STIS 2017

3. Abril: Linguagem, Programação e Tecnologia

3.1. registro abril

Registro da Conferência em chat escrito, de 24 de março de 2017:

 

 Aprendendo línguas com tecnologias de fala: Leitores de texto, reconhecimento de fala e assistentes pessoais (robôs falantes)
conferencista: Walcir Cardoso

O ensino de programação para a construção do Pensamento Computacional no Ensino Fundamental
conferencista: Jocemar do Nascimento

 

 

moderador: Equipe STIS

 

 

[19:32] <adelmaa> Boa noite a todos e todas!
[19:32] <adelmaa> É com imensa alegria que venho, em nome do Grupo STIS - SEMINÁRIOS TEÓRICOS INTERDISCIPLINARES DO SEMIOTEC e da profª Drª Ana Cristina
[19:32] <adelmaa> Fricke Matte, dar boas -vindas a todos vocês que nos honram com sua presença: conferencistas e participantes
[19:33] <adelmaa> O Stis é um programa de conferência realizado na penúltima semana de cada mês de março a dezembro, congregando pesquisadores do Brasil e do exterior em torno do tema educação livre e democrática.
[19:33] <adelmaa> O STIS, a Revista Texto Livre, o UEADSL e o EVIDOSOL/CILTEC são pés do programa polvo denominado TEXTO LIVRE do CNPq, coordenado pela Profª Drª Ana Cristina Fricke Matte.
[19:33] <adelmaa> Ao longo desta caminhada o STIS tem se firmado como um canal democrático de divulgação das pesquisas relevantes que estão sendo desenvolvidas no Brasil e no exterior.
[19:33] <adelmaa> Na verdade, nós do grupo STIS, temos muito que comemorar, pois, neste curto período de tempo, o STIS já promoveu 24 eventos, com a presença de ilustres pesquisadores
[19:33] <adelmaa> tais como: Luis Gonçalves (Princenton University); Carla Viana Coscarelli (UFMG), Luiz Tatit (UNICAMP), Almeida Filho (UNB), Brian Street (Kings College/Londres), Julio Paz (Argentina), dentre outros.
[19:33] <adelmaa> Também divulgamos o STIS em dois eventos internacionais ocorridos: CLAFP / Brasília e no 19º Intercâmbio de Pesquisa em Linguística Aplicada (19º InPLA) e 5º Seminário
[19:33] <adelmaa> Internacional de Linguística (5º SIL), este último como convidados do Prof. Marcelo Buzzato. Para que este trabalho se concretize a cada mês contamos com a colaboração voluntária de uma equipe fantástica de seres humanas altruístas
[19:33] <adelmaa> que compartilham da mesma concepção de que as mudanças na nossa sociedade só acontecerão através do acesso a educação para todos.
[19:34] <adelmaa> Assim, mais um ano de trabalho, de conferências extraordinárias, de encontros de saberes e rica de experiência se inicia hoje no STIS. Com ele,
[19:34] <adelmaa> novas ideias, novos projetos, novos expectativas, anseios e vontade de compartilhar o fazer
[19:34] <adelmaa> educação de forma democrática, ou seja, com acesso gratuito a todos os interessados. Este ano o GRUPO STIS tem desejos que almejamos concretizar: ampliar ainda mais nossas parceiras com instituições
[19:34] <adelmaa> educacionais e não educacionais que queiram, como a gente, dar acesso ao conhecimento a quem desejar recebê-lo.
[19:34] <adelmaa> Para que o STIS apresente a vocês as melhores conferências e os melhores conferencistas (claro!), contamos com uma equipe formada por 20 membros voluntários, que trabalham
[19:34] <adelmaa> incansavelmente com amor, consciência e dedicação a uma só causa: fazer a diferença no mundo por meio da educação.
[19:35] <adelmaa> Quero agradecer publicamente à Profª Drª Ana Cristina Fricke Matte, idealizadora de todo Projeto Texto Livre, do qual o projeto STIS é uma de suas crias. Agradeço pela confiança em
[19:35] <adelmaa> mim depositada para coordenar este valioso projeto e ao meus/minhas membros da equipe STIS, que voluntariamente nos ajuda a fazer este evento acontecer.
[19:35] <adelmaa> Farei agora uma breve apresentação de nossos conferencistas convidados. Nossos dois conferencistas convidados são:
[19:35] <adelmaa> O prof Dr. Wlacir Cardoso, é professor associado de Linguística Aplicada / Ensino de Inglês como Segunda Língua no Departamento de Educação da Universidasde de Concordia / Canadá.
[19:35] <adelmaa> ops Walcir. Desculpe-me!
[19:36] <adelmaa> Suas pesuqisa se concentram na aquisição de fonologia na segunda língua, dentro de uma abordagem que combina percepções da fonologia teórica e aplicada, da psicolingüística e da sociolingüística variacionista.
[19:36] <adelmaa> Ele é diretor do programa de Linguística Aplicada do Departamento de Educação e ensina Computação em Aprendizagem de Línguas, Fonologia,
[19:36] <adelmaa> Aquisição de Língua Estrangeira de Fonologia, Gramática Universal e Aquisição de Língua Estrangeira, Estudos de Língua Aplicada e Metodologia.
[19:36] <adelmaa> O professor Dr. Walcir é natural do Brasil. Obteve seu PhD em Linguística Teórica no ano de em 2003 pela McGill University (Canadá). É autor de
[19:36] <adelmaa> várias publicações acadêmicas e regularmente se apresenta em conferências locais, nacionais e internacionais.
[19:36] <adelmaa> Recebeu o Prêmio Dean de Excelência em Ensino da Concordia e o Prêmio Mestre de Mérito da Société pour la promotion de l'enseignement du
[19:36] <adelmaa> français au Québec, por duas vezes em 2007, como reconhecimento peas suas habilidades exemplares de ensino.
[19:37] <adelmaa> Antes de ingressar na Universdiade de Concordia em 2003, o prof Walcir ministrou cursos de lingüística teórica e aplicada no Departamento de
[19:37] <adelmaa> Lingüística da McGill e no Departamento de Línguas Estrangeiras da Universidade Federal do Pará.
[19:37] <adelmaa> Fora do meio acadêmico, escreve sobre equipamentos de áudio para uma revista brasileira especializada Revista Áudio & Vídeo e consulta para
[19:37] <adelmaa> Lexicon Branding Inc. na avaliação de nomes de marcas para adoção nos mercados brasileiro e internacional.
[19:37] <adelmaa> Nosso segundo conferencista convidado é o prof Esp. Jocemar do Nascimento é mestrando em Ensino pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE). Possui graduação em Pedagogia pela
[19:37] <adelmaa> UNICESUMAR. Pós-Graduado em Metodologia do Ensino Superior e EAD e em EAD e Novas Tecnologias pela FAEL. Fui Aluno Especial do Mestrado em Ensino da Universidade Estadual do Oeste do Paraná em
[19:37] <adelmaa> 2014. O prof trabalha na Equipe no Laboratório de Inovação da Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico de Cascavel, onde atuou como Supervisor de Equipe no Setor de Informática da Secretaria
[19:38] <adelmaa> Municipal de Saúde de Cascavel por 1 ano, com a função de coordenação do processo de informatização da Secretaria de Saúde. Foi Coordenador do Núcleo de Tecnologia Educacional Municipal de Cascavel por 6 anos.
[19:38] <adelmaa> Servidor concursado da Prefeitura Municipal de Cascavel desde janeiro de 2008, sendo 6 anos na Coordenação do NTM de Cascavel ministrando cursos na área de informática educacional. Coordenador do Projeto de
[19:38] <adelmaa> Ensino de Programação para Crianças da Rede Pública de Cascavel, projeto Vencedor do Prêmio ARede 2014.
[19:38] <adelmaa> É uma honra recebê-los prof Walcir Cardoso e prof. Jocemar do Nascimento , como conferencistas convidados, em nossa sala virtual. Sejam vem-vindos!
[19:38] <adelmaa> A todos os participantes do Brasil e do exterior, gostaria de agradecer em nome de toda a equipe pela suas honrosas presenças. É um prazer tê-los conosco nesta noite de quarta-feira.
[19:38] <adelmaa> Obrigada por nos ajudar a fazer do STIS uma ação concreta de democratização da educação de todos e para todos.
[19:38] <adelmaa> Passarei a palavra neste momento a moderadora deste evento, a profª Drª Ana Cristina Fricke Matte, que explicará em detalhes o funcionamento de
[19:39] <adelmaa> nossa conferência virtual. Obrigada, sejam bem vindos e um ótimo evento a todos!
[19:39] <acris> Obrigada, adelmaa
[19:39] <acris> Teremos duas apresentações seguidas
[19:39] <acris> os primeiros 30 min são do prof WalcirCardoso
[19:39] <acris> que vai fazer a apresentação dos slides
[19:39] <acris> código cardoso
[19:40] <acris> e depois teremos 30 min para o prof Jocemar
[19:40] <acris> durane este tempo a sala está moderada
[19:40] <acris> o que significa que somente o palestrante pode falar
[19:40] <acris> depois das falas, abriremos para pergntas
[19:41] <acris> prof WalcirCardoso: por favor, pode começar
[19:41] <WalcirCardoso> Muito obrigado, Adelma! É um grande prazer estar aqui compartilhando esse espaço virtual com gente tão ilustra!
[19:41] <WalcirCardoso> Boa noite. Primariamente gostaria de agradecer a presença de vocês em minha palestra e também o convite dos organizadores dos “Seminários Teóricos Interdisciplinares do SEMIOTEC”. Um obrigado muito especial à Prof. Adelma Araújo pelo convite!
[19:41] <WalcirCardoso> Gostaria também de me desculpar pelos erros ortográficos e de vocabulário e os anglicismos nos slides e no texto que os acompanha. Fiz o possível para minimizá-los, mas é provável que alguns, teimosos, tenham permanecido.
[19:41] <WalcirCardoso> Vamos agora ao primeiro slide (quando mudar de slide, indicarei o número do slide sequinte, o número aparece em vermelho à esquerda).
[19:42] <WalcirCardoso> Slide 1: Nesta apresentação, gostaria de falar sobre três ferramentas de fala que eu, alguns colegas e alunos da Concordia University estamos investigando com o intuito de: (1) desenvolver autodidatismo em estudantes de língua estrangeira e, ao mesmo tempo,
[19:42] <WalcirCardoso> (2) estender o alcance da sala de aula (por ex., através dessas tecnologias, professores poderão complementar as discussões de sala de aula com atividades personalizadas, de longa duração, ou repetitivas, ...
[19:42] <WalcirCardoso> ... para serem completadas num contexto de aprendizagem “a qualquer hora, em qualquer lugar” ‘anytime, anywhere’).
[19:42] <WalcirCardoso> Slide 2: Começamos com a listagem de alguns problemas que afligem alunos de línguas estrangeiras (L2s). Primeiramente, temos o problema do INPUT, que é extremamente limitado em quantidade e qualidade, e ele não é sempre apropriado ao aluno.
[19:42] <WalcirCardoso> Por exemplo, alguns estudos indicam que uma das razões que dificultam a aprendizagem do passado simples em inglês é a falta dessas formas (QUANTIDADE) na língua a que os alunos são expostos.
[19:43] <WalcirCardoso> A QUALIDADE desse input também é mencionada como causador de problemas em aquisição, como: (1) o sotaque estrangeiro do professor de línguas, (2) a pouca variabilidade na fala do professor ou nos textos orais que acompanham o material didático, ...
[19:43] <WalcirCardoso> ... e (3) a proliferação de formas não-salientes (não perceptíveis), isto é, formas que são difíceis de ouvir ou que são apagadas ou assimiladas por formas vizinhas.
[19:43] <WalcirCardoso> Um bom exemplo desse último fenômeno é a marcação do passado no inglês, onde mal conseguimos distinguir as formas que marcam passado (I walked to school) e presente (I walk to school).
[19:44] <WalcirCardoso> Um outro problema é a falta de oportunidades para produção oral ou OUTPUT, que normalmente se manifesta em interações pessoais com outros alunos ou com o professor.
[19:44] <WalcirCardoso> Finalmente, constatamos pouquíssimas oportunidades para a prática de FLUÊNCIA oral, visto que professores e alunos raramente praticam o que acham que já aprenderam.
[19:44] <WalcirCardoso> Essa prática pós-aprendizagem é importantíssima para a automatização da linguagem (comportamento operacionalizado como “fluência”), para que o aluno fale automaticamente, sem planejamento (como falantes nativos).
[19:44] <WalcirCardoso> Slide 3: As áreas de aquisição de segunda língua e Aprendizagem de Língua Assistida por Computador (ALAC) nos dão uma série de recomendações para o ensino de L2s. Essas recomendações consistem de:
[19:45] <WalcirCardoso> (1) Fornecer aos alunos modalidades múltiplas e reforçamento (ou enhancement) de input; (2) Engajá-los em atividades que encorajem repetição e constante revisão do que foi aprendido; (3) Fornecer feedback, preferivelmente de forma imediata; ...
[19:45] <WalcirCardoso> (4) Seguir o framework comunicativo para ensino de pronúncia, iniciando com o desenvolvimento de percepção (INPUT) e prosseguindo com produção (OUTPUT) e interações espontâneas para o desenvolvimento da FLUÊNCIA oral; ...
[19:45] <WalcirCardoso> ... e finalmente, (4) Conscientizá-los sobre regras grafo-fonéticas da língua-alvo para empoderá-los com habilidades para que possam prever pronúncias desconhecidas.
[19:46] <WalcirCardoso> Slide 4: Usando um sistema de cores, resumimos neste slide os problemas e as recomendações de pesquisadores em L2 e ALAC sobre o ensino de pronuncia. O verde representa o INPUT (ou escutar). O vermelho o OUTPUT (ou falar).
[19:46] <WalcirCardoso> O laranja a ORTOGRAFIA, que sevem para fornecer feedback e enhancement (ou reforçamento). Finalmente, o azul se referece a combinação de todos esses elementos para o desenvolvimento da FLUÊNCIA.
[19:46] <WalcirCardoso> Metaforicamente, vejo esses elementos como parte de um motor que precisa de seus subcomponentes para funcionar efetivamente e atingir objetivos práticos. Com conscientização e prática, atingimos eficiência ou fluência.
[19:47] <WalcirCardoso> Slide 5: Neste slide, mostro como as três tecnologias adotadas se relacionam aos problemas e recomendações discutidos anteriormente.
[19:47] <WalcirCardoso> Enquanto a Síntese de Voz (SdV) trata da prática de INPUT através de uma combinação de atividades de escuta acompanhadas de uso de ortografia, o Reconhecimento de Fala (RdF) combina atividades de prática de OUTPUT (ou fala), também acompanhadas de ortografia.
[19:47] <WalcirCardoso> Finalmente, Assistentes Pessoais combinam SdV e RdF em interações humano-máquina para o desenvolvimento de FLUÊNCIA. Discutiremos essas três propostas isoladamente no resto da apresentação.
[19:48] <WalcirCardoso> Slides 6: Começaremos com Síntese de Voz que, como dissemos anteriormente, combina atividades de escuta (INPUT) com ortografia.
[19:48] <WalcirCardoso> Slide 7: Aplicativos de SdV oferecem vários recursos que servem para reforçar (enhance) e diversificar o input. Podemos, por exemplo, repetir o texto ou partes dele quantas vezes quisermos.
[19:48] <WalcirCardoso> Slide 7: Aplicativos de SdV oferecem vários recursos que servem para reforçar (enhance) e diversificar o input. Podemos, por exemplo, repetir o texto ou partes dele quantas vezes quisermos.
[19:49] <WalcirCardoso> Podemos também realçar parágrafos, frases e palavras para desenvolver consciência grafo-fonética. Finalmente, podemos diversificar o input com diferentes velocidades e um grande número de vozes masculinas e femininas, assim como vozes infantis e adultas.
[19:49] <WalcirCardoso> Pesquisas na área de ALAC indicam que esses recursos são benéficos ao desenvolvimento fonológico em L2.
[19:49] <WalcirCardoso> Slide 8: Mostro alguns usos pedagógicos de SdV em aprendizagem de línguas. O aluno pode usá-lo, por exemplo, para descobrir a pronúncia de palavras e frases desconhecidas, como também para desenvolver consciência fonologia na L2, como indicam algumas das minhas sugestões.
[19:50] <WalcirCardoso> Slide 9: Num trabalho que fiz com algumas colegas da Concordia, utilizamos uma famosa SdV para a aprendizagem da pronúncia associada ao passado simples -ed no inglês.
[19:50] <WalcirCardoso> Os participantes foram instruídos sobre as variações morfo-fonológicas da pronuncia do -ed, ouvindo palavras-chaves e tentando categorizá-las de acordo com os sons que ouviram.
[19:51] <WalcirCardoso> Slide 10: A segunda parte dessa atividade é mostrada no slide 10, onde os alunos categorizam o que ouviram. Quando comparamos os resultados desse grupo com um outro que teve um professor como input, não notamos nenhuma diferença em performance.
[19:51] <WalcirCardoso> Os dois grupos se comportaram de maneira idêntica estatisticamente. Isso quer dizer que o SdV tem grande potencial para a aprendizagem de pronúncia e certas alternâncias fonológicas.
[19:52] <WalcirCardoso> Diante desses resultados, sugerimos que professores encorajem a prática de atividades que requerem grande investimento de tempo e repetições para contextos fora da sala de aula, ...
[19:52] <WalcirCardoso> ... e que dediquem o precioso (e limitado) tempo de ensino para atividades comunicativas, culturais, ou prática de fluência nas quatro habilidades (fala, escuta, escrita, leitura).
[19:52] <WalcirCardoso> Slide 11: Prosseguimos agora para a discussão de aplicativos votados para o reconhecimento de fala (RdF), que combina atividades de fala (OUTPUT) com ortografia.
[19:53] <WalcirCardoso> Slide 12: Aplicativos de RdF convertem voz em texto. Uma grande vantagem de RdFs é que eles servem não só para a prática de output ou fala, mas também como ferramenta de feedback imediato de pronúncia.
[19:53] <WalcirCardoso> A figura ilustra um aluno pronunciando a palavra “hit” ‘bater’ em inglês, com o aplicativo de RdF mostrando que sua pronúncia está correta, assim servindo como feedback imediato.
[19:53] <WalcirCardoso> Slide 13: Se, por acaso, o mesmo aluno quiser dizer “hit” [hɪt] (‘bater’) mas ele fala [hit] (com a pronúncia mais comum para falantes de português), o aplicativo mostrará ao usuário a pronúncia detectada pelo RdF ([hit] = ”heat” ‘calor’), ...
[19:54] <acris> WalcirCardoso: um pouquinho mais devagar, por favor
[19:54] <WalcirCardoso> OK, queria saber se estava indo rapido demais... Otimo!
[19:55] <WalcirCardoso> ... assim indicando, imediatamente, uma pronúncia que não corresponde à intenção do falante.
[19:55] <WalcirCardoso> Slide 14: Como é o caso com os SdVs, há um enorme número de aplicativos gratuitos de reconhecimento de fala (RdF). Ilustro o dictation.io, criado para ser usado em navegadores, em aparelhos móveis e estáticos.
[19:55] <acris> [código dos slides: cardoso]
[19:56] <WalcirCardoso> Comprovamos que este RdF (dictation.io) e o Dragon Dictation (app) funcionam muito bem para o francês, inglês e português (as línguas-alvos de um projeto em que estou envolvido).
[19:56] <WalcirCardoso> Slide 15: Utilizando um desses RdFs, um grupo de colegas da Concordia e eu examinamos o potencial desses aplicativos para a aprendizagem da vogal /y/ (a vogal que faz biquinho, como em ‘tu’) em francês como língua estrangeira.
[19:57] <WalcirCardoso> Como veem, os participantes tiveram que completar uma série de atividades de fala ludificadas (gamified) através de um SdV.
[19:57] <WalcirCardoso> Slide 16: Os resultados dessa pesquisa indicam que os participantes engajados em aprendizagem via SdV melhoraram na produção da vogal /y/ significativamente mais (teste t) do que os alunos que não tiveram acesso à tecnologia.
[19:58] <WalcirCardoso> Ficamos otimistas com esses resultados e nos perguntamos: e se juntarmos essas duas tecnologias num único ambiente de aprendizagem?
[19:58] <WalcirCardoso> Slide 17: É justamente esse o tema que vamos abordar na última parte da apresentação: ...
[19:58] <WalcirCardoso> O uso pedagógico de assistentes pessoais ou robôs falantes que, como ilustramos, combina SdV (para a escuta), RdF (para a fala) e ortografia, assim completando os 3 componentes de nosso “motor”.
[19:59] <WalcirCardoso> Slide 18: Assistentes pessoais (APs) são dispositivos ou aparelhos que ouvem e falam e, consequentemente, que interagem com um ou mais interlocutores. Eles são geralmente utilizados sem o uso das mãos.
[19:59] <WalcirCardoso> Para tal, eles precisam de uma palavra-despertador que serve para “acordar” o aparelho. No caso do Echo da Amazon, por exemplo, para interagir com o aparelho, o usuário precisa iniciar cada frase com a palavra “Alexa, ...”.
[19:59] <WalcirCardoso> Como mencionado anteriormente, esse tipo de tecnologia utiliza RdF (para conversão voz-texto da voz humana para procura de informação, como numa ferramenta de busca) e síntese de voz (para conversão texto-voz e leitura em voz alta ao ouvinte).
[20:00] <WalcirCardoso> Embora a tecnologia ainda esteja em sua infância em termos de desenvolvimento, há dezenas de APs disponíveis no mercado.
[20:00] <WalcirCardoso> Elas incluem aparelhos simples e de custo baixo como o Amazon Echo e o Google Home, e também produtos mais avançados e mais dispendiosos como o Jibo (ainda em desenvolvimento) e o Pepper.
[20:01] <WalcirCardoso> Slide 19: Utilizamos o Echo em nossa pesquisa porque ele possui uma das vozes (PA) mais sofisticadas no mercado (Alexa), tem um custo baixo (entre 50-150 dólares americanos), é fácil de usar, é customizável, e muito popular (mas não como ferramenta pedagógica).
[20:01] <acris> WalcirCardoso: voce poderia esperar um minuto? tem uma turma de pessoas tentando entrar
[20:01] <WalcirCardoso> OK
[20:01] <WalcirCardoso> Me avisa quando devo prosseguir.
[20:02] <WalcirCardoso> E a sua voz, Alexa, é Open Source.
[20:02] <acris> conheço :)
[20:03] <acris> WalcirCardoso: acho que já pode continuar. desculpa
[20:03] <WalcirCardoso> Foi de proposito :-)
[20:03] <WalcirCardoso> Sim.
[20:03] <acris> ;-)
[20:03] <WalcirCardoso> Mas há alternativas gratuitas como o Cortana no Windows e Siri em Macs, sem os traços humanoides que caracterizam os APs. Para uma demonstração de como o Echo funciona, visite o site indicado no slide.
[20:03] <WalcirCardoso> No link fornecido, o usuário nos mostra algumas funções do Echo em inglês: dar informações (sobre o tempo, horários, etc.), jogar “Rock-Paper-Scissors”, pedir entrega de pizza, ler um livro, ouvir música, etc.
[20:04] <WalcirCardoso> Como esse AP é altamente customizável, há mais de dez mil habilidades (skills) criadas para Alexa (em abril de 2017), a voz do assistente pessoal do Echo. Visitem os links disponíveis para mais informações.
[20:04] <WalcirCardoso> Slide 20: Em relação aos usos pedagógicos de APs, sugerimos os mesmos indicados a SdVs e RdF, como descobrir pronúncias de palavras (SdV); testar hipóteses sobre pronúncias desconhecidas (RdF), etc.
[20:05] <WalcirCardoso> Um dos benefícios mais importantes é que ele tem o potencial de reduzir ansiedade em alunos de língua estrangeira, visto que ele permite que o usuário interaja com o AP sem medo de “perder a moral” e ser negativamente julgado pelos erros de pronúncia cometidos.
[20:05] <WalcirCardoso> APs também motivam a prática constante, o que pode auxiliar no desenvolvimento da fluência oral e comunicativa em estudantes de L2.
[20:05] <WalcirCardoso> Slide 21: Como a tecnologia ainda é muito recente, não existem muitos trabalhos sobre o assunto.
[20:06] <WalcirCardoso> Mas em uma pesquisa ainda em andamento, uma das minhas estudantes de dourado e eu investigamos o uso de APs, enfatizando o potencial da tecnologia e a percepção dos usuários.
[20:06] <WalcirCardoso> Descobrimos, entre outras coisas, que a utilização de APs gera um aumento em motivação para a prática de fala e escuta, e confirma uma das nossas hipóteses de que a ferramenta é capaz de fornecer feedback de fácil compreensão.
[20:06] <WalcirCardoso> Um dos nossos participantes relatou que o uso do Echo o fez repetir a mesma frase de forma diferente porque o aparelho não o entendeu, indicando assim o efeito do feedback recebido:
[20:07] <WalcirCardoso> ...“eu produzo uma boa frase, [Alexa] não entende o que eu disse, então eu repito a frase, de forma diferente” [traduzido do inglês].
[20:07] <WalcirCardoso> Finalmente, acreditamos que APs tem o potencial de estender a abrangência da sala de aula (por exemplo, para complementar uma aula sobre pronúncia) ou para promover o autodidatismo (aprendizagem “a qualquer hora, em qualquer lugar”).
[20:07] <WalcirCardoso> Slide 22: Chegamos finalmente às conclusões desta palestra, que teve como objetivo introduzir e discutir três tecnologias de fala para aprimorar a experiência de aprendizagem de línguas estrangeiras.
[20:08] <WalcirCardoso> Dentro de uma abordagem centrada no aluno, um outro objetivo foi mostrar como essas três tecnologias podem auxiliar na resolução dos problemas listados no início desta apresentação e, assim, fornecer ao aluno de L2:
[20:08] <WalcirCardoso> ... (1) um input aprimorado em termos de quantidade e qualidade, e (2) maiores oportunidades para prática de fala e escuta, e (3) desenvolvimento de fluência oral, num contexto de aprendizabem de língua estrangeira.
[20:09] <WalcirCardoso> Slide 23: Gostaria de concluir listando algumas razões porque achamos que o uso pedagógico de síntese de voz, reconhecimento de fala e assistentes pessoais são benéficos à aprendizagem de línguas.
[20:09] <WalcirCardoso> Baseado em pesquisas recentes, essas tecnologias: (1) fornecem modalidades múltiplas para uma aquisição de pronúncia mais efetiva e eficiente; (2) contribuem para uma aprendizagem personalizada; ...
[20:10] <WalcirCardoso> ... (3) promovem o foco na forma, principalmente em itens específicos de pronúncia que são relevantes ao aluno; (4) encorajam repetição e a revisão de formas aprendidas; (5) fornecem feedback imediato e compreensível... [Prossegue no próximo slide]
[20:10] <WalcirCardoso> Slide 24: ... Prosseguindo, essas tecnologias também (6) guiam os alunos no desenvolvimento de estratégias para uso próprio (ou strategy development); (7) permitem a prática em percepção (INPUT), produção (OUTPUT) e fluência; e, finalmente, ...
[20:11] <WalcirCardoso> ...(8) têm grande potencial para empoderar alunos com habilidades de prever pronúncias por causa da grande relação que as ferramentas propostas têm com a ortografia.
[20:11] <WalcirCardoso> Slide 25: Finalmente, listo algumas das ferramentas utilizadas na palestra e nos estudos discutidos. Os aplicativos de SdV e RdF são todos gratuitos e disponíveis online e em lojas de aplicativos.
[20:12] <WalcirCardoso> Os APs (quase) humanoides são pagos, mas as tecnologias de fala utilizadas são geralmente gratuitas, como é o caso da Alexa (usado no Echo), Cortana (Windows), e Siri (Macs).
[20:13] <WalcirCardoso> Slide 26: Muito obrigado pela atenção. Estarei depois da fala do Jocemar disponível para perguntas , discussões e comentários.
[20:13] <acris> Muito obrigada, prof. WalcirCardoso! Logo após a fala do prof. Jocemar abriremos para perguntas, aguardem!
[20:13] <acris> Gostaria de chamar agora o prof. Jocemar para sua apresentação.
[20:13] <Jocemar> Obrigado Professor Walcirl...
[20:13] <acris> Prof Jocemar: você tem 30 minutos, ok? Pode começar.
[20:13] <Jocemar> Boa noite, quero primeiramente agradecer a professora Adelma pelo convite, e a Professora Ana Cristina por estar aqui mediando esta conferência, foi um convite meio surpresa, mas me senti profundamente feliz por estar na lista de pessoas convidadas a este evento.
[20:14] <acris> [o prof. Jocemar não vai utilizar slides]
[20:14] <Jocemar> Quero iniciar apresentando minha cidade, para os que ainda não conhecem, o Município de Cascavel localiza-se na Região Oeste do Estado do Paraná, emancipado a em 14 de novembro de 1951, segundo último levantamento do IBGE divulgado em agosto de 2016, possui uma população acima de 316 mil habitantes.
[20:14] <Jocemar> A Rede Municipal de Educação responsável pelo atendimento da Educação Infantil e do Ensino Fundamental - Séries Iniciais, atende aproximadamente 28 mil alunos em 62 escolas e 52 Centros Municipais de Educação Infantil.
[20:15] <Jocemar> Em todas as escolas de ensino fundamental são disponibilizados laboratórios com computadores para a realização de atividades com os alunos, alguns laboratórios atendem apenas em contraturno escolar, mas em sua maioria, 57 escolas, o atendimento é feito em período concomitante ao de aula e atende 100% dos alunos destas.
[20:16] <Jocemar> O atendimento nos laboratórios das escolas é realizado pelo Instrutor de Informática, profissional de nível médio, com formação em serviço em Técnico em Multimeios Didáticos oferecida pela Secretaria de Educação em parceria com o Instituto Federal do Paraná,.
[20:16] <Jocemar> O primeiro instrutor de informática contratado para essa função na Rede Municipal de Ensino, foi contratado no ano de 1997, início do Programa Nacional de Informática na Escola (PROINFO) e desde então sua utilização na rede só tem ampliado.
[20:17] <Jocemar> Inicialmente o proinfo enviava máquinas para a realização de atividades em contraturno escolar, em laboratórios com 3 a 5 computadores, a partir de 2008, em política de expansão de uso de tecnologia na escola, o município iniciou a implantação de laboratórios para atendimento de turmas inteiras, com laboratórios contendo entre 20 e 30 computadores, conforme o tamanho da escola.
[20:18] <Jocemar> A partir de 01/07/2010 deu-se inicio a formação mais aprofundada no uso de tecnologia na educação, através do Núcleo de Tecnologia Educacional de Cascavel, (NTM) que passou a oferecer os diversos cursos da plataforma e-proinfo bem como formações específicas para as necessidades do município.
[20:19] <Jocemar> Dentre as formações oferecidas aos instrutores de informática destacam-se as formações no uso de softwares livres para a educação, e em formações também mais técnicas, para que gradativamente os instrutores pudessem adquirir mais autonomia no uso do laboratório, principalmente pelo fato destes usarem os sistema operacional Linux Educacional., desconhecido até então para a grande maioria dos instrutores.
[20:20] <Jocemar> A partir de 2012, em uma nova etapa do professor de inserção das tecnologias na educação o NTM passou a oferecer também formação em linguagens de programação para crianças, como Logo e Scratch.
[20:20] <Jocemar> Ja no ano de 2013, mais de 20 instrutores da Rede Municipal de Ensino iniciaram o uso das ferramentas com os alunos de 4º e 5º anos do Ensino fundamental, atingindo naquele ano mais de 4 mil alunos da Rede no uso do Scratch.
[20:21] <Jocemar> Percebemos ao longo daquele ano que os alunos se interessavam mais por atividades que os desafiavam, além da possibilidade deles criarem seus próprios jogos, dando a eles uma nova perspectiva de uso do computador, não mais como meros espectadores e consumidores de conteúdo, mas criadores.
[20:22] <Jocemar> Surge então a ideia de implementar o projeto de robótica educativa, complementando assim o aprendizado dos alunos, para tanto, selecionamos uma escola que dispunha de uma sala e iniciamos os preparativos, selecionando um dos nossos instrutores de informática para a execução do projeto.
[20:23] <Jocemar> Em parceria com a Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico de Cascavel (FUNDETEC), que adquiriu 6 kits Atto Educacional para implantação do Projeto Piloto, até que a escola pudesse adquirir seus próprios Kits.
[20:23] <Jocemar> No início do ano letivo de 2014 iniciamos as atividades com o Projeto de Ensino de Programação e Robótica, funcionando como um dos projetos do Mais Educação na escola, atendendo naquele ano, aproximadamente 150 alunos da escola, de todas as séries.
[20:24] <Jocemar> O Projeto se divide em 5 etapas, sendo que algumas delas se aplicam somente aos 3º e 4º ano e as demais para os alunos do 5º ano, divididas conforme a complexidade.
[20:25] <Jocemar> Optamos por pensar o projeto, inicialmente, para alunos ja alfabetizados...
[20:25] <Jocemar> A 1ª Etapa, “Lógica de Programação”, pensamos em iniciar por aquilo que ja dominamos, o ensino de programação para crianças com o uso do Scratch e outras plataformas, como Code.org, Programae, CodeAcademy, CodeCombat. Essa etapa se aplica aos alunos iniciantes do projeto.
[20:26] <Jocemar> Pode ser aplicada aos 3º e 4º anos ou aos alunos que possam ter vindo de outras escolas que não tiveram contato com o projeto. Focada essencialmente no trabalho com ferramentas para exercício do raciocínio lógico.
[20:27] <Jocemar> A 2ª Etapa “Introdução ao Eletrônica com Massa de Modelar e Papel”, que se preocupa e trabalhar conceitos básicos de elétrica e eletrônica com as crianças, de forma a facilitar a introdução segura da robótica posteriormente. São realizadas oficinas de montagem de circuitos com o uso de massa de modelar e papel, também pode ser aplicada aos mesmos alunos da etapa 1.
[20:27] <Jocemar> A 3ª Etapa do Projeto, Construção de Estruturas com o KIT Atto Educacional. Para introduzir os alunos no mundo da robótica, primeiramente apresentamos o material que será usado nas oficinas, e ensinamos os alunos a como construir as estruturas necessárias para posterior automação.
[20:28] <Jocemar> A adoção do KIT Robótica da empresa Atto Educacional, se deu por alguns fatores: Hardware e Software Livre, o que permite que possamos personalizar e aprimorar o material conforme nossas necessidades, tornando também, o material com o melhor custo/benefício do mercado.
[20:28] <Jocemar> O modelo que adotamos no laboratório de robótica, nos permitiu manter o custo abaixo de 50% do valor de um laboratório tradicional, e a própria escola conseguiu adquirir os materiais com recursos do Mais Educação.
[20:29] <Jocemar> Uma outra característica essencial do material é o fato dele não depender de ferramentas cortantes ou que possam ferir os alunos, como um ferro de solda por exemplo, mas todas as ferramentas, parafusos e conexões, são simples e de fácil montagem.
[20:29] <Jocemar> A 4ª Etapa “Programando com o KIT Atto Educacional”, aplicada aos alunos de 4º e 5º ano do Ensino Fundamental, envolve a introdução da Programação dos componentes robóticos do Kit Atto Educacional, como a placa de controle é baseada em Arduíno e utiliza a própria interface de programação dele é possível utilizar a Ferramenta “Ardubloc” para se realizar o ensino da programação por blocos para controlar os dispo
[20:30] <Jocemar> Como o Ardubloc utiliza como base a Linguagem Scratch, que ja foi vista na 1ª etapa do projeto, essa etapa é de fácil assimilação pelos alunos, pois não necessitam se aprofundar em uma linguagem de programação mais complexa, como a Linguagem C, os blocos geram automaticamente os códigos nesta linguagem, que depois será enviada a placa.
[20:31] <Jocemar> A 5ª Etapa “Robótica com Hardware Livre” é o momento em que os alunos do 5º ano do ensino fundamental terão acesso aos recursos mais complexos do projeto, montando seus próprios circuitos e recursos, usando Metareciclagem ou a utilização da Placa Arduíno e seus diversos tipos de sensores e conexões.
[20:32] <Jocemar> Juntamente com os KITS de Robótica, preconizamos no projeto também a aquisição de uma impressora 3d para a escola, e nesta etapa, utilizamos também a impressora 3d com os alunos para que estes possam criar suas próprias estruturas para os projetos desenvolvidos, bem como a construção de robôs a partir de materiais simples como bolas de isopor, motores de carrinhos, drives de CDs, entre outros.
[20:33] <Jocemar> Estimulamos a criatividade dos alunos de forma que os mesmos utilizem todo o conhecimento adquirido ao longo do projeto para criarem seus próprios “brinquedos”, que ao final do curso, que se encerra ao 5º ano do Ensino Fundamental, público da Rede Municipal, ele possa levar em sua bagagem para toda a vida.
[20:33] <Jocemar> Este ano, iniciei meu Mestrado em Ensino pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) e meu projeto de pesquisa é avaliar os impactos que este projeto tem tido na rede municipal, temos visto, empiricamente, resultados muito positivos no aprendizado dos alunos.
[20:34] <Jocemar> Mas são poucas as pesquisas que avaliaram os impactos deste tipo de projeto dentro do ambiente escolar, ainda mais se tratando das Séries Iniciais do ensino fundamental, grande parte dos estudos se focam no uso dessas ferramentas com alunos do ensino médio, mais especificamente nos cursos técnicos.
[20:34] <Jocemar> Mas temos visto em nossa rede, alunos cada vez mais crianças dominando os recursos computacionais, e cada vez mais cedo se desinteressando pelos métodos tradicionais de ensino. Há sempre aquele receio por parte do professor pedagogo em adotar esse tipo de recurso em sala de aula.
[20:35] <Jocemar> Justamente por esse medo de que o aluno domine a ferramenta melhor que ele, mas isso precisa ser superado, dando formação a esse professor que atua nos ambientes de tecnologia das escolas para que eles se sintam à vontade para tal.
[20:36] <Jocemar> Precisamos repensar as formações dos futuros professores, desde sua formação inicial, para que eles saiam da faculdade com alguma bagagem relacionada ao uso de tecnologia aplicada a educação, e não somente conhecimento de editores de texto e planilhas.
[20:38] <Jocemar> Incluir nas disciplinas das “metodologias do ensino” recursos que o professor possa levar para sua prática em sala de aula.
[20:39] <Jocemar> Desprezar a tecnologia na formação inicial do professor é o que causa o despreparo dele frente ao dia a dia da escola, cada vez com mais recursos presentes, inclusive os levados pelos próprios alunos, como celulares, tablets e netbooks.
[20:39] <Jocemar> Espero ter sido bem claro nessa breve apresentação do projeto, é ainda uma pesquisa em andamento, como muito a ser avaliado e estudado, mas temos visto resultados palpáveis no aprendizado dos alunos. Agradeço a oportunidade e fico a disposição para perguntas.
[20:40] <acris> muito obrigada, prof Jocemar
[20:40] <acris> vou abrir agora para perguntas
[20:40] <acris> Temos 20 minutos para perguntas, alguém quer começar?
[20:41] <acris> senão eu começo, ein... rs
[20:41] <WalcirCardoso> OK
[20:41] <WalcirCardoso> Um relato impressionante, Jocemar, a tua experiencia em Cacavel. Falaste sobre os investimentos em laboratórios... Por aqui, muita gente fala da “morte” do laboratório, visto que alunos carregam eles consigo. O que achas dessa idea?
[20:41] <WalcirCardoso> Por aqui = na America do Norte (Canada)
[20:42] <Jocemar> Concordo plenamente...Laboratórios tradicionais, estão fadados a morte...
[20:42] <Jocemar> temos de pensar em espaços criativos...
[20:42] <Jocemar> mais mão na massa...
[20:42] <acris> se fala isso por aqui na universidade tb, sem nunca ter chegado a ter laboratórios de verdade, como deveriam ser...
[20:43] <acris> aquelas salas de aula do futuro, propostas pela usp, voces já viram?
[20:43] <WalcirCardoso> O grande problema com o lab eh que ele fica obsoleto muito rapidamente, e requer investimentos constantes. Entre oiutras coisas.
[20:43] <acris> aquilo sim é laboratório
[20:43] <WalcirCardoso> Nao conheco as salas futuristicas da USP. Vou procurar saber depois dessa discussao.
[20:44] <Jocemar> verdade......visitei agora em março uma escola em Austin/Texas..... a tecnologia esta presente em todos os espaços...mas não tem laboratórios de informática...mas sim laboratórios de criatividade...
[20:44] <Jocemar> muito inspiradores..
[20:44] <acris> http://futuro.usp.br/
[20:44] <WalcirCardoso> Mas sabendo que aprendizagem acontece na vida, mora da sala de aula... Ou grande parte da aprendizagem. Extramural, como dizem.
[20:44] <Andressa> Professor Walcir, a ferramenta por você apresentada é, pelos relatos, realmente capaz de fornecer feedback de fácil compreensão. Descomplica.... Que bom poder participar!
[20:44] <WalcirCardoso> Obrigado, @acris
[20:45] <WalcirCardoso> Sim, Andressa. Eh a grande vantagem desses aplicativos. Varios participantes relataram que receberam feedback SEM saber que estavam sendo corrigidos.
[20:45] <megthomopoulos> Professor Walcir, por acaso você conhece a prof Ana Cuder?
[20:46] <WalcirCardoso> Eh claro que o "tipo" de feedback eh limitado.
[20:46] <WalcirCardoso> Nao a conheco. Mas engracao, algume me falou nela a pouco tempo, num contexto de uma apresentacao... Sinal que preciso averiguar.
[20:47] <megthomopoulos> Pela sua apresentação dos recursos tecnológicos envolvendo reconhecimento de fala etc
[20:47] <Andressa> Jocemar, trabalho também em escola pública estadual. O laboratório de informática ainda é um entrave para muitos professores.
[20:47] <acris> Prof WalcirCardoso, fantástico seu trabalho. Eu já fiquei pensando em criar repositórios de palavras mais frequentes para sugestão de input e também usar esses repositórios para sugestões de output, bem como usar uma inteligência artificial para que a conversa pudesse versar também sobre a própria conversa, sobre a língua... Minha pergunta: Sua proposta é usar aplicativos que existem no mercado, certo? Existe alguma ideia de criar um específico
[20:47] <acris> para o ensino? Se sim ou se não, qual a justificativa (e como fazer)?
[20:47] <adelmaa> Prof Walcir você comentou na sua apresentação do feedback do aluno em relação ao uso das tecnologias. Se existiram, quais foram os problemas relatados?
[20:47] <megthomopoulos> eu me lembrei dela, porque estou inscrita em um curso de aprimoramento do inglês com ela
[20:48] <WalcirCardoso> Sim, acris. A proposta e utilizar o que ja existe para "maximizar esforcos" (existe isso?)
[20:48] <WalcirCardoso> Estamos criando aplicativos em forma de jogos que incluem tecnologias de fala, para o ensino do ingles e frances. Mas nao queremos re-inventar a roda. Ha varios aplicativos de TTS e reconhecimento de falar open source, de otima qualidade.
[20:48] <megthomopoulos> parece que usa esse tipo de tecnologia,a profª Ana Cuder em cursos online de inlgês para brasileiros
[20:49] <acris> perfeito
[20:49] <Andressa> Jocemar, se puder compartilhar todo o relato, ficarei muito feliz em poder conferir "de pertinho" o projeto e de alguma forma, levar as ideias para minha escola. Meu email: andressa.educadora@gmail.com
[20:49] <Jocemar> Compartilho sim...
[20:49] <WalcirCardoso> @Adelmaa, os problemas sao relacionados a habilidade dos aplicativos e APs de entenderem o falante com sotaque forte.
[20:50] <adelmaa> Poderia mentorar um projeto, não é Jocemar?
[20:50] <WalcirCardoso> Mas talvez seja uma boa coisa, uma indicacao ao usuario que elx precise melhorar na pronuncia e/ou vocabulario.
[20:50] <acris> Prof. Jocemar, sua cidade é incrivelmente moderna, muito legal! O trabalho de vocês com educação e tecnologia é de primeira linha, parabéns. Sobre o ensino de linguagem de programação, já dá pra sentir os resultados nas séries seguintes? E nas outras disciplinas? O que dizem os outros professores? Outra coisa: me explica melhor qual a vantagem em usar inicialmente kits de robótica prontos no lugar de trabalhar a partir de reciclagem? Finalmente:
[20:50] <acris> vocês tem como dar tratamento diferenciado, como atender de forma diferente alunos que chegaram depois de outras escolas? Quanto ao medo dos professores que os alunos os superem, eu acho que a melhor coisa para m professor é saber que um aluno o ultrapassou, é a melhor prova de que fez seu trabalho bem feito ;-)
[20:50] <WalcirCardoso> Otimo, @megthomopoulos
[20:51] <WalcirCardoso> Esta indo rapido de mais e devo estar perdendo comentario e perguntas. Desculpas se for o caso.
[20:51] <Jocemar> Adelma....posso mentorar sim...é o que faço...rsrs na FUNDETEC...
[20:51] <Andressa> Walcir, já encaminhei sua apresentação para alguns amigos. Sei que irá ajudar.....
[20:51] <Jocemar> Cris, vamos la...
[20:52] <Jocemar> 1) Adoro minha cidade tbem...ela é muito jovem, mas esta bem a frente em várias coisas....
[20:52] <WalcirCardoso> Otimo, @Andressa. Obrigado.
[20:52] <Jocemar> 2) Sim, vemos resultados, que vão desde uma maior participação nas aulas, bem como um melhor desempenho em disciplinas como portugues e matemática
[20:52] <acris> que massa
[20:53] <WalcirCardoso> E o nivel de investimento em tecnologia me parece espetacular. Diria que a situacao e melhor do que na escola publica de quebec, onde trabalho. A moda agora eh investir em smartboards, ja que os labs foram ao cemiterio :-)
[20:53] <Jocemar> 3) Ainda há muita resistencia dos demais professores das escolas, mas ja veem a importancia ...e os que sabem aproveitar os ambientes para inlcuir seus conteúdos...tem obtidos ótimos resultados...
[20:53] <acris> deve ter a ver com o aumento da capacidade de abstração, essencial tanto para línguas quanto matemática
[20:54] <Jocemar> 4) Usamos kits prontos devido a idade dos nosso alunos, que são entre 7 e 10 anos, não posso levar certos tipos de ferramentas para o laboratório e sujeitá-las aos ristos..
[20:54] <acris> entendi
[20:54] <Jocemar> com o 5º ano ja fazemos isso, mas com os menores ....preferimos não correr o risco..
[20:55] <acris> certo
[20:55] <WalcirCardoso> Outra coisa inacreditavel: os teus alunos sao muito jovens! E os professores de ingles que treinam sempre me perguntam se os seus alunos poderam usar plataformas como Moodle... Vou usar a tua exp. como exemplo do que sao capazes.
[20:55] <acris> :D
[20:55] <adelmaa> Andressa, aguarde sair o log desta conferência que faremos a divulgação completa no site do stis e os educadores einteressados em geral poderão ler na íntegra tudo o que foi apresentado aqui.
[20:55] <WalcirCardoso> que "treino"
[20:55] <Jocemar> 5) o atendimento diferenciado, para alunos que "vem de fora" é possivel dependendo o porte da escola, pois depende da disponibilidade do espaço e do instrutor..
[20:56] <acris> foi o que pensei
[20:56] <Andressa> Certo, Adelma!
[20:56] <WalcirCardoso> @Adelma: Oh nao! Com todos os meus erros de ortografia! :-)
[20:57] <adelmaa> Clap, clap, Walcir! O trabalho do Jocemar é realmente espetacular por trazer o aluno, de fato e na prática, para o protagonismo do seu aprendizado
[20:58] <acris> só pra gente não se perder: temos tempo pra mais uma pergunta só
[20:58] <WalcirCardoso> Exatamente. E a filosofia que uso no meu trabalho de treinamento de profs e uso pedag. de tecnologias. O aluno como centro do processo de ensino/aprendizagem e criacao.
[20:58] <Andressa> Parabéns aos dois: Walcir e Jocemar, por compartilhar trabalhos tão relevantes conosco!
[20:58] <megthomopoulos> Obrigada,professores!
[20:58] <WalcirCardoso> OK, acris. Se tiverem perguntas e comentarios adicionais, podem me enviar um email: walcir.cardoso@concordia.ca
[20:59] <WalcirCardoso> Obrigado @ Andressa.
[20:59] <acris> foi maravilhoso, muito obrigada!
[20:59] <WalcirCardoso> E megth...
[20:59] <acris> bem antes de terminar, uns avisos
[20:59] <adelmaa> A minha experiência docente em EAD tem levaod a várias descobertas: um professor pode começar sozinho a fazer sim uma revolação.
[20:59] <acris> No dia 24 d emaio nosSTIS nós recebermos ára discutir SEMIÓTICA e ENSINO
[20:59] <acris> como conferencista o prof Dr Luciano Tocaia da UFBA e ara discorrer sobre o tema Análise semiótica de livros didáticos aprofa Dra Luiza Helena Oliveira da Silva da Universidade Federal de Tocatins. Esperamos vocês na nossa sala virtual do STIS.
[21:00] <adelmaa> Andressa é uma exmplo em sua escola, a Andrea Bonequini tambpém, o Jocemar, a Ana Claúdia Santos e tantos outros professores brasileiros.
[21:00] <acris> verdade! os maiores revolucionários no Brasil são professores
[21:00] <Jocemar> Obrigado pela experiencia...foi bacana estar com vcs hoje....e estou a disposição.
[21:01] <WalcirCardoso> Caso o sistema apague: Foi um grande prazer compatilhar essas experiencias com o grupo de vocês. Muito sucesso a todos!
[21:01] <acris> palmas para nossos convidados queridos! clap clap clap clap
[21:01] <WalcirCardoso> Obrigado!
[21:01] <acris> clap clap clap clap clap clap clap
[21:01] <megthomopoulos> clap clap clap
[21:01] <Andressa> clap clap clap clap
[21:01] <WalcirCardoso> clap clap clap
[21:02] <adelmaa> Somos gratos a todos vocês presntes, conferencistas e participantes. Quero agradecer de coração aos professores Walcir e Jocemar que carinhosamente aceitaram nosso convite sem pestanejar.
[21:02] <Jocemar> clap clap clap...
[21:02] <WalcirCardoso> Foi um grande prazer. E isso foi apenas o comeco. Espero poder interagir com voces num futuro proximo.
[21:02] <acris> o registro de todas as conferências do stis estão na nossa página, bem no estilo ciência aberta!
[21:02] <adelmaa> Vocês são brilhantes! Clap clap clap clap clap clap (aplausos virtuais)
[21:02] <acris> clap clap clap clap clap clap clap
[21:02] <Heloisa> Madu me pediu que enviasse Parabéns aos Professores convidados. Ela estava encantadíssima com as falas mas, precisou voltar ao trabalho.
[21:04] <Heloisa> Estou aqui maravilhada com os trabalhos dos Srs....Parabéns!
[21:05] <adelmaa> Os conferencistas convidados receberão seus certificados em breve, já os participantes receberão no final de cada semestre de atividades do STIS. Obrigada a todos pela presença.
[21:05] <Andressa> Boa noite!
[21:05] <WalcirCardoso> Obrigado a todas e todos! Boa noite!
[21:05] <acris> Encerro, então a sessão de hoje, aguardo todos na próxima, boa noite! Abraços!
[21:06] <adelmaa> Anotem ai: temos um encontro marcado dia 24 de maio às 19:30 horas. Até lá!
[21:06] <Jocemar> ateh..
[21:06] <adelmaa> Obrigada, acris! Obrogada Profa Ana Cristina! Boa noite a todos!
[21:06] <adelmaa> <3
[21:07] <Heloisa> Boa noite!

 

Todos os trabalhos aqui publicados estão licenciados segundo a Creative Commons

Creative Commons TL Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

Based on a work at Texto Livre.