STIS 2014

2. Março: Letramentos digitais e Prezzi

2.1. registro março

 Registro da Conferência em chat escrito, de 21 de Março de 2014:

 

Letramentos digitais: reflexões sobre questões básicas

conferencista: Denise Bertoli Braga

Usos das TIC na sociedade contemporânea:a produção de materiais didáticos com o uso do software Prezi

conferencista: Rosilene Horta Tavares

 

moderador: Equipe STIS

 

[STIS março/2014: Denise Bértoli Braga e Rosilene Horta Tavares, dia 21/03 às 14h || resumos: http://stis.textolivre.org]

 [14:01] <@adelmaa> Bom tarde a todos!
[14:01] <Amanda__> Boa tarde
[14:01] <@adelmaa> É com imensa alegria que venho, em nome do Grupo STIS - SEMINÁRIOS TEÓRICOS INTERDISCIPLINARES DO SEMIOTEC e da profª Drª Ana Cristina
[14:01] == mode/#stis [+o tanpi] by ChanServ
[14:01] <@adelmaa> Fricke Matte, dar boas -vindas a todos vocês que nos honram com sua presença: conferencistas e participantes. 
[14:01] <@adelmaa> O Stis é um programa de conferência realizado na penúltima semana de casa mês de março a dezembro, congregando pesquisadores do Brasil e do exterior em torno do tema educação livre e democrática.
[14:02] == mode/#stis [-o tanpi] by tanpi
[14:02] <@adelmaa> O STIS, a Revista Texto Livre, o UEADSL e o EVIDOSOL/CILTEC são pés do programa polvo denominado TEXTO LIVRE do CNPq, coordenado pela pela Profª Drª Ana Cristina Fricke Matte.
[14:02] <@adelmaa> O STIS está entrando no seu terceiro ano de existência. Ao longo desta caminhado temos nos firmado como um canal democrático de divulgação das pesquisas relevantes que estão sendo desenvolvidas no Brasil e no exterior.
[14:02] <@adelmaa> Na verdade, nós do grupo STIS, temos muito que comemorar, pois, neste curto período de tempo, o STIS já promoveu  22 eventos, com a presença de ilustres pesquisadores
[14:02] <@adelmaa> tais como Carla Viana Coscarelli, Luiz Tatit, Maria Lucia Castanheira, dentre outros nomes do Brasil e do exterior como o Brian Street (Kings College/Londres)  e o Julio Paz (Argentina).
[14:02] <@adelmaa> Também divulgamos o STIS  em dois eventos internacionais ocorridos: CLAFP / Brasília e no 19º Intercâmbio de Pesquisa em Linguística Aplicada (19º InPLA) e 5º Seminário 
[14:03] <@adelmaa> Internacional de Linguística (5º SIL), este último como convidado do Prof. Marcelo Buzzato.
[14:03] <@adelmaa> Para que este trabalho se concretize eu conto com uma equipe fantástica de voluntários. Seres humanas altruístas que compartilham da mesma concepção de que as mudanças  na nossa sociedade só virão através do acesso a educação para todos.
[14:03] <@adelmaa> Farei agora uma breve apresentação de nossas conferencistas convidadas. Quem abrirá nossa agenda STIS Ano III /2014 será a profª Drª Denise Bértoli Braga.
[14:03] <@adelmaa> A profª Denise Braga possui graduação em Letras Português/Inglês pela Universidade Federal do Paraná (1977), mestrado em Lingüística pela Universidade Estadual de
[14:03] <@adelmaa> Campinas (1982) e doutorado em Educational Psychology - University of London (1990). Atualmente, é professora MS-6 do Departamento de Lingüística Aplicada da
[14:03] <@adelmaa> Universidade Estadual de Campinas. Tem experiência na área de Lingüística, com ênfase em Leitura Crítica, atuando principalmente nos seguintes temas: letramento
[14:03] <@adelmaa> digital, material digital, leitura, ensino em rede e hipertexto.
[14:04] <@adelmaa> Nossa segunda conferencista que nos honra com sua presença é a Profª Drª Rosilene Horta Tavares da Faculdade de Educação da UFMG.
[14:04] <@adelmaa> A profª Rosilene é graduada em História pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-MG), mestre em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG-1995),
[14:04] <@adelmaa> doutora em Filosofia pela Universidad Complutense de Madrid (2005). Atualmente é professora adjunta IV da Universidade Federal de Minas Gerais, em atividades de
[14:04] <@adelmaa> ensino, pesquisa e extensão na Faculdade de Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: Sociedade Capitalista Contemporânea; Universidade Pública;
[14:04] <@adelmaa> Tecnologias da Informação e Comunicação, Trabalho Docente e Didática. Realiza atualmente pesquisa de pós-doutorado, junto ao Programa de Pós-Graduação em
[14:04] <@adelmaa> História da Universidade Federal Fluminense/UFF, sobre a história das condições de trabalho e estudo na UFMG, no contexto das políticas públicas e empresariais para o Ensino Superior.
[14:05] <@adelmaa> Para finalizar, gostaria de agradecer a profª Drª  Denise Bertóli Braga  e a Profª Drª  Rosilene Horta  por acreditarem em nossa proposta e tornarem possível o êxito desse  evento e a todos os presentes, sem os quais todo esse trabalho seria em vão.
[14:05] <@adelmaa> Passarei a palavra para a moderadora deste evento, a profª Drª Daniervelin Renata Marques Pereira, que explicará o funcionamento de nossa palestra.
[14:05] <@adelmaa> Obrigada, sejam bem vindos e ótimo seminário a todos!

[14:05] <@daniervelin> Boa tarde a todos! Sejam bem-vindos
[14:05] <@daniervelin> para quem participa pela primeira vez, teremos 30 minutos de apresentação das conferencistas (só por escrito, no chat)
[14:05] <@daniervelin> não temos vídeo nem áudio
[14:05] <@daniervelin> durante esse tempo, a sala estará moderada
[14:06] <@daniervelin> após as duas apresentações, abriremos a sala para perguntas, sugestões e discussão geral das ideias expostas
[14:06] <@daniervelin> o código para os slides será indicado no início de cada apresentação, se houver, pois não é obrigatório
[14:06] <@daniervelin> basta inserir o código à direita, depois de escolher o tipo de atendimento: “apresentação de slides”
 [14:06] <@daniervelin> vocês podem regular o tamanho do chat e slides ajustando a coluna vertical entre as partes
[14:06] <@daniervelin> desejamos um ótimo seminário a todos!
 [14:06] <@daniervelin> Professora Denise_ , pode começar quando quiser. Cole, por favor, frases pequenas, de até 3 linhas, durante sua apresentação, ok?
[14:07] <@daniervelin> o código para a sua apresentação é: denise
 [14:07] <+Denise_> Certo, Daniervelin. Obrigada!
[14:07] == mode/#stis [+mz] by daniervelin
 [14:08] <+Denise_> Os slides serão inseridos por você mesmo?
[14:08] <+Denise_> Conforme eu solicitá-los aqui...?
[14:08] <@daniervelin> Denise_, cada um coloca o código e passa quando quiser
[14:09] <@daniervelin> a senhora pode ir indicando o número do slide para acompanharmos
 [14:10] <@daniervelin> basta inserir o código à direita, depois de escolher o tipo de atendimento: “apresentação de slides”
[14:10] <@daniervelin> código: denise
[14:10] <+Denise_> Antes de qualquer coisa, agradeço pela audiência e pela ajuda do Junot, meu doutorando, que está me ajudando a contornar uma tendinite. Rs
 [14:10] <@daniervelin> há uma barra vertical entre o chat e os slides
[14:10] <@daniervelin> ela pode ser regulada
[14:12] <Denise__> Pessoal, pronto, acho que agora vamos em frente!
[14:12] <monicag> até agora tudo certo danielvelin
[14:12] <Heloisa> Adelma, só justificando a ausência da Madu que está em reunião neste momento.
[14:12] <Denise__> Bom, para entendermos letramentos digitais, é necessário termos clareza da forma como a sociedade humana se organiza.
[14:13] <Denise__> Os grupos sociais formam-se a partir da construção de culturas. Isso é possível porque dominamos a capacidade de nos comunicar através da linguagem (Vygotsky).
[14:13] <Denise__> Como esperado, a primeira forma de comunicação usa o corpo como meio de linguagem (gestos e modulações de voz) e a memória dos indivíduos para a preservação da cultura.
[14:13] <Denise__> À medida que o acervo cultural se amplia e se torna mais complexo, as comunidades passam a usar meios externos para comunicação e registro.
 [14:14] <+Denise__> Ao migrar para um novo meio, a linguagem necessariamente sofre ajustes.
[14:14]  <Denise__> Bom, para entendermos letramentos digitais, é necessário termos clareza da forma como a sociedade humana se organiza.
[14:15] <Denise__> Os grupos sociais formam-se a partir da construção de culturas. Isso é possível porque dominamos a capacidade de nos comunicar através da linguagem (Vygotsky)
[14:15] <Denise__> Como esperado, a primeira forma de comunicação usa o corpo como meio de linguagem (gestos e modulações de voz) e a memória dos indivíduos para a preservação da cultura.
[14:15] <Denise__> À medida que o acervo cultural se amplia e se torna mais complexo, as comunidades passam a usar meios externos para comunicação e registro.
[14:15] <Denise__> Ao migrar para um novo meio, a linguagem necessariamente sofre ajustes.
[14:15] <+Denise__> A linguagem escrita, por exemplo, não pode explorar a riqueza da modulação da voz e da expressão corporal do falante e precisa encontrar outros recursos para manter a clareza na comunicação.
[14:15] <+Denise__> Um exemplo de mudança na escrita é a marcação de emoções através de verbos e advérbios, como em “Ele gritou...” ou “Ele respondeu rispidamente...”.
[14:16] <+Denise__> Em contrapartida, a evolução da escrita gerou recursos úteis para a compreensão de textos que não podem ser usados na oralidade: sinais gráficos e espaço em branco marcam unidades maiores de sentido, como sentenças e parágrafos.
[14:16] <+Denise__> Ou seja, oralidade e escrita constituem modalidades linguísticas distintas, com recursos e limites expressivos particulares e normas de uso específicas.
[14:17] <+Denise__> Na prática, uma nova modalidade não sobrepõe a anterior, mas sim se organiza de forma complementar e híbrida nas práticas comunicativas.
[14:17] <+Denise__> Os estudos sobre letramentos buscam entender a natureza, as normas e as funções sociais que regem os diferentes usos de linguagens.
[14:17] <+Denise__> Esses estudos têm uma forte influência de estudos sociológicos e foram desenvolvidos a partir de um conjunto de estudos de base etnográfica (Scribner e Cole, 1981; Heath, 1983; Street, 1984).
[14:17] <+Denise__> O termo letramento, em português, foi importado do inglês literacy como uma forma de os teóricos dissociarem-no do termo “alfabetização”, que pressupunha que o domínio do código da escrita era condição necessária e suficiente para um indivíduo tornar-se leitor e produtor de qualquer tipo de texto.
[14:18] <+Denise__> Outra razão para a instauração desse termo é o fato de que, na língua portuguesa, “escrita” refere-se tanto a uma modalidade linguística, quanto à prática da escrita.
[14:19] <+Denise__> As mudanças sociais, de forma dialética, foram gerando novas necessidades de transmissão e de registro de mensagens (textos), o que acelerou a criação de novas tecnologias a serviço da informação e comunicação.
[14:19] <+Denise__> Surgiram o telégrafo, o telefone, entre vários outros, para agilizar a comunicação à distância e, em um desenvolvimento paralelo, ampliaram-se as tecnologias a serviço da comunicação visual, sendo a fotografia uma primeira manifestação dessa natureza.
 [14:19] <+Denise__> Outras linguagens, como a imagem em movimento, que caracteriza o cinema, gradativamente passaram da comunicação visual para a multissemiótica, incluindo fala e trilha sonora, por exemplo, como constitutivas de sentido.
[14:20] <+Denise__> Cada meio técnico desenvolveu suas próprias convenções expressivas (linguagens) as quais diversificaram-se em gêneros específicos.
[14:20] <+Denise__> Para que a comunicação seja bem sucedida, precisamos conhecer as convenções que regem a linguagem em gêneros específicos, que são usados em contextos sociais de comunicação também particulares: letramentos são sempre socialmente situados.
[14:20] <+Denise__> Essas questões mais amplas de linguagens também regem as interações na internet (letramentos digitais).
[14:20] <+Denise__> O que muda? A grande mudança atual em termos de tecnologias de informação ocorre devido a cinco fatores fundamentais.
[14:20] <@daniervelin> para quem não conseguiu acessar os slides pelo código, pode ver pelo link: http://stis.textolivre.org/salaConferencias/apresentacoes/denise/denise.html
[14:21] <+Denise__> Em primeiro lugar, com a passagem da tecnologia analógica para a digital, foi possível integrar, em um mesmo meio, o computador, as diferentes linguagens que já circulavam na sociedade através das outras mídias (toda informação pode ser codificada em termos de impulsos elétricos 0 e 1).
[14:21] <+Denise__> Em segundo lugar, as ferramentas de autoria permitiram que indivíduos leigos se tornassem produtores, e não apenas consumidores, de textos multimídia.
 [14:21] <+Denise__> O acesso a esse conjunto de recursos fez com que a comunicação na internet se tornasse cada vez mais multissemiótica (a escrita sendo apenas mais um dos recursos expressivos para registro de informação).
[14:22] <+Denise__> Em terceiro lugar, os limites impostos pela tela (resolução inicialmente precária e dificuldade de leitura de um texto disponibilizado de forma verticalizada) instigaram um uso mais efetivo dos links digitais.
[14:22] <+Denise__> A existência desses links permitiu a exposição de segmentos de textos mais curtos e interconectados.
 [14:22] <+Denise__> Essas conexões foram expandidas para outras informações/textos disponibilizados na rede, gerando um tipo de comunicação em que a intertextualidade é explícita e constitutiva dos textos e os caminhos de leitura são flexíveis e potencialmente infinitos.
[14:23] <@daniervelin> código: denise
[14:23] <@daniervelin> para quem não conseguiu acessar os slides pelo código, pode ver pelo link: http://stis.textolivre.org/salaConferencias/apresentacoes/denise/denise.html
[14:23] <+Denise__> Isso permitiu a publicação de redes hipertextuais fechadas, como nos CD-ROMs, e redes hipertextuais abertas, caso da internet.
[14:23] <neivagomes> Obrigada, daniervelin!
[14:23] <+Denise__> Esse tipo de estruturação de informação passou a integrar também as possibilidades de junção de linguagens. Em resumo, a comunicação em meios digitais tornou-se fundamentalmente hipermidiática.
[14:23] <+Denise__> A quarta mudança a ser considerada é a ampliação dos canais de comunicação.
[14:23] <+Denise__> Diferentes ambientes e ferramentas da Web 2.0 passaram a permitir interlocução à distância rápida a baixo custo, que pode ser síncrona ou assíncrona. Isso rompeu definitivamente as barreiras de tempo e espaço e abriu as portas para a formação de novos tipos de agregação comunitária: as comunidades virtuais.
[14:24] <+Denise__> Finalmente, a quinta grande mudança foi gerada pelo avanço da tecnologia de suporte. Os computadores e dispositivos digitais tornaram-se cada vez mais potentes e portáteis, migrando, desse modo, para tablets, smartphones e outros dispositivos móveis.
[14:24] <+Denise__> Não esquecendo que ainda enfrentamos questões sérias de exclusão digital (Sorj e Guedes, 2005), a portabilidade dos dispositivos tecnológicos tornou o uso de recursos digitais cada vez mais inserido e necessário em diferentes práticas sociais.
 [14:24] <+Denise__> Assim, a tecnologia digital tem se tornado gradativamente ubíqua. Devido a isso, mudam-se as formas de construção do conhecimento e da cultura, bem como os modos de organização e participação social.
[14:25] <+Denise__> As mudanças sociais geram, por sua vez, novas demandas no campo da educação.
[14:25] <+Denise__> Nesses termos, as novas metodologias têm enfatizado a necessidade de formação dos indivíduos para a aprendizagem autônoma  (acesso a informações deixou de ser problemático) e também para a construção de saberes através de interações colaborativas e cooperativas.
[14:25] <+Denise__> A escrita e o livro abrem espaço na escola para outras tecnologias e para a necessidade de formarmos alunos competentes para explorarem os diferentes ambientes da internet e serem leitores e produtores de material hipermídia em meio a uma realidade marcadamente multissemiótica e multicultural (Cope e Kalantzis, 2010).
[14:26] <+Denise__> Isso coloca um conjunto de desafios para o ensino.
[14:26] <+Denise__> Muitos alunos chegam à escola já competente no uso das tecnologias e dominando um conjunto de letramentos digitais, mas essas práticas estão atreladas a situações de lazer e não de educação acadêmica formal.
[14:26] <+Denise__> Muda-se a natureza das tarefas escolares: o aluno precisa aprender a aprender de forma autônoma ou em grupo.
[14:26] <+Denise__> O papel do professor como orientador desse processo passa a ser ainda mais fundamental dado o excesso de informações às quais o aluno pode ser exposto.
[14:27] <+Denise__> A escrita não pode ser a única forma de aquisição e socialização do conhecimento (o que é um novo desafio para a avaliação de desempenho).
[14:27] <+Denise__> Novas propostas metodológicas como ensino com base em problemas (PBL) ensino com base em caso ou ensino com base em projeto abrem possibilidades interessantes para a integração de olhares disciplinares, mas não favorecem a sequência e progressão do conhecimento prevista nas grades curriculares.
[14:27] <+Denise__> Esses são desafios que precisamos entender melhor para reivindicar condições de uso das tecnologias digitais em sala de aula e também fazer uso eficiente dos novos recursos que essa tecnologia oferece.
[14:28] <+Denise__> Essas questões foram delineadas em mais detalhes em um livro que lancei em 2013, voltado para formação de professores do ensino médio.
[14:28] <+Denise__> Esse livro é introdutório, mas é um começo para entendermos esse novo contexto abre novas possibilidades e leva educadores a confrontarem com outros tipos de demandas educacionais e problemas práticos.
[14:29] <+Denise__> Vocês podem, agora, relacionar todo esse conteúdo com os slides, porque a palestrante se atrapalhou aqui no processo de ilustração. De qualquer modo, a apresentação traz algumas provocações relativas ao conteúdo aqui pensado.
[14:30] <+Denise__> Peço desculpas aos colegas da área porque sei que muitas dessas informações são redundantes. Mas, quis dar um panorama geral, que pode ser útil para estabelecer uma base comum para colegas de outras áreas.
 [14:30] <+Denise__> Agradeço pela atenção de vocês!
[14:30] <+Denise__> :)

[14:31] <@daniervelin> convidamos então a professora Rosilene para apresentar
[14:31] <@daniervelin> na sequência
[14:31] <@daniervelin> e depois abrimos para discussão
 [14:32] <@daniervelin> Rosilene, está pronta?
 [14:33] <@daniervelin> obrigada, pode começar!

 [14:34] <+Rosilene> Boa tarde a todos! Meus cumprimentos aos organizadores do evento, à moderadora Profª  Daniervelin Pereira e à Profª Denise Bértoli Braga da Unicamp.
[14:34] <@daniervelin> a apresentação da Rosilene não tem slides, portanto não há código!
[14:34] <+Rosilene> Minha contribuição à conferência tem como eixo principal analisar criticamente usos meramente pragmáticos, na educação escolar, das tecnologias da informação e comunicação (TIC).
[14:34] <+Rosilene> Comecemos recordando que a técnica é a base de funcionamento dos instrumentos e meios auxiliares de trabalho. A técnica, então, pode ser manual, mecânica, microeletrônica, nuclear. Há uma multiplicidade de bases técnicas, de bases de funcionamento dos instrumentos de trabalho.
[14:35] <+Rosilene> E tecnologia é definida aqui como o processo de inserção dos instrumentos de trabalho, com suas respectivas bases técnicas, no âmbito das relações sociais de produção.
[14:35] <+Rosilene> Dessa forma, a tecnologia reflete, ou seja, é a materialização da forma como as relações sociais de produção são organizadas num dado modo de produção. Ou seja, cada modo de produção cria sua própria tecnologia.
[14:36] <+Rosilene> Por isso é que não podemos falar em neutralidade tecnológica, porque a determinação, o fundamento da tecnologia é eminentemente social. Ela expressa a relação do homem com o instrumental de trabalho, do homem com a natureza e dos homens entre si.
[14:36] <+Rosilene> A partir desse entendimento, pactuemos a síntese de que as tecnologias da informação e comunicação (TIC) conjugam a tecnologia computacional com a tecnologia das telecomunicações, sendo a internet a sua mais forte expressão. Neste mês a rede completa 25 anos!
[14:36] <+Rosilene> As TIC compreendem três grandes vertentes: a informática; as telecomunicações; e as mídias digitais.
[14:37] <+Rosilene> Segundo Manuel Castells são tecnologias que se relacionam diretamente com a informação e a comunicação, como os computadores conectados à internet, telefones (fixo, móvel e suas extensões, como os chamados telefones inteligentes), rádio, televisão, jornais, dentre outras.
[14:37] <+Rosilene> Ou conjunto de recursos tecnológicos integrados entre si, que proporcionam e potencializam a comunicação, por meio de hardware, software e telecomunicações, a automação, desde os processos de negócios, da pesquisa científica e de ensino e aprendizagem, até a política e toda a vida social.
[14:38] <+Rosilene> Bom, creio que a preocupação recorrente de muitos de nos é a de tentar entender até que ponto essas tecnologias ajudariam na hora de ensinar.
[14:38] <+Rosilene> Meus cumprimentos especiais aos participantes!
[14:39] <+Rosilene> Por exemplo, um recurso básico do trabalho do professor, a aula expositiva, é uma comunicação verbal estruturada com objetivo de transmitir determinados conteúdos.
[14:39] <+Rosilene> Um procedimento por meio do qual o professor apresenta um assunto definindo-o, analisando-o e explicando-o, mas com ênfase na linguagem oral como recurso principal.
[14:39] <+Rosilene> Nao sei se todos conhecem. Há um software muito interessante, o Prezi (prezi.com), que possibilita a junção de mídias diversas, e poderia qualificar significativamente uma aula expositiva. Podendo aglutinar materiais didáticos.
[14:40] <+Rosilene> Como se sabe, além dos clássicos livros, há outros materiais didáticos produzidos em diferentes suportes e com diferentes funções. São classificados em recursos naturais, pedagógicos, tecnológicos, culturais e recursos audiovisuais.
[14:40] <+Rosilene> Como conjunto de dispositivos (materiais) utilizados concomitantemente ou não, os materiais didáticos podem auxiliar o processo de ensino-aprendizagem.
[14:40] <+Rosilene> Tania Garcia (UFPR), especialista no assunto, analisa que os materiais didáticos, como artefatos, podem ter uma grande importância e podem cumprir funções específicas, dependendo de suas características e das formas pelas quais eles participam da produção das aulas.
[14:41] <+Rosilene> Eles devem se constituir em uma das mediações entre professor, alunos e o conhecimento a ser ensinado e aprendido.
[14:41] <+Rosilene> Um dos elementos fundamentais da relação que o professor deveria estabelecer com o material didático está na intencionalidade que guia sua escolha e sua utilização, em diferentes situações e com diferentes finalidades.
[14:41] <+Rosilene> A questão central é quais são os objetivos que pretendemos atingir ao escolher um ou outro material.
[14:42] <+Rosilene> O Prezi, em si, neste sentido, é, ao mesmo tempo, um artefato, e também pode ser um meio de produção criativa de material didático, pois nele o professor pode fazer conter uma série variada de materiais didáticos. Como gravuras e imagens diversas, gráficos, filmes, músicas, textos, sites, etc.
[14:42] <+Rosilene> O diferencial principal do Prezi é a possibilidade de motivar os estudantes devido ao recurso do zoom através da aula ali organizada. Clique agora em outra aba da internet para ver um exemplo.
[14:42] <+Rosilene> Acesse por 3 minutos (...mas volte para a conferência!)  http://prezi.com/gx2bm0n9u01f/8-tips-for-an-awesome-prezi/. Espere abrir a apresentação e vá clicando na seta que aparece em uma aba inferior. Voltamos em 4 minutos.
[14:43] <@daniervelin> ok
 [14:46] <+Rosilene> Gostou desta apresentação?
 [14:47] <+Rosilene> Este recurso possibilita, de variadas maneiras, a visualização (com figuras, imagens, vídeos) da explicação e de como as ideias se relacionam, e de forma linear ou não-linear. Como é baseado em nuvem, podem-se criar apresentações conjuntas “de qualquer lugar, a qualquer hora”. O tutorial em português promete treinamento em quinze minutos.
[14:47] <sil_> esclareceu muito
[14:47] <+Rosilene> Porém, o Prezi, como instrumento, a meu ver, somente será importante caso o professor o utilize como meio de produção de material didático próprio, ou seja, um material inventado pelo docente. Neste caso ele poderá estar de fato pensando sobre sua forma de produção, deixando de ser mero executor (de manuais como o livro didático, ou outro tipo de instrução).
[14:47] <+Rosilene> Lembrando que escolher e utilizar um material são ações que dependem da capacidade de “olhar profundamente” o conteúdo a ser ensinado, compreendendo os melhores caminhos e os melhores recursos para percorrê-los em situações específicas.
[14:47] <sil_> utilizei o prezi em aulas de est[agio em l[ingua espanhola e foi muito bom.
[14:48] <+Rosilene> Os recursos tecnológicos são assim uma mediação entre professores, alunos e um conhecimento específico. Portanto, seu uso requer escolhas, definições, adequações que se inserem no conjunto complexo das condições nas quais se produz o ensino e a aprendizagem.
[14:48] <+Rosilene> Uma destas importantes condições é o contexto social, econômico, político e cultural no qual se processa a educação escolar. Nosso pressuposto é o de que sem uma visão ampla da sociedade o professor não tem possibilidade de compreender plenamente o papel das TIC na educação.
[14:48] <+Rosilene> Neste momento então da conferência passo para breve análise sobre tal contexto.
[14:48] <+Rosilene> Pauto-me pela teoria crítica da sociedade (Marx) e pelas premissas da Escola de Frankfurt, no que diz respeito à análise de todas as práticas sociais. Preocupando-se os pensadores desta escola com a crítica da ideologia, com explicações da realidade sistematicamente distorcidas.
[14:49] <+Rosilene> Explicações que procuram ocultar e legitimar relações assimétricas de poder; com a maneira pela qual os interesses, conflitos e contradições sociais se expressam no pensamento e, também, com a maneira pela qual se produzem e se reproduzem os sistemas de dominação.
[14:49] <+Rosilene> Quero então deixar claro que há um sentido econômico e político contido nos modernos suportes tecnológicos atuais. Que, o mais das vezes, aparecem meramente servindo como meios neutros.
[14:49] <+Rosilene> Porém, “em uma perspectiva técnico-científica, tecnolo¬gia refere-se à forma específica da relação entre o ser humano e a matéria no processo de trabalho, en¬volvendo os meios de produção para agir sobre a matéria, com base em energia, conhecimento e infor¬mação.” (Maria Rita S.N.Oliveira).
[14:49] <+Rosilene> A máquina, portanto, não é somente um instrumento, mas a tecnologia nela concebida se expressa como a “soma de instrumento e ideologia”, como Herbert Marcuse já analisara, a propósito da sociedade industrial.
[14:50] <+Rosilene> Denise falou do problema da exclusao digital. De fato. Tampouco os progressos da tecnologia sob o capitalismo revelam que as maiorias sociais estejam o mais das vezes sendo beneficiadas com tais progressos.
[14:50] <+Rosilene> Na atualidade, não se pode identificar desenvolvimento científico e tecnológico com a prosperidade econômica para o conjunto dos cidadãos. Langdon Winner possui análises muito interessantes neste sentido, como neste artigo http://www.oei.es/salactsi/winner.htm (Tienen política los artefactos?).
[14:51] <+Rosilene> Texto para acessar depois...
[14:51] <+Rosilene> Por sua vez, uma concepção crítica de educação e de didática, nesta sociedade, preconiza sim que haja utilização pedagógica das tecnologias de ensino.
[14:51] <+Rosilene> Mas tendo por base um compromisso com o ensino voltado para os interesses das classes populares, e com a transformação das relações de opressão e dominação, como analisado por Maria Rita S.N. Oliveira, quando reconceitua a Didática.
[14:51] <+Rosilene> A tal perspectiva soma-se o necessário questionamento do mito de que viveríamos em uma “sociedade do conhecimento” para todos, como aponta Armand Mattellart, em sua História da Sociedade da Informação.
[14:51] <+Rosilene> Assim como na sociedade industrial, não há hoje uma democratização da sociedade, pois é explícita a persistência do problema, especificamente, de como fazer com que as potencialidades abertas pelas TIC cheguem absolutamente a todos. Questão que analisei amplamente em tese de doutorado.
[14:52] <+Rosilene> Sob esse quadro analítico geral conduzimos pesquisas na universidade sobre a duplicidade das funções sociais e políticas da tecnologia, especificamente das TIC, na área educacional.
[14:52] <Rubens> olá, colegas!
[14:52] <+Rosilene> Considerando que há uma preocupação no campo da educação crítica com abordagens tecnicistas da técnica, ou com a racionalidade instrumental – como analisara a Escola de Frankfurt –, por ser ela limitada pela eleição dos meios adequados para alcançar os fins pretendidos.
[14:52] <Rubens> tive problemas com a conexão, mas já consegui visualizar os slides.
[14:53] <+Rosilene> De outra forma, consideramos que “a constituição intrínseca da técnica está na direção da prática social à qual ela serve”, como argumenta José Carlos Araújo em seus artigos.
[14:53] <+Rosilene> Entretanto, hoje, o tecnicismo pedagógico renova-se pelo fato de aprimorar-se na educação, ao mesmo tempo em que permeia o conjunto da sociedade, com o advento da chamada Terceira Revolução Industrial (iniciada em meados da década de 1940).
[14:53] <+Rosilene> A caracterizarem-na estão fortemente presentes as novas tecnologias da informação e comunicação (TIC), especificamente por meio da junção entre informática e internet, em sua eficácia para fomentar a acumulação de capital.
[14:53] <+Rosilene> O que se explica pelo fato de que há um abandono de um sistema que explorava, predominantemente, o trabalho manual por outro que explora, cada vez mais, a componente intelectual do trabalho.
[14:53] <+Rosilene> Sociedade hoje pautada pelos parâmetros de produção toyotistas, como bem analisa Ricardo Antunes em Adeus ao Trabalho?.
[14:54] <+Rosilene> Devido a tal necessidade do capitalismo, de aumentar a capacidade de trabalho mental das pessoas, há uma forte a remodelação também do sistema escolar, para que haja acréscimo das qualificações, resultantes de uma formação mais complexa.
 [14:54] <+Rosilene> Por isto se intensificam políticas de introdução de inovações tecnológicas nos processos de trabalho, também escolares, com o incentivo à integração das TIC na pedagogia do professor. E que se trabalhe eficazmente com elas, viabilizando assim uma elevação global na sociedade dos ganhos de produtividade, ou do lucro.
[14:54] <+Rosilene> Pensando bem, a integração das TIC na educação atende à necessidade de uma flexibilidade mental indispensável para o trabalho polivalente, tanto para fazer vários trabalhos ao mesmo tempo, como para fazer múltiplos trabalhos simples, ou seja, um trabalho mais complexo.
[14:54] <+Rosilene> Para atingir tal objetivo há uma importante política de formação de professores – regulada pelos currículos/conhecimentos e as formas de avaliação pré-definidas, orientadas e apoiadas financeiramente por organismos internacionais (BID, BIRD, UNESCO, OIT).
[14:54] <+Rosilene> BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), BIRD (Banco Mundial), UNESCO (Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura) e OIT (Organização Internacional do Trabalho).
[14:55] <+Rosilene> Política esta que condiciona as disciplinas de formação inicial e continuada dos docentes. Razão pela qual a formação dos professores passa a ser um item fundamental das reformas educacionais mundiais e nacional, pautadas pelo “paradigma das competências".
[14:55] <+Rosilene> Neste quadro, a escola estaria servindo tanto para ensinar a produzir quanto para ensinar a consumir, o que explicaria o fato de estarem em um crescendo as aulas com computadores em diversos países.
[14:55] <Rubens> Hoje, estou otimista com o apoio das TICs aos professores.
[14:55] <+Rosilene> Assim como há um aumento considerável no número de computadores entre os produtos consumidos pela família. Nico Hirt faz uma boa análise sobre isto em Los tres ejes de la mercantilización escolar.
[14:55] <+Rosilene> Essas seriam as funções sociais e políticas que atualmente as TIC cumprem. Haveria, por outro lado, uma diversa função social para as TIC?
[14:56] <+Rosilene> Sim, desde que consideradas as possibilidades de seus usos emancipatórios. Entendendo-se emancipação em seu sentido filosófico e político no campo marxista, no qual se imbricam a emancipação humana e a social. Talvez a utilização criativa das tecnologias digitais por diversos movimentos sociais contemporâneos demonstrem tal possibilidade.
[14:56] <+Rosilene> Podemos afirmar que as TIC tanto podem ser meios auxiliares para uma cooperação entre professores, alunos e comunidade quanto podem servir para isolar as pessoas umas das outras e intensificar os processos de produção escolar, como analisa Ilma Veiga.
[14:56] <+Rosilene> Pois é inegável que as TIC desempenham um papel crescente em âmbito global e em todos os setores da vida social, permitindo o processamento, a ampliação, a geração, o controle dos fluxos de informação e de enormes quantidades de conhecimentos codificados.
[14:56] <+Rosilene> O desafio primeiro dos educadores seria, então, o de se munirem de um arcabouço teórico sobre o sentido e o papel político e econômico mais amplo das tecnologias na sociedade atual.
[14:56] <+Rosilene> Ao mesmo tempo em que pudessem se apoderar das tecnologias digitais na educação, realizando atividades criativas que, na prática, sejam críticas à concepção da pedagogia tecnicista.
[14:57] <+Rosilene> Sob uma concepção histórica, socializante e/ou libertária, de educação, a razão de ser da técnica, sua significação, deve ser correlata ao aluno, ao professor, ao conteúdo, ao ensino, à aprendizagem, à educação, à situação sócio-cultural dos alunos e aos fins a que se destina, argumenta José Carlos Araújo.
[14:57] <+Rosilene> Ou seja, a maneira de utilizar as técnicas é que define seu potencial.
[14:57] <+Rosilene> Assim, computadores, lousas e softwares são recursos didáticos complementares ao que continua sendo o essencial no processo de ensino-aprendizagem: a capacidade ou a competência do ser humano.
[14:57] <+Rosilene> É, portanto, a capacidade criativa do educador (somada à dos estudantes), além de seu domínio do conhecimento a ser transmitido (aliado ao de didática), que definirá se um recurso tecnológico faz ou não a diferença.
[14:57] <+Rosilene> As tecnologias, em geral, assim compreendidas, estão sempre submissas à autoridade e à intencionalidade do professor/educador, não sendo mecânicas simplesmente.
[14:57] <+Rosilene> Não negamos, portanto, que o uso das tecnologias pode diversificar e dinamizar a assimilação e/ou produção do conhecimento, assim como a relação pedagógica professor/aluno e a dos próprios alunos entre si.
[14:58] <+Rosilene> Caso sejam introduzidos recursos variados, como imagens em várias dimensões, sons, movimentos, diversos formatos de textos, provocando novas interações sociais e uma nova relação espacial em sala de aula. A exemplo do que o Prezi pode servir.
[14:58] <+Rosilene> Considerando que, com os novos arranjos midiáticos à disposição da pedagogia escolar, surge um conjunto de novos modos de se associarem diferentes mídias umas às outras para efetivar práticas de comunicação (celulares conectados à laptop, etc).
[14:58] <+Rosilene> Processo que alarga a possibilidade da produção humana de uma nova linguagem, interativa, lúdica e cada vez mais multissensorial. Especialmente se o professor faz dessa nova linguagem sua aliada.
[14:58] <+Rosilene> Inventando, junto ao conhecimento que ele domina, novas formas de potencializar a aprendizagem, com os recursos didáticos propiciados pela internet, como salas de bate-papo, fóruns, redes sociais, slideshow, podcast, vídeos, blog, wiki.
[14:58] <+Rosilene> De outra forma, a utilização das tecnologias digitais, quando assimilada sem uma análise crítica, ocasiona uma prática pedagógica mecânica, em que predomina a relação autoritária do professor em sala de aula. O que pode provocar comodismo e passividade dos professores e alunos.
[14:59] <+Rosilene> Então, não basta introduzir novas tecnologias, pois, como visto anteriormente. Pois não são elas, em primeira instância, que definem uma melhor qualidade educacional.
[14:59] <+Rosilene> Mas, as tecnologias podem, certamente, contribuir nessa direção, caso o professor tenha como perspectiva pedagógica central a instauração do diálogo – como preconizou Paulo Freire – nas suas práticas cotidianas.
[14:59] <+Rosilene> E que saiba usar com competência as várias tecnologias e técnicas que, sem dúvida, são meios indispensáveis para revolver as ideias, as concepções, os preconceitos e preparar pessoas com capacidade de se constituírem, pessoalmente, com autonomia política.
[14:59] <+Rosilene> O papel do professor é, então, central, mediando, com vários recursos, a relação com os seus estudantes.
[14:59] <moilobato> Qual é o código de slide gente?
[14:59] <+Rosilene> E se, em tal processo, professores e estudantes apropriarem-se das tecnologias de modo a imprimir-lhes novas funções sociais, que tornem as relações menos verticais e mais horizontais.
[14:59] <+Rosilene> Tecnologias que, como enfatiza Oder Santos, possibilitem aos trabalhadores em educação pensarem, de fato, sobre sua forma de produção e não somente no meio de executar uma tarefa.
[15:00] <+Rosilene> Um processo assim redefiniria a tecnologia como meio de o professor vislumbrar o conhecimento do processo de produção pedagógico, em geral, e do processo de produção do conhecimento, em particular.
[15:00] <+Rosilene> As tecnologias, em tal perspectiva, não seriam concernentes a uma mera lógica instrumental, não seriam “fins em si mesmas”. Mas sim meios a serviço de fins claramente definidos pelos sujeitos sociais, estudantes e professores, solidariamente constituídos.
[15:00] <+Rosilene> Concluindo. Importante frisar que para o professor ter uma atuação diferenciada, integrando as TIC à sala de aula, dependerá de sua motivação e da possibilidade do exercício pleno de sua profissão.
[15:00] <+Rosilene> Aspecto que, no Brasil, esteve historicamente sempre comprometido pelos baixos salários e as insuficientes condições materiais de trabalho.
[15:00] <+Rosilene> Se essa complexa situação não for radicalmente alterada, não haverá possibilidade de real qualidade no ensino-aprendizagem no país.
[15:01] <+Rosilene> Diante desse problema é que devem também ser entendidos os limites do uso das tecnologias digitais pelos professores. Pois não se pode esperar que plenamente se crie ou se invente, sob condições aviltantes de trabalho e de vida.
[15:01] <+Rosilene> A análise aqui trazida, e de outros estudiosos do tema, está melhor desenvolvida no livro Sociedade & Tecnologias Digitais em Rede: Desafios à Formação de Competência Crítica, organizado por mim e pela Profa. Suzana Gomes (FaE-UFMG), a ser brevemente lançado pela Editora Junqueira&Marin.
[15:01] <+Rosilene> Muito obrigada a todos pela oportunidade de participar neste evento. A forma como ele está organizado e pensado demonstra a possibilidade prática de se concretizar com sucesso um conceito de utilização socialmente relevante das tecnologias na educação.
[15:01] == mode/#stis [-mz] by daniervelin

[15:01] <+Rosilene> Parabenizo e agradeço em especial aos organizadores desta conferencia, a todo o Grupo Texto Livre da FALE-UFMG, a Adelma Araújo por sua competência e colaboração.
[15:01] <@daniervelin> muito obrigada, professora Rosilene
[15:02] <@daniervelin> convidamos então os participantes para discutir os temas abordados pelas conferencistas
[15:02] <Elisabeth> Estamos conectados no polo de Alterosa mas não estamos conseguindo assitir, O que devemos fazer?
[15:02] <MARCOS-UEMG> Muito bem! brilhante apresentação das duas professores
[15:03] <@daniervelin> Elisabeth, as conferências ocorrem só por escrito aqui no chat
[15:03] <MARCOS-UEMG> Me identifico muito com os dois temas, pois sou professor de tecnologias da informação e comunicação na Universidade do Estado
[15:03] <@adelmaa> Somos nós que agradecemos pela sua presença e brilhante exposição, Rosilene. 
[15:03] <neivagomes> As apresentações foram excelentes e bem significativas.
[15:04] <Frankiele> Eu também atuo nesta área e vemos o desafio que é para os professores utilizarem as TICs a favor da educação.
[15:04] <belcoimbra> Muito Bom!!! clap clap clap!!
[15:04] <cvcosc_> E' sempre bom ouvir a Denise e a Rosilene. Parabe'ns 'as duas pelas apresentacoes
[15:04] <Morgana__> Excelente! Parabens!
[15:04] <MARCOS-UEMG> No tocante ao primeiro tema, gostaria de sugerir a Professora Dra. Denise. que acrescente em suas pesquisas o tema conectivismo.
[15:04] <ester_> Excelente contribuição!
[15:04] <Neffer> Muito boa as apresentações!
[15:04] <Frankiele> Ultrapassar aquele "medo" ao diferente e depois estar aberto para conhecer novas ferramentas e como elas podem auxiliar na educação, como o caso do prezi.
[15:04] <sil_> Muito esclarecedora professoras, parabens!
[15:04] <BrunoForgiarini> <o/ clap, clap,clap!
[15:05] <MARCOS-UEMG> que nos dá margens a outros campos de estudos.
[15:05] <Jorgelina> clap, clap,clap!
[15:05] <moilobato> ótimo gente, mas cheguei atrasado.. não teria como me enviar o código do slide pra eu estudar melhor? =D
[15:05] <hmlins> muito significativas as contribuições das profas. Denise e Rosilene...Temos discutido alguns desses aspectos aqui na FE/UNICAMP e certamente essa conversa nos apoia...
[15:05] <GonzaloAbio> Muito obrigado professoras pelas interessantes palestras. Professora Denise, gostaria de comentar que uma resenha do livro mencionado de 2013 pode ser vista em http://ensinodelinguascomtic.wordpress.com/2013/11/28/resenha-do-livro-ambientes-digitais-reflexoes-teoricas-e-praticas-braga-2013/ Uma pergunta para Rosilene e Denise: Muitos professores não incorporam as tecnologias nas práticas escolares com seus alunos, não por não
[15:05] <debora_> excelente
[15:05] <neivagomes> Então, devemos ter a cautela de como utilizar as TICs em sala de aula?
[15:05] <Elisabeth> Agradeço Daniel! Estamos com dificuldade pois é a primeira vez que o polo de Alterosa participa.
[15:05] <MARCOS-UEMG> REDES SOCIAIS, HEUTAGOGIA E SOCIEDADE DO CONHECIMENTO.
[15:05] <Adriane> Eu gostaria de saber o que as palestrantes consideram sobre autoria colaborativa... de que forma que isso favorece na leitura e intervenção do/no mundo, e se o prezzi pode ser um espasso de autoria colaborativa
[15:05] <@daniervelin> moilobato, só a primeira conferência teve código: denise
[15:05] <roen__> Gostei mito de como os aspectos foram interligados, principalmente, no que se refere ao letramento, aos recursos e as possibilidades de dinamização da construção do conhecimento, reconhecendo a identidade em transformação da sociedade dita moderna.
[15:06] <moilobato> obrigado.
[15:06] <GonzaloAbio> (Cont). Muitos professores não incorporam as tecnologias nas práticas escolares com seus alunos, não por não saber, mas porque não querem ter mais trabalho. Na realidade, independentemente de todas as vantagens e necessidades de letramento digital, a utilização intensiva ou extensiva das tecnologias na educação implica mais carga de trabalho para esses professores. Como vocês entendem esse paradoxo e o que poderiam recom
[15:06] <MARCOS-UEMG> Acreditoque sim, pois o professor deve primeiro se apropriar do conhecimento para depois então utilizá-lo como recurso
[15:06] <Guest21266> Parabéns pelas palestras! Foram objetivas e trazendo aspectos importantes sobre o uso das TICs na Educação.
[15:06] <neivagomes> Como podemos ter acesso ao material das duas apresentações?
[15:06] <+Rosilene> Gonzalo a questao da nao incorporaçao das TIC na sala de aula e muito ocmplexa, alem das precarias condicoes de trabalhodos professores, as politicas educacionais em curso nao sao muito eficazes.
[15:07] <Thaiz> Parabéns pelo incentivo e inovação à aplicabilidade de novos recursos à sala de aula contemporânea!
[15:07] <cristiane> é necessário o professor está em permanente formação continuada
[15:07] <Adriane> ops, espaço
[15:07] <BrunoForgiarini> Ótima resenha, GozaloAbio. Acompanho as notícias do seu blog. òtimo trabalho.
[15:07] <@daniervelin> neivagomes, os registros ficarão no site do stis
[15:07] <cristiane> utili
[15:07] <roen__> também tenho dúvida de como ter esse materia das palestras para ser revisto.
[15:07] <cvcosc_> Ate' que pondo as TICs sao para uso do professor para fazer material didatico ou para o aluno produzir materiais que vao resultar na construcao de conhecimento?
[15:07] <cvcosc_> *ponto
[15:08] <+Denise__> Marcos, obrigado pela sugestão. No momento, tenho tentado entender como as interações na rede podem favorecer participação social e política.
[15:08] <neivagomes> Obrigada, daniervelin!
[15:08] <Val_> Ótimo!!! muito obrigada pela ótima oportunidade!!!
[15:08] <MARCOS-UEMG> Desde que o planejamento da tarefa seja bem feito
[15:08] <+Rosilene> De fato, toda e qualquer tecnologia, ao ser incorporada no processo de trabalho, vai intensifia-lo, ou seja, o trabalhador professor tera sua força de trabalho mais explorada.
[15:09] <GonzaloAbio> Obrigado, Bruno.
[15:09] <neivagomes> Eu também me identifico com as TICs para desenvolver no ensino da educação da básica.
[15:09] <MARCOS-UEMG> Sugiro as idéias da professora Andreia Filatro para planejamento
[15:09] <+Rosilene> Por isto exigir do professor a integraçao das TIC requer que eles sejam remunerados com dignidade, penso eu.
[15:09] <Heloisa_> Que fantástico! Maravilhoso ler que a "competência humana continua sendo o essencial no processo de ensino-aprendizagem.
[15:09] <+Denise__> Carla, acho que o professor tem que ter clareza da póssibilidade de contar com tipos de materiais usados para fins pedagógicos que vão além do texto escrito a que estamos acostumados. Acho que, em termos de colaboração, o aluno é que constroi o conhecimento, mas isso coloca o professor no papel de moderador, o que é novo na nossa experiência de ensino.
[15:10] <Guest21266> As palestras também nos fazem pensar na forma do professor abordar o conteúdo em sala. Como exemplo, cito o modelo flipped classroom ( sala de aula invertida ) cujo propósito é tornar o tempo de sala de aula mais dinâmico e voltado para o aluno com o auxílio de várias tecnologias.
[15:10] <hmlins> pode ser exploradora, mas tb pode ser libertária...usar livro didático tb é alienar o trabalhador e  explorá-lo, ainda que sob aparente facilitação...
[15:10] <cristiane> o uso de tecnologia digital enriquece a aula, deixa os alunos motivados
[15:10] <cvcosc_> Voce tem toda razao, Denise.
[15:10] <GonzaloAbio> Obrigado, professora Rosilene.
[15:10] <educartem> Entendo que essa integraçao do professor com as TIC deve ser um requisito básico de formaçao continuada.
[15:11] <Thaiz> Acreito tb que o professor deva primeiro conhecer a REALIDADE de onde se trabalha (questão sócio-cultural) para por em prática essas competências.
[15:11] <MARCOS-UEMG> Com certeza os alunos de hoje são mais autônomos e motivados pelas Tecnologias da informação
[15:11] <hmlins> quer dizer, o livro ou as TIC podem ser exploradores...mas podem ser libertários!!
[15:11] <Thaiz> Encantada com a palestra. Parabéns!!!
[15:11] <+Denise__> O livro didático e todo material utilizado em sala de aula pode tanto instigar à crítica, como promover reprodução social. Depende muito do uso que o professor faz dele e isso vai depender da sua postura polítca e domínio na área
[15:11] <Adriane> podem também ser autores!
[15:11] <Guest68782> adorei a palestra
[15:12] <hmlins> pois é...concordo, Denise...são instrumentos...
[15:12] <cristiane> depende do planejamento
[15:12] <+Rosilene> Ha um estudioso da questao que creio ser pouco ocnhecido no Brasil, Fernando Albuquerque, da Universidade de Lisboa, para quem quiser aprofundar.E Portugal tem muito chao no uso de tecnologias em sala de aula. Vale a pena conferir.
[15:12] <Thaiz> Estou certa Rosilene??
[15:12] <hmlins> essa ideia de que o professor NECESSARIAMENTE vai ter mais trabalho com as TIC é que não pode ser naturalizada tb...
[15:12] <GonzaloAbio> Mais uma vez, parabéns para as professoras palestrantes e também quero agradecer à comissão organizadora destes encontros mensais pela oportunidade de disseminar o conhecimento.
[15:13] <educartem> Nao entendo um profissional distante de suas ferramentas de trabalho e o uso de TIC na educaçao é fundamental na
[15:13] <cvcosc_> Frequentemente tenho a sensacao de que se nao houver uma mudanca mais radical da estrutura e das perspectivas pedagogicas da escola fica dificil usar as tecnologias de uma forma realmente interessante e enriquecedora do processo de ensino-aprendizagem. Acho complicado, por exemplo, usar computadores em aulas de 50 minutos. O que voces acham? Da' pra usar as TICs sem mudar muita coisa na escola?
[15:13] <Elisabeth> Adoramos a palestra, Estamos no polo de Alterosa MG eu e minha amiga Ana Claudia, ambas alunas do curso de Pedagogia da UNIP
[15:13] <educartem> época em que vivemos.
[15:13] <+Rosilene> Concordo com vc Thaiz, conhecer o meio social e fundamental.
[15:14] <Elisabeth> Qual o código para assistrir a nova palestra?
[15:14] <GonzaloAbio> a primeira coisa que acontece no uso de aulas enriquecidas pelas TIC é a necessidade de mudança dos tempos e horários.
[15:14] <cristiane> as tecnologias estão em todo lugar na sociedade hoje
[15:14] <Thaiz> Obrigada Rosilene! Vc foi fantástica na palestra! Parabéns a todos da organização.
[15:14] <Ailton> Olá cvcosc_ na minha opinião dá sim e os resultados são muito positivos. Experiencia própria.
[15:14] <+Denise__> Adriane, o prezi é uma ferramenta com recursos que potencializam essa autoria colaborativa e isso dá para o professor algumas possibilidades de direcionamento de atividades que também podem ser explorados em outros ambientes da Web.
[15:14] <neivagomes> Através das duas palestras ampliaram os meus conhecimentos sobre educação com a tecnologia e também outros teóricos.
[15:14] <educartem> Acho que sim. Talvez nos preocupamos tanto em mudar a escola e nos esquecemos de fazer a realidade.
[15:14] <+Rosilene> Para usar as TIC em 50 minutos o bom e uma lousa digital portatil e computador portatil, desde que haja projetor e quadro branco na sala.
[15:14] <cvcosc_> Eu tambem acho Gonzalo.
[15:15] <educartem> Uma boa sugestao para os 50 minutos é trabalhar de modo cooperativo entre os profissionais. Penso eu. seria uma estrategia.
[15:15] <GonzaloAbio> essa constatação de mudança do tempo de aula, acontece logo de início nas aulas com modelos 1:1 ou similares. :-)
[15:15] <MARCOS-UEMG> Estou na Universidade do Estadod e Minas Gerais - Unidade Carangola. Aqui eu incentivo o uso das tics na graduação e tento formar professores conscientes dos benefícios
[15:15] <Adriane> Denise__: você acha que isso pode mudar o lugar do aluno na construção da sua autoria? da autoria do seu conhecimento?
[15:15] <+Rosilene> Tambem as salas-ambiente resolvem um pouco a questao do curto tempo. Se o professor tiver todo o material organizado em umasala, os alunos mudam de sala. Isto tem potencializado os processos.
[15:15] <cvcosc_> Que bom saber disso Ailton. Voce podia compartilhar esse seu trabalho com a gente!
[15:16] <Lailton> hhh
[15:16] <Lailton> rosilene fico preocupado com a ideia sempre esbarrar no salário dos professores
[15:16] <Ailton> Olá educartem essa estratégia seria a mais correta, onde o professor regente ficaria com umsuporte de um especialista, e juntos trabalhando tanto a parte de desenvolvimento de projetos, assim como, sanando as dificuldadeds dos alunos encontrado nos conteúdos, e tendo como auxilio o computador.
[15:16] <educartem> Penso que poderíamos utilizar as TIC em conjunto com outros profissionais da escola. cada dia ou semana enfocando um tema....
[15:16] <GonzaloAbio> como mesmo deveria haver espaços adequados para as aulas de língua estrangeira, coisa que é rara nas escolas. :-(
[15:16] <+Denise__> EM relação à autoria, a escola, antes das TICs, favorecia atividades de sistematização e verificação de conhecimento. Hoje, as metodologias apontam para construções coletivas em moldes semelhantes ao que ocorre com a construção da cultura fora da escola. A grande diferença, me parece, é um movimento na direção de usos de conceitos como ferramentas para interpretação e ação na realidade prática.
[15:16] <MARCOS-UEMG> Fiz uma pesquisa sobre a teoria da aprendizagem Concetivista e descobri que ela pode ser usada para embasar o ensino semipresencial
[15:16] <educartem> unindo disciplinas e horarios
[15:17] <debora_> adorei participar.... quantas coisas o professor deve saber
[15:17] <educartem> 2 aulas de 50 minutos de matematicas e 1 de Português por exemplo...
[15:17] <neivagomes>  o software Prezi já ouvir sobre o mesmo  uma apresentação mais dinâmica e interativa.
[15:17] <+Rosilene> Mas isto nao pode ser esquecido nunca Lailton, enquanto o problema persistir. Eu falo disto, mas falo muito mais das posssibilidades de usos das TICs.
[15:17] <educartem> Com o Prezi se pode organizar atividades inter e multidisciplinares...depende do grupo de profissionais.
[15:18] <+Denise__> Pessoal, tenho agora uma reunião e preciso me despedir. Obrigada pela oportunidade e pela audiência.
[15:18] <+Denise__> FOi um prazer :)
[15:18] <educartem> Obrigada Denise.
[15:18] <cvcosc_> Um beijo grande, Denise!
[15:18] <Guest21266> ok. Parabéns pela iniciativa. Abraço.
[15:18] <Heloisa> O prazer foi nosso Professora.
[15:18] <Thaiz> Beijo grande, Denise!
[15:18] <debora_> que pena q ainda encontramos algumas dificuldades para inserir as tic's
[15:18] <Ailton> Uma outra alternativa que temos são os softwares educacionais, com foco no conteúdo, no Brasil já existem várias incubadoras, que desenvolveram esse projeto está dando muito certo.
[15:18] <Adriane> muito bom! agradeço a oportunidade!
[15:18] <cristiane> Trabalho com educação a distância na formação de professores e acredito que está sucesso em muitas salas de aula,
[15:18] <renata> Obrigada denise
[15:19] <Ailton> Abraços.... foi um prazer em poder participar.
[15:19] <debora_> Obrigada professoras...
[15:19] <GonzaloAbio> até pode ser um Power Point "apreziado", mas o uso demasiado das apresentações substituíndo o trabalho do professor, em lugar de facilitar ou enriquecer as aulas, pode atrapalhar ou até impedir que a aula seja boa.
[15:19] <cvcosc_> O tempo passa muito rapido quando a conversa esta' boa.
[15:19] <educartem> pois é.
[15:19] <Ailton> Quem quizer falar mais sobre as TICs em sla de aula, me adicione no Face: Ailton Adriano
[15:19] <Ailton> Abraços à todos.
[15:19] <Elisabeth> Qual o código para acessar a palestra?
[15:19] <educartem> uma grande oportunidade. Poderíamos discutir mais vezes e ampliar
[15:19] <debora_> vdd ainda nem almoçei
[15:20] <+Rosilene> Gente, coordeno o nucelo Pr@xis de Educação e Tecnologias na FaE, oferecemos oficinas todo semestre, ainda sao so presenciais. Semana que vem serao abertas as inscirções gratuitas.
[15:20] <cvcosc_> Podiamos mesmo!
[15:20] <Heloisa> Ailton, está encerrado?
[15:20] <Ailton> ok
[15:20] <@adelmaa> Denise , goso STIS te agrdece pela brilhante exposição e espera conta com sua presnça em outros eventos.
[15:20] <hmlins> só uma opinião: acho que a aula pode e deve transbordar o tempo da escola...pode seguir por outras vias digitais, posteriormente...aquilo que Lévy chama de "inteligências coletivas"...Os alunos acessam isso depois, se forem instigados...a aula continua!!!
[15:20] <educartem> Estou de acordo hmlins'
[15:20] <cvcosc_> e' uma solucao.
[15:21] <hmlins> obg, Denise e Rosilene! A aula continua, a partir do que puderam contribuir nesse curto espaço de tempo...abs
[15:21] <Rubens> as discussões apresentadas são relevantes para a melhoria do trabalho com as TICs.
[15:21] <Adriane> para quem tiver a oportunidade, semana que vem teremos aqui, na UESC, a palestra : "Comunicação Audiovisual e Educação em Ciências: relações (im) possíveis”. maiores informações em http://www.uesc.br/eventos/saec/
[15:21] <educartem> O que estamos fazendo aqui por exemplo poderiamos fazer em classe tambem
[15:21] <educartem> Trabalho com formaçao de professores
[15:21] <Adriane> assim vamos ampliando as redes de contato...
[15:22] == Suzi has changed nick to Guest99604
[15:22] <GonzaloAbio> Não é propaganda (muito menos comenrcial) :-) mas gostaria de aproveitar a aportunidade e divulgar um grupo no FB para professores de línguas estrangeiras interessados nas tecnologias que coordena a profa. Jorgelina Tallei https://www.facebook.com/groups/1436984056513649/itar a oportunidade
[15:22] <cvcosc_> ou melhor ainda, fora da classe. eu adoraria ter um chat com meus colegas como tarefa escolar kkk
[15:22] <educartem> e cursos online com a utilizaçao de plataformas WEBinar, etc
[15:22] <Elisabeth> Não estamos conseguindo visualizar os slides. Qual o código?
[15:22] <cristiane> agradeço a participação nessa discussão e espero poder participar outras vezes
[15:22] <educartem> Formaçao de professores e atualizaçao profissional para docentes de Espanhol
[15:22] <Heloisa> denise é o código
[15:23] <educartem> Gostaria de receber trabalhos ou atividades,etc
[15:23] <cvcosc_> Obrigada a todos.
[15:23] <educartem> Espero outras oportunidades para compartilhar exxperiencias com vocês. Obrigada a todos.
[15:23] <neivagomes> Sim, Heloisa!
[15:24] <sil_> obrigada pela oportunidade.
[15:24] <Elisabeth> Não tem como assistir essa palestra atraves de videoconferencia?
[15:24] <educartem> Alguem trabalha com Adobe connect???

[15:24] <@adelmaa> Gostaríamos de agradecer as nossas conferencistas convidadas profª Drª  Denise Bertóli Bragae ( e ao Junot)  e a Profª Drª Rosilene Horta pelas brilhantes participações, encantadoras, na verdade.
[15:24] <Heloisa> Obrigada!
[15:24] <+Rosilene> Obrigada a todos os participantes por suas complementações ao que foi apresentado, Muito rica a discussão aqui.
[15:24] <sil_> ateh a proxima
[15:24] <@adelmaa> apresentações e pelos profundos ensinamentos aqui construídos por todos.
[15:24] <educartem> Obrigada
[15:24] <@adelmaa> São educadores como você que nós fazem acreditar que a frase do Pietro Ubaldi já não pode ser lida no tempo futuro: "O próximo grande salto evolutivo da humanidade será a  descoberta de que COOPERAR é melhor que competir." Obrigada mestras!
[15:24] <@adelmaa> Agradecemos a todos os participantes do Brasil e de nossos países irmãos vizinhos do mercosul pela honrosa presença.
[15:24] <@daniervelin> gostaria de agradecer mais uma vez às professoras Denise e Rosilene pela brilhante participação!
[15:24] <@adelmaa> Para ter acesso a todas as palestras do STIS basta clicar do lado direito da página em registro, em seguida clicar na palestra escolhida  e quando esta janela se abrir clicar abaixo dos resumo em onde esta escrito registro aqui (em azul) 
[15:25] <@adelmaa> Para receber o certificado deste evento basta encaminhar uma mensagem para o STIS neste endereço:   stis@textolivre.org com os seguintes dados: nome completo e apelido usado durante o evento.
[15:25] <@adelmaa> Em nossa próxima conferência STIS debateremos o tema: ESCOLA CONSERVADORA X ALUNOS INOVADORES
[15:25] <GonzaloAbio> Colegas, devo sair para outras tarefas. Agradeço esta oportunidade. Até a próxima!!
[15:25] <hmlins> obg, Adelma e Daniervelin...
[15:25] <thalitafelicio> eu que agradeço pela oportunidade de acompanhar a palestra
[15:25] <@adelmaa> Dia: 18 de abril de 2014 Hora: 14:00 horas
[15:25] <@adelmaa> Conferencistas convidados:  Prof Dr. José Carlos Paes de Almeida Filho - UNB Prof. Cláudio de Musacchio - PGIE/UFRGS

[15:25] <neivagomes> Não dar certo o link para GonzaloAbio?
[15:25] <@adelmaa> Dia 18 de abril de 2104 Hora: 14:00 horas
[15:25] <+Rosilene> Meu abraço a todos!
[15:25] <Ailton> Esse tema é interessantíssimo @adelma.
[15:26] <cvcosc_> Um abraco, Rosilene! Obrigada, Adelma de Rani!
[15:26] <@adelmaa> Obrigada Carla pela visita tão querida. Obrigada a todos e não se esqueçam no próximo mês temos mais duas conferências imperdíveis.
[15:27] <GonzaloAbio> Desculpem, o link do grupo no FB e https://www.facebook.com/groups/1436984056513649/
[15:27] <@adelmaa> Divulguem nosso trabalho,
[15:27] <GonzaloAbio> pois saiu incorreto na primeira vez. :-( Até a próxima, colegas!!
[15:27] <neivagomes> Obrigado GonzaloAbio!
[15:27] <belcoimbra> Amei as palestras!!! Obrigada!!!
[15:27] <BrunoForgiarini> Pode deixar que divulgarei na nossa lista do PPGL daqui da nossa Universidade.
[15:28] <belcoimbra> Até!!!
[15:28] <Tanisse> Ótimas abordagens, até a próxima!!
[15:28] <Adriane> muito obrigada pela oportinidade! também ficarei esperando a próxima!
[15:28] <@adelmaa> Obrigadíssima. Qualquer dúvida, entrem em contato pelo nosso e-mail.
[15:28] <@adelmaa> Será um prazer receber sugestões de melhorias,críticas e questionamentos de todos vocês.
[15:29] <rivaniatrotta> Ótimas palestras, obrigada às palestrantes.
[15:29] <roen__> também estarei aqui na proxima. sou do IF de Brasília.
[15:30] <Jefferson> Gostei muito das palestras... até a próxima.
 [15:31] <neivagomes> Gostaria de ter as apresentações em arquivos.
[15:32] <@adelmaa> Neiva, todas elas estão gravadas e disponibilizadas no nosso site.
 [15:32] <@adelmaa> Estamos incluindo, inclusive, a forma de citação bibliográfica também após cada palestra.
[15:33] <@adelmaa> Olhe, seremos gratos se vocês nos relatassem quais foram as dificuldades encontradas para acessar nossa página.
[15:35] <@adelmaa> Oferecemos, em breve, na nossa página, um tutorial para o participante STIS. 
[15:36] <Karine> Gostaria da apresentação também.
[15:36] <JULLY> Achei a discussão muito enriquecedora, mas não consegui acessar os slides, mesmo no link que passaram
[15:36] <neivagomes> Certo, irei ao site para ver os materiais adelmaa.
[15:36] <@adelmaa> Estamos,portanto,encerrando agora nosso evento. Vejo vocês em abril! Até lá!
[15:37] <debora_> tchau.... adorei a palestra espero ser convidada para outras.bjsss
[15:37] <neivagomes> Oh, já gostei bastante.
 [15:38] <neivagomes> Inclusive sobre as ideias sobre as duas apresentações.
[15:38] <@adelmaa> Obrigada, neivagomes! Obrigada a todo(a)s!
[15:39] <neivagomes> Tchau, até abril....

Como citar estes textos:
Braga,  Denise Bertoli. Letramentos digitais: reflexões sobre questões básicas. In: STIS - Seminários Teóricos Interdisciplinares do Semiotec. Ano IIII, 2014. Disponível em: citar página. Acesso em: 21 mar. 2014.
Tavares,  Rosilene Horta. Usos das TIC na sociedade contemporânea:a produção de materiais didáticos com o uso do software Prezi. In: STIS - Seminários Teóricos Interdisciplinares do Semiotec. Ano IIII, 2014. Disponível em: citar página. Acesso em: 21 mar de 2014.

 

Todos os trabalhos aqui publicados estão licenciados segundo a Creative Commons

Creative Commons TL Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

Based on a work at Texto Livre.