabéns pelos temas !!
[15:54] <Elivelton> Parabéns professores!
[15:55] <HugoAdriano_> Parabéns pelo belo trabalho
[15:55] <gah_> parabéns professora pelo trabalho
[15:55] <Douglas_> .
[15:56] <Ana_> Obrigada a todos! E parabéns, professor Carlos, pela pesquisa.
[15:56] <rodolfo> Essa palestra me motivou para trabalhar algo dessa temática no TCC
[15:56] <Douglas_> Isso ai Rodolfo, espero que você faça um ótimo trabalho!
[15:56] <Ana_> É muito bom e interessante trabalhos dessa natureza.
[15:56] <calexandre_ro> Obrigado a todos!
[15:56] <adelmaa> Pessoal, antes que todos saiam da nossa sala gostaria de falar algo importante.
[15:56] <calexandre_ro> Que legal, Rodolfo!
[15:56] <adelmaa> Muito obrigada, profª Ana Cláudia Santos, pela belíssima exposição. Tenho certeza absoluta que você hoje nos ajudou a divulgar os benefícios do uso
[15:56] <GonzaloAbio> O fato de trabalhar juntos na realização de um projeto com um produto final que fica exposto para outros faz mudar muito o processo e o produto final. O desafio e a responsabilidade é muito maior que fazer uma tarefa apenas para entregar para o professor/a.
[15:57] <adelmaa> de tics na sala de aula como instrumento auxiliar do processo de ensino aprendizagem.
[15:57] <adelmaa> Gostaria de comentar com todos vocês que conheci o trabalho da profa Ana Cláudia através de uma reportagem da revista Nova Escola. Procurei por ela
[15:57] <calexandre_ro> Se precisar de ajuda, estou à disposição.
[15:57] <heloisa> Pessoal desejo saber onde os slides ficarão disponibilizados
[15:57] <adelmaa> no face, encontrei escrevi e fiz o convite para ser conferencista do STIS. Ela aceitou e hoje nos compartilhou sua trajetória de educadora nota 10.
[15:57] <adelmaa> Muito Obrigada prof. Carlos Alexandre.
[15:57] <adelmaa> O prof Carlos Alexandre foi meu coorientando no Curso de Especialização de Médias na Educação, do CEAD/UFOP com um tcc que obteve nota máxima da banca avaliadora. Méritos desta natureza merecem ter seu espaço no stis!
[15:57] <adelmaa> Se vocês tiverem trabalhos instigantes como os dos dois conferencistas de hoje, por gentileza, encaminhem seus nomes para adelmaa@gmail.com. A
[15:57] <cvcosc> Parabéns, Adelma e pessoal do Stis!
[15:57] <adelmaa> equipe stis fará uma seleção criteriosa dos trabalhos dos autores e dois selecionados se tornarão nossos conferencistas na agenda stis 2017.
[15:57] <GonzaloAbio> Que bom, Adelma!
[15:57] <rodolfo> Qual dos dois virá para minha banca aqui na UFPB? rsrs
[15:58] <rodolfo> Obrigado!
[15:58] <adelmaa> É isso, podem voltar ao debate.
[15:58] <Douglas_> biiurl
[15:58] <Douglas_> Boa tarde a todos, ótima palestra!
[15:58] <adelmaa> adelmaa.ufmg@gmail.com
[15:59] <adelmaa> corrija,m!
[15:59] <Ana_> Professora Adelma, agradeço imensamente o convite e a confiança!
[15:59] <rodolfo> Boa tarde, gente.
[15:59] <Vera__> os slides serão disponibilizados?
[15:59] <danielr> boa tarde galera
[15:59] <adelmaa> A honra é nossa, profa Ana Cláudia!
[15:59] <calexandre_ro> É só convidar, Rodolfo.
[15:59] <calexandre_ro> rsrsrsrs
[16:00] <Maylson> Otima palestra
[16:00] <rodolfo> Certo. :D
[16:00] <calexandre_ro> Obrigado!
[16:01] <Eduardo_> Ótimas palestras! Obrigado professores!
[16:01] <calexandre_ro> Espero ter contribuído com algumas reflexões sobre o uso pedagógico das TDIC em sala de aula.
[16:02] <adelmaa> A profa Dra Ana Cristina parabeniza aos conferencistas convidado pelas relevantes e a equipe STIS pelo evento tão extraodrinário. Ela precisou se ausentar!
[16:02] <nana_> muito bom
[16:02] <adelmaa> Gostaria de lembrar que os registros destas conferências estarão publicados e disponibilizados para consulta e referência no site do stis
[16:02] <danilorcesar> os slides tem os codigos: oliveira e santos @Vera__
[16:02] <Douglas_> Contribuiu muito Alexandre, só temos a te agradecer!
[16:02] <calexandre_ro> Obrigado pela participação, alunos da FDCON.
[16:02] <adelmaa> Gostaríamos de agradecer aos nossos conferencistas convidados prof. Carlo Alexandre de Oliveira e a profª Ana Cláudia Santos pelas brilhantes participações
[16:02] <adelmaa> Agradecemos a todos os participantes do Brasil e de nossos países irmãos vizinhos do mercosul pela honrosa presença
[16:02] <adelmaa> Para ter acesso a todas as palestras do STIS basta clicar do lado direito da página em registro, em seguida clicar na palestra escolhida e quando esta
[16:03] <adelmaa> janela se abrir clicar abaixo dos resumo em onde esta escrito registro aqui (em azul)
[16:03] <adelmaa> Para receber o certificado deste evento basta encaminhar uma mensagem para o STIS neste endereço: stis@textolivre.org com os seguintes dados: nome
[16:03] <adelmaa> completo e apelido usado durante o evento. Até o próximo evento dia 23 de agosto de 2016.
[16:03] <adelmaa> Sigam-nos no facebook: https://www.facebook.com/stis.face?ref=ts&fref=ts
[16:03] <adelmaa> Indique nosso evento aos seus colegas. Divulgue nossas conferências!
[16:04] <adelmaa> Obrigada a todos pela presença e a profa Dra Carla Viana Coscarelli por ser esta eterna apoiadora.
[16:05] <nana_> qual próximo dia
[16:06] <adelmaa> O próximo evento tem pa particpação de uma pesquisa que está sendo desenvolvida no doutorado pelo porf. Alexandre Mesquista na Univerisdade de Sherbrook / Canadá!
[16:06] <adelmaa> Dia 23 de setembro, sempre às 14:00 horas!
[16:08] <Tchukarramami> Não consegui acompanhar a conferência do Prof. Carlos
[16:09] <calexandre_ro> Vai ficar tudo online, @tchukarramami.
[16:09] <Tchukarramami> Devido o reestabelecimento da conexão
[16:09] <calexandre_ro> Entendo!
[16:10] <Douglas_> biiirrl
[16:10] <HugoAdriano_> Biiirrrl
[16:11] <Soninha> oliveira
[16:11] <adelmaa> Prezado(a)s, as perguntas que não foram respondidas aqui eu me comprometo a encaminhar aos dois conferencistas e assim que obtever as respostas publicaremos na página junto ao log das conferências.
[16:11] <Adriana_> Abraço a todos e até a próxima !!
[16:12] <adelmaa> As suas conferências estarão disponíveis na nossa página na íntegra.
[16:12] <danielr> até a proxima
[16:12] <Murilo> boa palestra
[16:12] <nana_> paz
[16:12] <Murilo> ate a proxima
[16:12] <danielr> Grande Abraço
[16:13] <nana_> até
[16:13] <HugoAdriano_> Boa tarde a todos e ate a proxima se Deus quiser
[16:13] <Tchukarramami> Ok!Obrigado e grande abraço.
[16:13] <Murilo> gostei muito dos temas abordados de nossa sociedade hodierna
[16:14] <adelmaa> Sejam parceiros de nosso evento. Divulguem! Este é um trabalho de uma equipe voluntária que se fortalecerá com a ajuda de todos vocês.
[16:15] <Tchukarramami> Com certeza..
[16:17] <adelmaa> Obrigada a todo(a)s!
[16:18] <adelmaa> O grupo STIS está com o coração pulando de felicidade.
[16:18] <adelmaa> Duas conferências excepcionais com temas instigantes e atuais sendo discuido com a profundidade e didática.
[16:19] <ElaineTeixeira> Parabéns ao STIS! Até o próximo!




 

Todos os trabalhos aqui publicados estão licenciados segundo a Creative Commons

Creative Commons TL Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

Based on a work at Texto Livre.