STIS 2019

ABRIL: Semiótica e Tecnologia

registro de abril/19

Registro da Conferência em chat escrito, de 10 de abril de 2019:

 

Pesquisas em Semiótica e Tecnologia 2019

Prof.ª Natália Giarola da Silva

Prof.ª Vívian Pinto Riolo

Prof.ª Crislaine Junqueira Aguiar Silva

Prof.ª Rafaela Damasceno

 coordenador de mesa:  Ana Carolina Noronha

moderador/coordenador do bloco: Ana Matte

Vídeos: Natália Giarola (clique aqui) e Rafaela Damasceno (clique aqui)

 

LOG (REGISTRO:

[STIS Abril/2019: Natália Giarola, Vívian Riolo, Crislaine Silva e Rafaela Damasceno dia 10/19 às 19h30 || resumos: http://stis.textolivre.org/site/] || Codigos , dos slides: abreAbril2019 giarola2019 riolo2019 csilva2019 damasceno2019

 

===================================================================

[19:38] <+AnaMatte> Pessoal, sou a Ana Matte, Coordenadora do Grupo Texto Livre, e, em nome do Grupo, agradeço a presença de cada um, em especial conferencistas e coordenadora, pois o STIS é uma troca, de pessoas para pessoas interessadas em interdisciplinaridade.

[19:38] <+AnaMatte> O Grupo Texto Livre dedica-se desde 2006 a promover a integração de atividades acadêmicas com o Software Livre e suas comunidades, sempre no melhor espírito da Cultura Livre e da Ciência Aberta.

[19:38] <+AnaMatte> Promovido desde 2011 pelo grupo Texto Livre, o STIS privilegia a interação no chat escrito em virtude da abertura de acesso que o registro das conferências, após as mesmas, garante.

[19:39] <+AnaMatte> A média de acessos, se comparadas as páginas de divulgação, que ficam em destaque no site, e as páginas de LOGs (registros) é, em média, 20% maior nos logs, não sendo raro registrar mais de 1500 (e, em algumas dezenas de casos, mais de 2000 até agora) acessos após a conferência.

[19:40] <+AnaMatte> Lembretes bons de lembrar: a) para receber o certificado de participação, além da presença é necessário preencher o formulário disponível na página do STIS. b) cole frases curtas, no máximo 2 linhas A4, para que o chat não corte sua mensagem. c) use preferencialmente um nick do tipo nomeSobrenome para evitar confusões.

[19:40] <+AnaMatte> O certificado será encaminhado por e-mail no decorrer da semana.

[19:41] <+AnaMatte> é necessário preencher o formulário do site para receber o certificado, o que deve ser feito no máximo hoje

[19:41] <+AnaMatte> no site do stis

[19:41] <+AnaMatte> É sempre bom lembrar que a sala ficará moderada: somente quem tiver voz ou op poderá enviar mensagens no chat enquanto o canal estiver moderado.

[19:41] <+AnaMatte> As intervenções do público silenciadas até o final das apresentações, em seguida abrimos para a interação até às 21h.

[19:41] <+AnaMatte> Para dar início às atividades, convido para coordenar esta mesa a prof.a Ana Carolina Noronha, pesquisadora em Semiótica, concluindo doutorado em Semiótica e Linguística Geral pela USP, sob orientação da professora Diana Luz Pessoa de Barros.

[19:42] <+AnaMatte> AnaNoronha, a postos?

[19:42] <+AnaNoronha> boa noite a todos! É uma grande alegria estar com vocês esta noite.

[19:43] <+AnaNoronha> AnaMatte, muito obrigada por esta oportunidade!

[19:43] <+AnaMatte> nós é que agradecemos, AnaNoronha

[19:43] <+AnaNoronha> sobre mim, rapidamente: Eu sou a Ana Noronha, sou pesquisadora da área de linguística e semiótica na USP e meu objeto de estudo é ligado à educação e à internet. Pesquiso planos de aula online.

[19:43] <+AnaNoronha> VAmos começar?

[19:44] <+natalia_giarola> sim

[19:44] <+natalia_giarola> boa noite a todos

[19:44] <+AnaNoronha> Estamos iniciando uma mesa redonda com o tema Pesquisas em Semiótica e Tecnologia 2019.

[19:44] <+AnaNoronha> Temos seis perguntas para cada uma das nossas quatro conferencistas.

[19:45] <+AnaNoronha> a primeira pergunta é:

[19:45] <+AnaNoronha> 1) Como você se situa na área de pesquisas em Semiótica e Tecnologia? (fale um pouco também sobre sua integração ao laboratório Semiotec e à vida acadêmica).

[19:45] <+natalia_giarola> Então, eu venho de uma graduação em Comunicação Social – Jornalismo na UFSJ, da qual já desenvolvi pesquisas no âmbito das redes sociais, mas com foco principal em Comunicação Política.

[19:45] <+natalia_giarola> No Mestrado, em Análise do Discurso, concluído no final de 2017 também na UFSJ, comecei a trabalhar com a teoria semiótica de linha francesa, no que tange a Semiótica das Paixões.

[19:45] <+natalia_giarola> Na ocasião, meu objetivo era investigar como a paixão mobiliza o ciberativismo nos comentários das fan-pages do Movimento Brasil Livre (MBL) e Frente Brasil Popular.

[19:46] <+AnaNoronha> natalia_giarola: podemos começar com você :)

[19:46] <+natalia_giarola> sim, claro

[19:46] <+natalia_giarola> já até me adiante.kkk

[19:46] <+AnaMatte> :)

[19:46] <+AnaNoronha> natalia_giarola: ótimo!

[19:47] <+natalia_giarola> reiniciando

[19:47] <+AnaNoronha> Vivian_Riolo: sua vez

[19:47] <+natalia_giarola> Em 2018, fui aprovada no Doutorado em Linguística da UFMG, vindo a integrar a linha de Linguagem e Tecnologia, sendo orientada pela Prof. Ana Cristina Frick Matte. Na ocasião, comecei também a participar do laboratório de Semiotec.

[19:47] <+Vivian_Riolo> Boa noite a tod@s!

[19:47] <+Vivian_Riolo> Meu nome é Vivian Pinto Riolo, sou doutoranda na UFMG/Poslin/Semiotec, sob a orientação da professora Ana Cristina Fricke Matte, e também sou professora no Instituto Federal do Espírito Santo.

[19:48] <+Vivian_Riolo> A pesquisa sobre a qual eu tenho me debruçado é sobre as narrativas publicitárias nos diferentes dispositivos tecnológicos, percebendo como são elaboradas as possibilidades de argumentação em função da mídia utilizada.

[19:48] <+AnaNoronha> quais mídias você está utilizando, Vivian_Riolo ?

[19:48] <+Vivian_Riolo> Iniciei minha pesquisa na graduação (UFES) e avancei para o mestrado (UFES/ Gebakh) tendo como corpus os testemunhais publicitários que circulavam na TV aberta com as restrições que esse dispositivo de comunicação apresenta,

[19:48] <+Vivian_Riolo> tais como brevidade no tempo da publicidade, possibilidade de visualização de acordo com a programação da emissora e impossibilidade de interação prática entre os interlocutores, sendo de certo modo, um ato unilateral, sem a possibilidade da resposta imediata.

[19:49] <+Vivian_Riolo> É fato que a interação a partir desse dispositivo acontece, e o ato responsivo, em termos bakhtinianos, também ocorre, mas em termos distintos do que a Web 2.0 propõe na atualidade. Com o advento dessa nova tecnologia, é possível dar voz ao público nas redes sociais de modo que o enunciado se amplie nos elos da cadeia comunicativa.

[19:49] <+Vivian_Riolo> Nesse sentido, as publicidades, em uma perspectiva transmidiática, propõem ao nicho de interlocutores que tem afinidade com as redes sociais a possibilidade do diálogo de forma prática e visível e, assim, de autor contemplador, passa a ser também um agente que contribui para a publicização dos valores e ideologias que a instituição promove em seus discursos, sobretudo quando curte, comenta ou compartilha uma publicaçÃ

[19:50] <+Vivian_Riolo> As publicidades que antes tinham hora marcada para passar em rede nacional, podem agora ser acessadas por um click a tempo e fora de tempo. A duração em 30 segundos não é mais um problema e o auditório passa a ser sócio de dada instituição quando interage com as histórias ampliando esse discurso ao levar a publicidade de horário restrito aos seus contatos que talvez sequer teriam acesso a esses enunciados.

[19:50] <+Vivian_Riolo> Nesses aspectos é que tenho tentado inserir as principais discussões sobre as tecnologias no meu trabalho.

[19:50] <+Vivian_Riolo> E o contato com as propostas do Semiotec tem me feito pensar ainda mais sobre outros elementos semióticos que um estudo que leve em conta a tecnologia precisa demonstrar, tais como os elementos e processos de semiotização do discurso que são possíveis de se depreendeer por meio de textos verbo-voco-visuais tão caros a essas tecnologias nas quais tenho inserido meu objeto de estudo.

[19:51] <+AnaNoronha> Vivian_Riolo: muito bom.

[19:51] <+AnaNoronha> Vivian_Riolo: você finalizou sua resposta à pergunta 1?

[19:52] <+Vivian_Riolo> Sim, obrigada!

[19:52] <+Vivian_Riolo> A Natália chegou a concluir a resposta dela? Parece-me que ficou pelo caminho.

[19:52] <+AnaNoronha> eu que agradeço!

[19:52] <+AnaNoronha> natalia_giarola: você tinha terminado a sua resposta?

[19:53] <+natalia_giarola> Ainda não.

[19:53] <+AnaNoronha> continue, por favor

[19:53] <+natalia_giarola> sim

[19:53] <+natalia_giarola> então, Minha pesquisa se situa na linha de tecnologia, porque utilizo softwares livres para fazer a leitura das bolhas de interação nas fan pages que estudo – Direta Vive 3.0 e Deboas na Revolução.

[19:53] <+natalia_giarola> Os softwares usados são o Netvizz, que coleta os dados no Facebook, e o Gephi, que faz a leitura e monta as garfos dos dados coletados.

[19:54] <+natalia_giarola> Em relação à Semiótica, eu a utilizo como teoria e metodologia, tanto a semiótica standard, para a análises dos discursos preconceituosos e intolerantes (BARROS, 2008, 2011).

[19:54] <+natalia_giarola> Além, da semiótica tensiva (ZILBERBERG, 2006, 2011) e a Sociossemiótica (LANDOWSKI, 1991, 2002, 2014), para tratar questões sobre o acontecimento e as interações.

[19:54] <+natalia_giarola> Agora, finalizei.

[19:54] <+AnaNoronha> sim, Diana Barros tem desenvolvido uma pesquisa muito importante nessa área de discursos de intolerância

[19:54] <+natalia_giarola> Obrigada!

[19:54] <+natalia_giarola> AnaNoronha: uso os textos dela como referência

[19:54] <+AnaNoronha> natalia_giarola: ótimo, obrigada :)

[19:55] <+AnaNoronha> natalia_giarola: imaginei que sim quando vi o resumo da sua pesquisa

[19:55] <+AnaNoronha> CrislaineSilva: sua vez!

[19:55] <+CrislaineSilva> Olá, boa noite a todis, sejam muito bem vindis. Me chamo Crislaine Silva, sou nordestina do Alto Sertão da Bahia, filha da pequena ilustre Caetité,

[19:55] <+CrislaineSilva> Moradora do campo até os cinco anos de idade, fiz o movimento de êxodo rural para estudar na cidade com seis anos, e mais uma vez, agora com trinta anos em busca da pós-graduação, da cidade do interior para a capital mineira, estado que faz divisa com o entorno da minha região pelo Norte de Minas – Sudoeste da Bahia.

[19:55] <+CrislaineSilva> Filha do falecido Pedreiro Orlando Silva e da Professora Nildete Junqueira, que atua na EJA a mais de quinze anos, estudei nas escolas públicas da minha cidade

[19:55] <+AnaNoronha> que lindo!

[19:56] <+CrislaineSilva> concluindo, em 2014, curso de Licenciatura em Letras/Inglês da Universidade do Estado da Bahia, campus VI.

[19:56] <+CrislaineSilva> Em 2018 obtive sucesso no processo de seleção para o Programa de Estudos Linguísticos da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais, como mestranda da área da Linguística Aplicada na linha Linguagens e Tecnologia

[19:56] <+CrislaineSilva> endo a honra de ter como orientadora a Professora Doutora Ana Cristina Fricke Matte que me apresentou à Semiótica e à filosofia dos softwares livres e das ciências abertas.

[19:56] <+CrislaineSilva> Essa trajetória aparece no recorte da minha pesquisa atual que visa trabalhar concomitantemente com a Educação de Jovens e Adultos, com a Educação do Campo e com o ensino de Língua Inglesa como Língua Estrangeira

[19:56] <+CrislaineSilva> rocurando investigar até que ponto e de que maneira o ensino de inglês em contexto rural e/ou suburbano pode contribuir para o letramento crítico e digital dos alunos jovens e adultos.

[19:57] <+CrislaineSilva> omo meio de uma geração de dados responsável do ponto de vista social, apresentei, no UEADSL 2018.2, um projeto de um curso de formação continuada para os professores que atuam nesse contexto

[19:57] <+CrislaineSilva> com o intuito de contemplar estudos basilares sobre Recursos Educacionais Abertos (REAs), Educação a Distância, Curso Online Aberto e Massivo (MOOC), Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDICs) e Gamificação, dentro da perspectiva das ciências abertas e filosofia livre.

[19:57] <+CrislaineSilva> Um curso que se preocupasse também com a implementação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), uma vez que essa não menciona a EJA em seu texto e exclui o conceito de “inclusão digital”. O público debatedor do congresso estimulou a execução da ideia e assim nasceu o curso EJA – LIVRE: tecnologias digitais para o ensino de línguas na Educação de Jovens e Adultos.

[19:57] <+CrislaineSilva> Para finalizar,

[19:57] <+CrislaineSilva> Anterior ao início do curso, foi feita a primeira escuta dos professores participantes por meio de relatos de experiência docente, possibilitando ao professor relatar toda sua trajetória escolar até chegar à docência, pontuando suas crenças, suas motivações e sua autonomia no processo de ensino/aprendizagem. Nova escuta será feita, também como relato de experiência, após a conclusão da formação para posterior de

[19:58] <+CrislaineSilva> A partir do texto gerado pelo conjunto de relatos, antes e depois da formação, pretendemos averiguar como se dá a promoção de justiça social frente ao mundo dito globalizado pela expansão das TDIC. Para tal análise recorreremos à Semiótica Discursiva e à Semiótica Tensiva que nos servirá de metodologia de análise do texto, se assim for cabível.

[19:58] <+CrislaineSilva> bem, é isso.

[19:59] <+AnaNoronha> muito bonita sua trajetória e muito interessante o seu trabalho, CrislaineSilva

[19:59] <+CrislaineSilva> Obrigada.

[19:59] <+AnaNoronha> uma sugestão:

[19:59] <+CrislaineSilva> Claro, por favor

[20:00] <+AnaNoronha> sua averiguação é sobre a percepção do professor, não sobre o aprendizado do aluno percebido por ele mesmo, certo?

[20:00] <+CrislaineSilva> isso

[20:00] <+AnaNoronha> seria legal que isso ficasse mais claro já no início da descrição da sua pesquisa

[20:00] <+AnaNoronha> :-)

[20:00] <+CrislaineSilva> certo, tomei nota. Muito obrigada, Ana.

[20:01] <+AnaNoronha> também sou professora e pesquiso sobre educação

[20:01] <+AnaNoronha> RafaelaDamasceno: sua vez!

[20:01] <+RafaelaDamasceno> Meu nome é Rafaela Pereira Damasceno. Sou graduada em Direito pela PUCMinas, pós-graduada em Contratos e, desde 2016, curso Letras na UFMG.

[20:02] <+RafaelaDamasceno> Boa noite a todos e a todas. Agradeço a oportunidade de participar desta mesa redonda. É um prazer estar aqui com vocês.

[20:02] <+AnaNoronha> nossa pergunta é

[20:02] <+AnaNoronha> 1) Como você se situa na área de pesquisas em Semiótica e Tecnologia? (fale um pouco também sobre sua integração ao laboratório Semiotec e à vida acadêmica).

[20:02] <+AnaNoronha> (para os que chegaram depois)

[20:03] <+RafaelaDamasceno> Comecei a me interessar pelo tema da minha pesquisa depois que vi uma postagem da professora Daniervelin Pereira (minha orientadora na iniciação científica) sobre o REALPTL. Se quiserem saber mais sobre o projeto, escolham apresentação de slides e digitem damasceno2019

[20:03] <+RafaelaDamasceno> Enfim, sempre me interessei pela internet e as suas diversas possibilidades. Escrevo para blogs profissionalmente e pensei que essa atividade pudesse gerar algum tema para pesquisas no meio acadêmico.

[20:03] <+AnaNoronha> RafaelaDamasceno: conte brevemente para nós, em poucas linhas

[20:03] <+RafaelaDamasceno> Sobre o REALPTL?

[20:04] <+AnaNoronha> não, sobre o seu projeto

[20:04] <+RafaelaDamasceno> A pesquisa que desenvolvo é a respeito do uso de licenças abertas em materiais didáticos e outros recursos disponíveis ao meio educacional.

[20:04] <+RafaelaDamasceno> A ideia é difundir o conhecimento sobre as licenças abertas para professores, alunos e demais profissionais da educação, a fim de que mais materiais sejam disponibilizados na web, sem as barreiras dos direitos autorais e de propriedade intelectual.

[20:04] <+RafaelaDamasceno> Nesse sentido, a pesquisa está mais voltada à tecnologia, no sentido de que a escola e a universidade estão totalmente integradas à era digital.

[20:05] <+RafaelaDamasceno> No entanto, muitos profissionais ainda não estão atualizados sobre as possibilidades que as inovações tecnológicas proporcionam à educação.

[20:06] <+AnaNoronha> RafaelaDamasceno: e como sua pesquisa se liga à área de letras?

[20:06] <+RafaelaDamasceno> Como estudante da licenciatura, é interessante que os professores em formação conheçam as possibilidades de compartilhmento de materiais didáticos e recursos educacionais no geral para a comunidade digital

[20:07] <+RafaelaDamasceno> Ao longo das pesquisas, pude perceber que pouco se sabe sobre essas possibilidades das licenças abertas

[20:07] <+AnaNoronha> trata-se de recursos educacionais voltados ao ensino de línguas ou áreas afins ?

[20:07] <+AnaNoronha> boa percepção, sem dúvida pertinente ao assunto

[20:07] <+RafaelaDamasceno> A minha pesquisa especificamente é sobre a aplicação das licenças abertas aos recursos educacionais de forma geral.

[20:08] <+AnaNoronha> muito bem :)

[20:08] <+RafaelaDamasceno> Não especificamente sobre o ensino de línguas e áreas afins. Como sou do curso de Letras e faço parte do REALPT, a pesquisa fica mais voltada para essa área. Mas ela abrange qualquer outra área do conhecimento, desde que ligada à educação

[20:09] <+AnaNoronha> entendi, obrigada!

[20:09] <+AnaNoronha> pessoal, acabei me esquecendo de apresentar as conferencistas

[20:09] <+AnaNoronha> por isso, peço a vocês que olhem os slides abreAbril2019 para poderem ver seus perfis e suas pesquisas

[20:10] <+AnaNoronha> sobre as pesquisas nós já vimos aqui, mas sobre a formação delas, é importante olhar.

[20:11] <+AnaNoronha> enquanto isso, conferencistas, se quiserem aproveitar e usar seus slides de apresentação, pode fazê-lo

[20:11] <+AnaNoronha> *podem

[20:11] <+natalia_giarola> Se quiserem saber mais sobre o projeto, escolham apresentação de slides e digitem giarola2019

[20:12] <+AnaNoronha> Nossa pergunta dois era uma solicitaçào para que definissem suas propostas sinteticamente, no entanto, acredito que isso foi incluído na resposta à pergunta 1.

[20:12] <+CrislaineSilva> Acho que acabei fazendo minha apresentação no início da resposta. Mas podem ver com mais detalhes no slide.

[20:12] <+AnaNoronha> Assim, passemos para a pergunta 3.

[20:12] <+AnaNoronha> Pergunta 3: Nossas pesquisas envolvem análises de textos: fale um pouco sobre os procedimentos usados para coleta de dados (previstos ou já realizados) e das dificuldades tecnológicas, e todas as outras que julgar relevantes, para a realização da coleta de dados?

[20:12] <+AnaNoronha> RafaelaDamasceno: podemos começar com vc?

[20:13] <+RafaelaDamasceno> Sim! Além da revisão bibliográfica, a minha pesquisa se baseia em uma experiência de extensão junto ao Instituto EducaDigital, pela plataforma REliA (https://relia.org.br)

[20:13] <+RafaelaDamasceno> Essa plataforma é uma espécie de arquivo de recursos educacionais abertos disponíveis na internet.

[20:13] <+AnaNoronha> quando terminar sua resposta, por favor indique a Crislaine para responder

[20:13] <+RafaelaDamasceno> Nela, o usuário pode buscar recursos de todos os tipos, categorizados por nível de escolaridade, idioma, área de interesse, entre outras categorias. Em cada recurso disponível, é possível verificar a informação da licença escolhida pelo autor.

[20:13] <+RafaelaDamasceno> No entanto, havia algumas licenças desatualizadas na plataforma, além de informações de direitos autorais muito genéricas, que precisavam ser especificadas, principalmente em relação às licenças Creative Commons.

[20:14] <+RafaelaDamasceno> Alguns problemas constatados ao longo da coleta de dados na plataforma forma: - Desatualização de dados: alguns domínios de sites já haviam expirado e não conseguimos encontrar o link correto;

[20:14] <+RafaelaDamasceno> - Ausência de informação sobre licenças: em outros casos, o recurso não tinha informação sobre direitos autorais; - Informações incompletas: também houve casos em que havia informação sobre direitos autorais, mas não estava clara qual era a licença, nem quais eram as suas regras.

[20:14] <+RafaelaDamasceno> foram*

[20:14] <+RafaelaDamasceno> Finalizado!

[20:15] <+AnaNoronha> desatualização de dados é mesmo um grande problema!

[20:15] <+AnaNoronha> obrigada RafaelaDamasceno

[20:15] <+RafaelaDamasceno> Sim, principalmente quando se trata de internet

[20:15] <+AnaNoronha> CrislaineSilva:

[20:15] <+CrislaineSilva> Como foi colocado, o projeto visa usar as categorias de análise da Semiótica como meio de compreender o mundo que se faz presente no discurso dos professores ouvidos.

[20:15] <+CrislaineSilva> Dentro desse mundo o professor produz sentido sobre como se dá o processo de ensino/aprendizagem de línguas nos contextos em que atua. Com a diversidade que os contextos rurais e suburbanos apresentam, espera-se encontrar respostas para as perguntas da pesquisa:

[20:15] <+CrislaineSilva> • Como a escola, o professor e o currículo buscam atender às atuais necessidades dos alunos campesinos, como público majoritário da EJA, nas escolas dos distritos? • Que resultados o trabalho pedagógico tem gerado? • Quais são os discursos dos professores atuantes nesse contexto específico?

[20:16] <+CrislaineSilva> • O que pensam sobre o ensino de Inglês como língua estrangeira nesse contexto? • O que pensam/sabem sobre letramento digital e letramento crítico? • Como foi a trajetória de aprendizagem de Inglês deles? • Como está sendo a sua vivência pedagógica num mundo tomado pelas TDICs?

[20:16] <+CrislaineSilva> • O que ficou marcado dessa trajetória no trabalho que desenvolvem? • Quais trabalhos desenvolvem? Esses trabalhos promovem um letramento crítico dos alunos campesinos? Esses trabalhos colaboram para o letramento crítico do homem do campo frente os processos de globalização? • O que sabem/pensam sobre justiça social e globalização?

[20:16] <+CrislaineSilva> Para a execução da transcrição dos relatos gravados em áudio, não foi encontrado, até o momento, um software que pudesse auxiliar nessa tarefa. O que acarretará em muito trabalho, uma vez que os áudios têm em torno de uma hora e meia de relato o que resulta, segundo estudos-piloto, em 15 a 18 páginas digitadas.

[20:16] <+CrislaineSilva> Para posterior análise, usaremos o DadoSemiótica que facilitará o processo de análise, pois disponibiliza ao pesquisador mecanismos de seleção das categorias de base do percurso gerativo de sentido, dentre outras análises que serão melhores verificadas mediante o conteúdo dos textos.

[20:16] <+CrislaineSilva> Já na execução do curso de formação continuada, enfrentamos problemas com o curto prazo entre o surgimento da ideia e a marca fim para coleta de dados. Também, por esse motivo, não obtivemos auxílio financeiro o que impossibilitou a vinda de professores colaboradores que, inicialmente, foram convidados a ministrar os módulos nos encontros presenciais.

[20:16] <+CrislaineSilva> Além disso, enfrentamos problemas com o acesso aos recursos tecnológicos digitais que seriam necessários para a execução das aulas, tais como falta de acesso à internet, baixa qualidade da internet, problemas com reserva de sala/auditório que concentrasse todo o equipamento necessário, equipamento com defeito, etc.

[20:17] <+CrislaineSilva> basicamente isso

[20:17] <+AnaNoronha> ótimo, obrigada!

[20:17] <+AnaNoronha> Vivian_Riolo:

[20:17] <+Vivian_Riolo> Se quiserem saber mais sobre o projeto, escolham apresentação de slides e digitem riolo2019.

[20:18] <+Vivian_Riolo> No meu caso, a coleta de dados se dará pelos canais institucionais das marcas selecionadas que se utilizam do Storytelling. Sobretudo, a coleta se dará a partir de marcas que produtos que promovem saúde e bem-estar, por meio de narrativas cujo tema permeie histórias de superação e autoconfiança.

[20:18] <+Vivian_Riolo> Inicialmente, a proposta se dava pelo percurso que as narrativas seguiam no tocante a organização enunciativa nas redes sociais até chegar à publicidade de fato, mas percebi que esse movimento não seria produtivo nas análises, pelo grau de dificuldade em encontrar no fio enunciativo a história que deu origem à publicidade.

[20:18] <+AnaNoronha> CrislaineSilva: transcrição de áudio é realmente um problema, ainda é.

[20:18] <+Vivian_Riolo> Então, devo me ater apenas à organização enunciativa no interior do enunciado concreto e aos regimes de interação que a narrativa já pronta propõe ao enunciatário, a fim de que ele saiba qual caminho seguir, caso queira participar do projeto discursivo de modo pontual.

[20:19] <+AnaNoronha> você já sabe quantas narrativas irá utilizar?

[20:19] <+AnaNoronha> narrativas ou peças publicitárias

[20:20] <+Vivian_Riolo> Tenho feito a coleta em uma perspectiva histórica, de 2015 (época em que fiz as análises do mestrado) até 2019.

[20:21] <+Vivian_Riolo> Uma por ano.

[20:21] <+AnaNoronha> me parece um bom número

[20:21] <+Vivian_Riolo> Esse período foi o que notei a transição dos Testemunhais para os Storytellings.

[20:22] <+AnaNoronha> você poderia explicar melhor o que isso quer dizer?

[20:22] <+Vivian_Riolo> Não que os modelos anteriores tenham caído no desuso, mas ao contrário, há uma crescente no Storytelling.

[20:22] <+Vivian_Riolo> São os gêneros publicitários que tenho estudado.

[20:23] <+AnaNoronha> ah, entendi. desconhecia esses termos

[20:23] <+Vivian_Riolo> Ambos são narrativas de vida na publicidade.

[20:23] <+AnaNoronha> obrigada!

[20:24] <+AnaNoronha> entendi

[20:24] <+Vivian_Riolo> Eu que agradeço.

[20:24] <+RafaelaDamasceno> O storytelling está realmente muito presente na publicidade!

[20:24] <+AnaNoronha> finalizada sua resposta à terceira pergunta?

[20:24] <+Vivian_Riolo> Sim.

[20:24] <+AnaNoronha> :-)

[20:24] <+AnaNoronha> natalia_giarola: sua vez!

[20:24] <+natalia_giarola> Minha pesquisa envolve comentários de Facebook, mas a coleta de dados começou anteriormente. Primeiro, selecionei, por número de curtidas, duas fan pages que tiveram relevância política no ano de 2018, chegando à Direita Vive 3.0 e à Deboas na Revolução.

[20:25] <+natalia_giarola> Logo após, fiz um estudo das bolhas de interação para verificar se as mesmas eram influenciadoras. Esta coleta de dados foi realizada utilizando os seguintes procedimentos:

[20:25] <+natalia_giarola> - geração dos dados da nuvem por meio do software livre Netvizz, que permitiu extrair, por meio da função “Page Like Network”, as informações de todas as ligações as fan pages em grau de profundidade um, ou seja, as referências imediatas da página e as conexões dela com outras páginas.

[20:25] <+natalia_giarola> - Os dados gerados foram processados no software livre de análise de redes Gephi, utilizando a medida estatística de modularidade, que ajuda a identificar as comunidades de usuários daquela rede e a métrica de indegree (grau de entrada), possibilitando visualizar os influenciadores.

[20:25] <+natalia_giarola> Além disso, utilizaremos o software livre dadossemiotica, um aplicativo criado dentro da perspectiva teórica da semiótica de linha francesa, que permite coletar dados de textos em página de Internet usando a URL (Uniform Resource Locator) (Matte 2012).

[20:26] <+natalia_giarola> Minha maior dificuldade está sendo na coleta dos comentários, ainda não encontrei alternativas para me ajudar, por isso, até agora, estou fazendo-a manualmente, o que demanda muito tempo e paciência, pois como são comentários de 2018, muitas vezes a página atualiza e tenho que retomar tudo, novamente.

[20:26] <+natalia_giarola> Resumidamente é isso!

[20:27] <+AnaNoronha> esses softwares extraem dados das plataformas, é isso?

[20:27] <+natalia_giarola> Exatamente!

[20:27] <+AnaNoronha> interessante

[20:27] <+natalia_giarola> São voltados para redes sociais, neste caso Facebook

[20:27] <+AnaNoronha> entendi, muito bom

[20:27] <+AnaNoronha> acho que pouca gente conhece

[20:28] <+natalia_giarola> Sim, até na comunicação são desconhecido!

[20:28] <+AnaNoronha> meninas, vou pular a pergunta 4 porque a AnaMatte também pulou...

[20:28] <+natalia_giarola> É uma área nova!

[20:28] <+AnaMatte> :D

[20:28] <+CrislaineSilva> :)

[20:28] <+AnaNoronha> natalia_giarola: a RafaelaDamasceno podia incluí-lo na lista dela de divulgação...

[20:29] <+natalia_giarola> Não entendi.

[20:29] <+RafaelaDamasceno> Também não

[20:29] <+AnaNoronha> vou pular também a pergunta 5 porque o tempo está indo mais rápido do que havíamos planejado, tudo bem?

[20:29] <+CrislaineSilva> Também não

[20:29] <+natalia_giarola> sim.

[20:29] <+CrislaineSilva> Eu quero falar

[20:30] <+CrislaineSilva> acho importante

[20:30] <+AnaNoronha> eu quis dizer que como a RafaelaDamasceno tem como projeto divulgar softwares livres, ela poderia difundir esse que vc natalia_giarola está utilizando porque é pouco conhecido

[20:30] <+natalia_giarola> Ah sim, claro

[20:30] <+natalia_giarola> Boa ideia

[20:30] <+RafaelaDamasceno> O meu também não foi para a natalia_giarola

[20:30] <+AnaNoronha> entenderam? natalia_giarola e RafaelaDamasceno

[20:30] <+RafaelaDamasceno> Entendi AnaNoronha

[20:31] <+RafaelaDamasceno> Vou querer saber mais sobre esse software sim, natalia_giarola

[20:31] <+AnaNoronha> CrislaineSilva: se der tempo voltamos a pergunta 5 no final, ok?

[20:31] <+CrislaineSilva> Ah, ok.

[20:31] <+natalia_giarola> RafaelaDamasceno: depois te envio por e-mail, por causa do tempo

[20:31] <+AnaNoronha> pergunta 6: Questão para debate: considerando-se o momento que vivemos no Brasil e no Mundo, o que você acha mais importante, pesquisas teóricas ou pesquisas que permitam aplicação imediata? Por quê?

[20:32] <+RafaelaDamasceno> natalia_giarola: Ok!

[20:32] <+AnaNoronha> AnaMatte: você poderia abrir para interação de todos?

[20:32] <+AnaMatte> ok

[20:32] <+AnaNoronha> trata-se de nossa pergunta para debate

[20:33] <+AnaNoronha> CrislaineSilva: comecemos por vc

[20:33] <+CrislaineSilva> ok

[20:33] <+CrislaineSilva> Considero que essa pesquisa, da qual posso falar com segurança, é muito mais que analisar relatos de experiência docente, é analisar relatos de professores que se encontram todos os dias com pessoas moradoras do campo, um campo sem muito verde, um campo com pouco acesso, com pouquíssimos recursos tecnológicos e com índices altíssimos de pobreza, marginalização social e, por tanto, digital.

[20:33] <+CrislaineSilva> Num contexto educacional que fala em globalização, em Novas Tecnologias e em Recursos Educacionais Abertos. Esses professores que estão inseridos em contextos escolares de baixo rendimento onde os muitos problemas sociais se desembocam.

[20:33] <+CrislaineSilva> Professores que se veem cercados de responsabilidades e pouco apoio.

[20:33] <+CrislaineSilva> Penso que atualmente precisamos de coragem e força para resistir. O fato de a modalidade EJA não ter sido contemplada na BNCC, é uma ausência que fala qual é o direcionamento dado as populações vulneráveis.

[20:34] <+CrislaineSilva> É, ao meu ver, um ato político partidário. Assim também o termo “inclusão” não ser mencionado em um texto que visa a equiparação do ensino/aprendizado no país, indica claramente quem serão os beneficiários dessa reforma.

[20:34] <+CrislaineSilva> A importância do debate, da conscientização e da formação continuada, deve-se, ainda mais, aos retrocessos legitimados que estamos vivendo com o governo atual.

[20:34] <+CrislaineSilva> Um governo que trabalha com o pensamento simplista dos problemas sociais tem que ser rebatido com a problematização das questões que nos são inerentes dentro da Educação.

[20:34] <+CrislaineSilva> Dessa forma, é nosso dever, enquanto pesquisadores, professores e estudantes, manter o senso de questionadores e pensadores. Só assim garantiremos a liberdade de hoje e de amanhã.

[20:35] <+AnaNoronha> Perfeito CrislaineSilva

[20:35] <+CrislaineSilva> ;)

[20:35] <+AnaNoronha> temos grande responsabilidade

[20:35] <+AnaNoronha> Vivian_Riolo: poderia responder?

[20:35] <+Vivian_Riolo> Sim.

[20:35] <+Vivian_Riolo> Considero que cada uma delas tem o seu valor. Algumas questões teóricas merecem desdobramentos e esclarecimentos por parte da comunidade acadêmica, mas, em contrapartida, quando se fala em ensino e publicização das pesquisas, é fato que há a carência de questões práticas que favoreçam a compreensão de dado conteúdo bem como para que seja demonstrada a sua relevância.

[20:36] <+Vivian_Riolo> O fato é que no meio acadêmico há um leitor diferenciado, mas é importante que o resultado das pesquisas seja demonstrado de forma prática para a sociedade.

[20:36] <+Vivian_Riolo> O valor da pesquisa tem que ser divulgado, mas para que isso extrapole o espaço acadêmico e os gêneros que circulam nesse meio, tais como artigos, dissertações e teses e passe a permear as salas de aula e a sociedade como um todo, tal conhecimento produzido precisa aparecer de forma palpável àqueles que não estão inseridos nessas discussões teóricas.

[20:37] <+AnaNoronha> Concordo com você com essa necessidade de o conhecimento extrapolar os muros da escola, Vivian_Riolo

[20:37] <+AnaNoronha> perdão, os muros da universidade

[20:37] <+Vivian_Riolo> Sim, é muito importante!

[20:37] <+AnaNoronha> natalia_giarola: poderia responder?

[20:38] <+natalia_giarola> Sim, minha resposta segue o viés da Vivian_Riolo

[20:38] <+natalia_giarola> Bem, acredito que necessitamos das duas, em medidas certas. Pesquisas com aplicação imediata seriam uma boa alternativa para mostrar, por exemplo, a importância do investimento em pesquisa

[20:38] <+natalia_giarola> principalmente no atual momento político brasileiro que vivemos. Mas ao mesmo tempo, se não tivermos uma teoria por atrás, acabamos perdendo credibilidade.

[20:38] <+natalia_giarola> Além disso, pesquisas apenas teóricas, podem ter uma carga de entendimento mais rasa, o que acarreta o estagnamento de pesquisas em bibliotecas.

[20:38] <+natalia_giarola> Não cumprindo seu papel de ir além, de ser sair da “casinha” das universidades e chegar à população.

[20:38] <+natalia_giarola> Bem, é isso!

[20:39] <+AnaNoronha> obrigada!

[20:39] <+AnaNoronha> RafaelaDamasceno:

[20:39] <+RafaelaDamasceno> A pesquisa teórica sempre será importante para a construção do conhecimento, independentemente da sua aplicação imediata ou em longo prazo.

[20:39] <+RafaelaDamasceno> No entanto, considerando que vivemos na Era da Informação e a tecnologia está em constante atualização, é importante que a aplicação dos projetos de pesquisa se dê de forma mais dinâmica e rápida.

[20:39] <+RafaelaDamasceno> O que também tem a ver com o que a natalia_giarola e a Vivian_Riolo falaram

[20:40] <+AnaNoronha> muito bem

[20:40] <+RafaelaDamasceno> Um exemplo é o meu objeto de pesquisa. Hoje, as licenças abertas são uma forma muito eficiente de solucionar os entraves do direito patrimonial e autoral no Brasil.

[20:40] <+RafaelaDamasceno> Entretanto, pode ser que esse tipo de licença caia em desuso em curto prazo ou que novas alternativas de licenças surjam nos próximos anos. Nesse sentido, o ideal é que a aplicação seja imediata.

[20:40] <+RafaelaDamasceno> Finalizado!

[20:40] <+AnaNoronha> obrigada!

[20:40] <+AnaNoronha> a palavra está aberta

[20:40] <+AnaNoronha> alguém mais gostaria de responder?

[20:40] <+AnaNoronha> coloco novamente a questão

[20:41] <+AnaNoronha> considerando-se o momento que vivemos no Brasil e no Mundo, o que você acha mais importante, pesquisas teóricas ou pesquisas que permitam aplicação imediata? Por quê?

[20:41] <+AnaMatte> Eu gostaria de palpitar também. Acho que a pesquisa básica, que é a mais teórica, apesar do que parece, tem tido pouco apoio institucional e isso não é de hoje, remonta a décadas. A pesquisa básica é a que dá suporte às aplicações mais ousadas e nós precisamos de ousadia. A pesquisa que tem maior investimento é sempre aquela que tem resultados economicamente relevantes, como as das áreas médicas e das engenharias.

[20:42] <+AnaMatte> Então, a meu ver, o que é necessário hoje é criar, sim, uma postura acolhedora às pesquisas práticas, que são o retorno dos pesquisadores à população que de fato sustenta a pesquisa no Brasil, com os impostos, ao mesmo tempo que os pesquisadores das ciências aplicadas fiquem mais atentos aos avanços da ciência. Essas mãos dadas é que farão uma imensa diferença na nossa história.

[20:42] <+AnaMatte> é isso

[20:42] <+CrislaineSilva> Verdade, Ana. Toda produção de conhecimento só é válida a partir do momento em que tem potencial de melhorar a vida das pessoas

[20:43] <+natalia_giarola> Sim, temos que pensar na pesquisa como extensão também

[20:43] <+AnaNoronha> me parece que concordamos na necessidade de se fazer pesquisa teórica e pesquisa com aplicação prática

[20:44] <+AnaNoronha> as duas são igualmente importantes. o que vejo muitas vezes é que uma pesquisa mais teórica embasa pesquisas práticas que vão surgir mais tarde, é difícil ver o alcance daquilo que se produz academicamente.

[20:44] <+AnaMatte> o prórpio Texto Livre é exemplo disso: de um lado, temos o STIS, cuja preocupação é a pesquisa de ponta em áreas interdisciplinares, que alimenta nosso trabalho, e de outro temos o UEADSL, que é onde colocamos tudo isso em prática, abrindo espaço para a formação dos professores e o empoderamento dos estudantes

[20:45] <+AnaNoronha> no entanto, nosso momento atual pede mais diálogo entre a sociedade e a pesquisa.

[20:46] <+natalia_giarola> se pensarmos que temos um governo que deduz que o Brasil não produz pesquisa, precisamos desse dialogo urgentemente

[20:46] <+AnaMatte> isso, AnaNoronha: sem que haja esse diálogo, a extensão, ou seja, o retorno da pesquisaa à sociedade, acaba caindo numa mesmice. Os fundamentos advém da pesquisa básica, por isso ela é imprescindível

[20:46] <+Vivian_Riolo> Sim, AnaMatte. Levar os alunos de graduação a refletir sobre essa necessidade de pesquisa e aplicação prática em tcc's e na sala de aula é fundamental.

[20:47] <+AnaNoronha> isso, natalia_giarola , o diálogo é urgente também porque precisamos mostrar a importância da pesquisa, da universidade, da produção de conhecimento

[20:48] <+AnaMatte> E essa questão das licenças, que a RafaelaDamasceno comentou, é muito importante: fazer pesquisa de ponta para publicar em revistas de acesso pago, como muito se faz, principalmente nas exatas e biológicas, é um desserviço à ciência

[20:49] <+RafaelaDamasceno> Com certeza, AnaMatte

[20:49] <+RafaelaDamasceno> O grande problema é que muitos pesquisadores não conhecem as possibilidades das licenças abertas. E, se já ouviram falar, não sabem como elas funcionam.

[20:49] <+AnaNoronha> e há um ponto importante aqui que é comum a nós: a tecnologia é uma ferramenta muito potente para disseminar o conhecimento e o resultado de pesquisas. com ela podemos chegar mais longe com nossos resultados

[20:50] <+natalia_giarola> exatamente!

[20:50] <+AnaMatte> RafaelaDamasceno: é comum o pensamento de que abrir é perder o direito, quando é exatamente o contrário, já que, ao publicar em editoras, geralmente precisamos abrir mão de nossos direitos, por contrato

[20:51] <+AnaNoronha> acredito muito na tecnologia como ferramenta de coleta e disseminação de resultados e na semiótica como ferramenta de análise

[20:51] <+RafaelaDamasceno> Sim, AnaMatte . A editora é que detém o direito autoral para publicação do material. O autor apenas conserva o direito moral por ter elaborado a obra

[20:52] <+AnaMatte> direito moral é uma expressão técnica, RafaelaDamasceno ?

[20:52] <+RafaelaDamasceno> Sim AnaMatte

[20:53] <+AnaMatte> AnaNoronha: sem dúvida, a principal via de disseminação do conhecimento é a internet e é exatamente por isso que questões relativas à liberdade na internet são inegociáveis.

[20:54] <+AnaMatte> nós tivemos pouquíssimo interesse da população quando se discutia o marco civil da internet, lei de regulamentação

[20:54] <+RafaelaDamasceno> É um direito indisponível que todo ser humano tem. É bastante abrangente, porque engloba o seu direito de fazer valor um contrato, ao comprar um imóvel, ou o direito de receber indenização por um produto comprado que veio estragado e você não conseguiu o reembolso ou a substituição da loja, por exemplo AnaMatte

[20:55] <+AnaMatte> precisamos divulgar essass ideias, pois as pessoas são enganadas e ainda justificam as ações de quem as enganou, achando que foi para o seu próprio bem, mas foi para o bem dos financeiramente poderosos

[20:55] <+RafaelaDamasceno> AnaNoronha: também se pode falar sobre o direito de divulgar dados ou pesquisas pela internet, de ter acesso ao conhecimento e à cultura (que inclusive são premissas constitucionais)

[20:55] <+AnaMatte> entendi, RafaelaDamasceno, bem interessante

[20:56] <+AnaMatte> software livre, ciência aberta, educação aberta precisam estar na ponta da língua todos os dias, em tudo que fazemos, pois precisamos acordar as pessoas

[20:56] <+CrislaineSilva> Bom, gostaria de agradecer a atenção de todis. E me colocar à disposição para maiores esclarecimentos sobre a pesquisa e sobre o curso.

[20:57] <+AnaMatte> bem, pessoal.. está chegando a hora.... dos aplausos :)

[20:57] <+RafaelaDamasceno> :)

[20:57] <+AnaNoronha> :-)

[20:57] <+natalia_giarola> ;)

[20:57] <+AnaMatte> Agradeço a todos pela presença e participação, foi um ótimo STIS, obrigada, natalia_giarola Vivian_Riolo CrislaineSilva RafaelaDamasceno AnaNoronha

[20:57] <+CrislaineSilva> \o/

[20:58] <+RafaelaDamasceno> Obrigada a todos pela oportunidade de participar desta Mesa Redonda. Adorei saber um pouco mais sobre os outros trabalhos. Muito boa a troca de conhecimento!

[20:58] <+AnaNoronha> quero deixar meu enorme agradecimento a vocês, AnaMatte , RafaelaDamasceno , natalia_giarola , Vivian_Riolo e Cris

[20:58] <+natalia_giarola> Obrigada vocês! Foi muito bom participar. Grande aprendizado.

[20:58] <Ludmilla_Lima_> Parabéns a todas!

[20:58] <+AnaNoronha> e CrislaineSilva:

[20:58] <+AnaMatte> Lembrem-se que é necessário preencher o formulário do site para receber o certificado, o que deve ser feito no máximo no dia do evento, pois em seguida encaminharemos os certificados pelo e-mail informado no formulário.

[20:58] <Ludmilla_Lima_> Foi um prazer participar do meu primeiro STIS!

[20:58] <+AnaNoronha> muito obrigada por esta acolhida e este diálogo

[20:58] <+Vivian_Riolo> Sem dúvida, essa é grande oportunidade de aprendermos mais com as colegas.

[20:59] <+natalia_giarola> \o/

[20:59] <+AnaMatte> os STISs de maio e junho, organizados pela Vivian_Riolo, vão ter como tema bakthin, não percam!

[20:59] <+AnaMatte> Parabéns!

[20:59] <+AnaMatte> clap clap clap clap

[20:59] <+AnaMatte> clap clap clap clap

[20:59] <+AnaMatte> clap clap clap clap

[20:59] <+AnaMatte> clap clap clap clap

[20:59] <+AnaMatte> clap clap clap clap

[20:59] <+AnaMatte> \o/

[21:00] <+AnaNoronha> clap clap clap clap

[21:00] <+natalia_giarola> clap clap clap

[21:00] <+CrislaineSilva> adorei os "clap"

[21:00] <+AnaNoronha> :-)

[21:00] <+Vivian_Riolo> \o/

[21:00] <Ludmilla_Lima_> clap clap !!! Applause!!! :) \o/

[21:00] <+RafaelaDamasceno> clap clap clap clap

[21:01] <Ludmilla_Lima_> Pessoal, vamos poder ver os alides mesmo depois de desconectados deste ambinete ?

[21:01] <+natalia_giarola> Boa noite a todos!!!!

[21:02] <+Vivian_Riolo> Boa noite, pessoal!

[21:02] <+CrislaineSilva> Até o próximo. Boa noite!

[21:02] <+natalia_giarola> Foi um prazer.

[21:02] <+natalia_giarola> próxima!!!

[21:02] <+AnaNoronha> Ludmilla_Lima_: sim, é possível

[21:02] <+AnaNoronha> boa noite a todos!

[21:03] <+RafaelaDamasceno> Até mais, pessoal!

===================================================================

STIS - Seminários Teóricos Interdisciplinares do SEMIOTEC, Powered by Joomla!