STIS 2018

3. Maio: Formação de Professores e REA | REA Paraná

3.1. registro maio

Registro da Conferência em chat escrito, de 11 de abril de 2018:

 

Formação de Professores Sobre Recursos Educacionais Abertos

(Profª Ma. Mara Denize Mazzardo (UFSM))

 

 

Trajetória e desafios de implementação do projeto REA Paraná

(Prof. Dr. Henrique Oliveira da Silva (UTFPR))

 

 

 

moderador: Equipe STIS

 

 

[19:29] <JoyceFettermann> Vamos dar início, então, às apresentações de hoje.
[19:30] <JoyceFettermann> Para começar, teremos a Professora Mara Denize, que falará sobre "Formação de Professores sobre REA"
[19:30] <JoyceFettermann> Mara Denize é Doutoranda em Educação - Especialidade Educação a Distância e Elearning, na Universidade Aberta (UAb) de Portugal, possui graduação em Educação Física pela Faculdade Salesiana de Educação Física (1981),
[19:31] <JoyceFettermann> Especialização em Informática na Educação (2000) pela Universidade de Passo Fundo, RS, Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria (2005). Professora da Rede Pública Estadual (RS) durante 32 anos
[19:31] <JoyceFettermann> Especialização em Gestão Escolar &quot;Escola de Gestores&quot; MEC/UFRGS - Pedagogia EaD UFSM/UAB - Tutora Progestão Online CONSED/SEDUC/RS - Especialização TIC Aplicadas à Educação UFSM/UAB. Professora curso Capacitação em Fluência Pedagógica para Tutores - PACC 2013/UFSM, em 2014 atuou como Coordenadora Pedagógica Adjunta do Pró-Conselho/SEB/UFSM
[19:31] <JoyceFettermann> Seja bem-vinda, Mara! :)
[19:32] <MaraMazzardo> Obrigada!
[19:32] <JoyceFettermann> Você tem 30 minutos.
[19:32] <MaraMazzardo> É um prazer participar deste seminário! Vou apresentar um pequeno relato sobre um curso de formação sobre REA e alguns resultados obtidos.
[19:32] <MaraMazzardo> As pesquisas do Cetic.br (2016) - http://cetic.br/tics/educacao/2016/professores/G1/ - e os questionários do projeto de pesquisa do doutorado indicam que quase 100% dos professores utilizam recursos educacionais disponíveis na Internet. Porém, da mesma forma, quase 100% não conhecem as Licenças Abertas e a Lei brasileira sobre os Direitos Autorais. Consequentemente, não conhecem os REA.
[19:34] <MaraMazzardo> Assim, o uso de recursos educacionais disponíveis na Internet, o interesse e necessidade dos professores em melhorar os materiais didáticos e o potencial dos REA justificaram o desenvolvimento do projeto de pesquisa para Formação de Professores sobre os REA.
[19:34] <MaraMazzardo> A formação foi implementada por meio de um Small Open Online Course (SOOC), com duração de 40 h, denominado de “REA: Educação para o Futuro”, direcionado para professores do Ensino Médio.
[19:35] <MaraMazzardo> A proposta de formação é um dos artefatos pedagógicos produzidos no desenvolvimento do projeto de doutorado em educação, linha de pesquisa educação à distância e e-Learning, da Universidade Aberta (UAb) de Lisboa, com coorientação da professora Doutora Elena Maria Mallmann da UFSM.
[19:36] <MaraMazzardo> É um curso de formação continuada SOBRE REA e desenvolvido COM REA.
[19:37] <MaraMazzardo> Isto é, todos os materiais didáticos do curso são REA
[19:37] <MaraMazzardo> Os conteúdos e atividades do curso contemplam a efetivação dos 5Rs de Abertura dos REA: Reter, Reutilizar, Revisar, Remixar e Redistribuir (Wiley, 2014). Inclui também a produção de REA original.
[19:38] <MaraMazzardo> Para efetivar os 5Rs de abertura os recursos precisam estar em Domínio Público, ter uma licença que permita a cópia, reúso, edição (produção de obra derivada) e redistribuição ou termo de uso com estas permissões.
[19:39] <MaraMazzardo> Os REA produzidos (adaptados, remixados e os originais) são classificados por Weller (2010) de Little OER. O autor destaca dois tipos de REA:
[19:39] <MaraMazzardo> 1 - Big OER - são produzidos por instituições de ensino renomadas, fator que gera confiança, e com objetivos específicos de aprendizagem. Os custos de produção são altos, sendo necessário apoio financeiro elevado.
[19:40] <MaraMazzardo> Exemplo: http://pat.educacao.ba.gov.br/fisicaecotidiano/conteudos/view/microondas_view.html
[19:41] <MaraMazzardo> 2 - Little OER - são produzidos e disponibilizados por uma pessoa ou pequenos grupos utilizando serviços/recursos da Web 2.0. Uma Imagem disponibilizada no Flickr, com licenças abertas, é um exemplo e pode ser utilizada em vários contextos. Os autores de little OER são professores, alunos e outras pessoas com objetivos e motivações diversas. A produção de little OER possibilita a autoria e coautoria de REA por um número
[19:42] <MaraMazzardo> Para Compreender o Conceito e Identificar os REA é Necessário Conhecer:
[19:42] <MaraMazzardo> - O conceito de REA, as características, saber onde encontrar e identificar os REA nos repositórios e referatórios.
[19:43] <MaraMazzardo> - As licenças Abertas, principalmente as licenças Creative Commons
[19:43] <MaraMazzardo> - A Lei Brasileira sobre os Direitos Autorais (Nº 9610/98 )
[19:44] <MaraMazzardo> - Conhecer obras de Domínio Público
[19:44] <MaraMazzardo> - E ter Fluência Tecnológico-Pedagógica
[19:44] <MaraMazzardo> Para adaptar e produzir REA organizamos orientações sobre como adaptar e como produzir um REA. As orientações estão sendo aprimoradas em cada edição do curso.
[19:45] <MaraMazzardo> Na apresentação constam as orientações
[19:45] <MaraMazzardo> Em 2016 implementamos duas edições, tendo como público alvo prioritário, mas não exclusivo, os professores do Ensino Médio, das escolas públicas, da Região Central do RS.
[19:46] <MaraMazzardo> Na primeira edição ofertamos 100 vagas e na segunda, 150
[19:46] <MaraMazzardo> Resultados Alcançados:
[19:47] <MaraMazzardo>  Oportunidade de Formação Continuada online, compatível com os horários de trabalho dos professores.  Primeiros conhecimentos sobre os REA.
[19:47] <MaraMazzardo>  Identificação dos REA nos repositórios.
[19:47] <MaraMazzardo>  Percepção da necessidade de saber o que é possível fazer com cada recurso disponível na Internet (observar os Direitos Autorais, Identificar as Permissões das Licenças Abertas e das Obras em Domínio Público).
[19:49] <MaraMazzardo> Não existe esta cultura
[19:49] <MaraMazzardo> confunde-se o estar online com permissão para uso, reprodução e até edição do recurso
[19:50] <MaraMazzardo> Seguindo...
[19:50] <MaraMazzardo>  Percepção das diferenças entre os recursos com Copyright e os recursos abertos.  Valorização da autoria.
[19:51] <MaraMazzardo>  Reúso, edição e redistribuição de recursos disponíveis na Internet, sem infringir os Direitos Autorais.
[19:51] <MaraMazzardo>  Organização e Produção de Material Didático Aberto.
[19:52] <MaraMazzardo>  Adaptação/Remix de REA  Produção de REA Original (Little OER).
[19:52] <MaraMazzardo>  Diversificação dos Materiais Didáticos.
[19:52] <MaraMazzardo>  Compartilhamento de materiais didáticos.
[19:53] <MaraMazzardo> compartilhamento também não é uma prática comum
[19:53] <MaraMazzardo>  Inovação na produção dos materiais didáticos.
[19:53] <MaraMazzardo> (Exemplos de REA adaptados e produzidos em https://www.facebook.com/reanoensinomedio/ )
[19:53] <MaraMazzardo> Dificuldades Observadas:
[19:53] <MaraMazzardo>  Taxa de inscritos que não acessam o curso (os cursos abertos online, com inscrição facilitada provocam inscrições “descompromissadas”)
[19:54] <MaraMazzardo>  Falta de conhecimentos sobre Direitos Autorais, Licenças Abertas e Obras de Domínio Público.
[19:54] <MaraMazzardo>  Dificuldade para identificar os REA nos repositórios.
[19:55] <MaraMazzardo>  Falta de Cultura em observar como os recursos são disponibilizados na Internet.
[19:55] <MaraMazzardo>  Pouca Fluência Tecnológico-Pedagógica.
[19:55] <MaraMazzardo>  Tempo demandado para pesquisar, selecionar, adaptar/remixar e produzir REA.
[19:56] <MaraMazzardo>  Necessidade de continuidade de ações formativas sobre REA e/ou grupos de estudo, produção e apoio (redes de interesse).
[19:56] <JoyceFettermann> Mara, você tem 5 minutos.
[19:56] <MaraMazzardo> Ok
[19:56] <MaraMazzardo> O curso é desenvolvido na perspectiva da autoria e do compartilhamento e não somente na perspectiva de usuários de recursos disponíveis na Rede.
[19:59] <acris> ‎[19:59] ‎<‎MaraMazzardo_‎>‎ Saliento este aspecto: professores autores de REA
[19:59] <MaraMazzardo_> Joyce já faço as considerações finais agora?
[20:00] <JoyceFettermann> Sim, por favor.
[20:01] <MaraMazzardo_> O curso será implementado novamente no segundo semestre
[20:01] <MaraMazzardo_> agora em um projeto aprovado pela FAPERGS
[20:01] <MaraMazzardo_> a meta é oportunizar formação para 1000 professores
[20:01] <MaraMazzardo_> e será ofertado pela UFSM
[20:02] <MaraMazzardo_> Informações
[20:02] <MaraMazzardo_> Notícia no Portal da UFSM http://site.ufsm.br/noticias/exibir/abertas-inscricoes-para-curso-sobre-recursos-educa
[20:02] <MaraMazzardo_> Agora fico no aguardo dos questionamentos
[20:03] <JoyceFettermann> Obrigada, Mara!
[20:03] <JoyceFettermann> Vamos fazer o momento de discussões ao final, ok?
[20:03] <MaraMazzardo_> Ok
[20:03] <JoyceFettermann> Professor Henrique está na sala?
[20:03] <Guest84193> Olá, sim estou aqui
[20:03] <JoyceFettermann> Bem-vindo!
[20:03] <JoyceFettermann> :)
[20:03] <Guest84193> Obrigado!
[20:04] <JoyceFettermann> Vamos, então, iniciar a segunda palestra, com o professor Henrique,
[20:04] <JoyceFettermann> que possui graduação em Tecnologia em Processamento de Dados pela Universidade de Caxias do Sul(1997), mestrado em Computação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul(2002) e doutorado em Informática na Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul(2006).
[20:04] <JoyceFettermann> Atualmente é Professor EBTT da Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Ensino-Aprendizagem.
[20:05] <JoyceFettermann> Atua principalmente nos seguintes temas:Sociedades Artificiais, Ambientes de Ensino-Aprendizagem.
[20:05] <Guest84193> Perfeito, posso começar?
[20:05] <JoyceFettermann> Você tem 30 minutos, Henrique.
[20:05] <JoyceFettermann> Sim, por favor.
[20:06] <daniervelin> código para os slides: henrique
[20:07] <Guest81229> deu algum problema aqui e tive que me logar novamente
[20:08] <JoyceFettermann> Tudo bem
[20:08] <Guest81229> posso continuar?
[20:08] <JoyceFettermann> POde sim
[20:08] <Guest81229> vamos lá então... continuando...
[20:08] <Guest81229> O que era para ser apenas um projeto, tomou corpo de um programa que nomeamos de REA Paraná. Mais do que simplesmente uma pesquisa acadêmica, o programa se configurou como uma iniciativa de mobilização e disseminação da cultura de conhecimento aberto e uma ação de democratização do conhecimento.
[20:08] <acris> henrique, escreve "/nick HenriqueSilva" sem aspas e dá enter para corrigir o nick
[20:09] <HenriqueSilva> Vou apresentar um pouco da nossa trajetória, que iniciou em 2012, a partir de uma palestra sobre Recursos Educacionais Abertos durante o ESUD de Belém do Pará. Durante a palestra a profa. Marineli fez a proposta de desenvolvermos um projeto no âmbito das nossas instituições. Narrei para ela uma ação que eu vinha desenvolvendo na UTFPR que envolvia a produção de recursos educacionais digitais e que, bastaria pegar aque
[20:09] <HenriqueSilva> A medida que a ideia foi amadurecendo e pelas questões burocráticas interinstitucionais de apoio a outras instituições, percebemos que o ideal era transformar a proposta em um projeto de interesse interinstitucional. Como as duas universidade já possuem um acordo de Cooperação Técnico-científica, usamos esse acordo como base para oficializar a ação conjunta. Eu auxiliaria nas questões técnicas e eles nas questões po
[20:09] <HenriqueSilva> ações de mobilização e estruturação para que o projeto atendesse a comunidade acadêmica das duas instituições.
[20:10] <HenriqueSilva> Antes de iniciar os trabalhos, criamos uma proposta de projeto que foi apresentada aos nossos pró-reitores de graduação e a algumas pessoas estratégicas que poderiam auxiliar na implantação da ideia.
[20:10] <HenriqueSilva> A partir do apoio das pró-reitorias de graduação convidamos vários professores e servidores para fazerem parte do projeto. A ideia era identificar pessoas com competências diversas para dar apoio ao projeto. Eram pessoas ligadas a área de TI, biblioteca, graduação, pós-graduação, gestão do conhecimento, que trabalhavam com tecnologias educacionais e educação a distância.
[20:10] <HenriqueSilva> A primeira ação foi organizar um evento de criação do projeto, para o qual, convidamos a palestrante que apresentou o tema REA no ESUD para repetir a palestra para nossos servidores e para realizar uma oficina sobre o tema.
[20:10] <HenriqueSilva> Logo percebemos que era preciso alinhar alguns conceitos. Era preciso definir claramente para a comunidade o conceito de Recursos Educacionais Abertos, Práticas Educacionais Abertas, Repositórios Institucionais e o próprio conceito de conhecimento.
[20:11] <HenriqueSilva> O conceito de Recursos Educacionais Abertos, chamados de REA, que adotamos é o definido pela UNESCO e significa: São materiais de ensino, aprendizado e pesquisa, em qualquer suporte ou mídia digital, que estão sob domínio público, ou estão licenciados de maneira aberta.
[20:11] <HenriqueSilva> O conceito de Práticas Educacionais Abertas, chamadas de PEA, foi herdado da descrição que encontramos no site do projeto Oportunidad: Práticas que sustentam a (re) utilização e produção de REA por meio de políticas institucionais, promovendo modelos pedagógicos inovadores, respeitando e capacitando alunos como coprodutores no seu caminho de aprendizagem.
[20:11] <HenriqueSilva> Já na primeira oficina ficou clara a disparidade sobre o conceito de conhecimento. No caso, a discussão era sobre a produção de conhecimento em uma instituição pública de ensino superior. Como a maioria dos participantes eram professores, todos tinham a ideia clara de que conhecimento é o objeto da pesquisa que eles realizam na instituição.
[20:11] <HenriqueSilva> Foi preciso pontuar que o servidor público professor desempenha, além dos papéis administrativos, o papel de professor e pesquisador.
[20:11] <HenriqueSilva> Como pesquisador ele é responsável pela produção de conhecimento, normalmente, o chamado conhecimento científico. Apesar das ressalvas realizadas, a tendência era dos professores entenderem o conceito somente do ponto de vista dos seus papéis de pesquisadores.
[20:12] <HenriqueSilva> Como estávamos ligados à pró-reitoria de graduação, a ênfase do projeto era tratar das ações do servidor enquanto professor. Em linhas gerais, isso significa, o seu papel de tradutor do conhecimento científico em um formato que seja entendido pelo aprendiz e que auxilie seu processo de aprendizagem. Como professores essa é a principal atividade do docente.
[20:12] <HenriqueSilva> Porém, por se tratar de objetos digitais, o desafio era que todos compreendessem que o "conhecimento" que estava em discussão é a transposição didática da ação docente em um formato digital que pudesse ser disponibilizado ao aluno com uma licença aberta.
[20:12] <HenriqueSilva> Em algumas áreas esse objeto é chamado de obra e o professor é chamado de autor.
[20:12] <HenriqueSilva> Independentemente da área, sempre temos alguém que produz algo, portanto é autor, e um objeto resultante, que é sua obra ou pesquisa. Mas a forma final do objeto, que nos interessa, é aquela que pode ser utilizada pelo aluno como recurso de aprendizagem.
[20:12] <HenriqueSilva> Como a aprendizagem é um tema subjetivo, sempre se retorna a questão de que a obra artigo, dissertação e tese, são recursos de aprendizagem, mesmo que sua finalidade original seja a de registro formal e reconhecido pela comunidade de conhecimento em que o profissional atua.
[20:12] <HenriqueSilva> Para tentar organizar esses conceitos e suas relações, organizei um site: http://www.utfpr.edu.br/estrutura-universitaria/pro-reitorias/prograd/cotedu/recursos-educacionais-digitais/apresentacao
[20:13] <HenriqueSilva> Essa herança sobre o conceito de conhecimento permeia claramente os chamados Repositórios Institucionais, que são fomentados pelo IBICT, o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia.
[20:13] <HenriqueSilva> Na prática, isso significa que, para as bibliotecas das universidades, o conceito de Repositório Institucional se restringe às dissertações e teses elaboradas no âmbito da instituição.
[20:13] <HenriqueSilva> Algumas instituições ampliam o seu papel, criando em seus repositórios, coleções ou comunidades, que armazenam outros materiais além daqueles que são objeto específico para a ciência e tecnologia.
[20:13] <HenriqueSilva> O outro conceito acessório a estes já apresentados, é o de MOOC, os cursos massivos online. Esse conceito é uma das possíveis materializações do conceito de Práticas Educacionais Abertas, as PEA.
[20:13] <HenriqueSilva> Só que, o que não é tão aparente, é que, para se implantar um MOOC, primeiro é preciso ter sido implantado na instituição toda a infraestrutura física, lógica e processual, que viabilizará essa realização.
[20:14] <HenriqueSilva> Para tanto, nosso projeto partiu de uma proposta de arquitetura que organizei.
[20:14] <HenriqueSilva> Hoje a tarde passei um conjunto de slides que tem a imagem da arquitetura que propusemos
[20:15] <HenriqueSilva> Essa arquitetura previa uma camada de armazenamento, atualmente chamado de Nuvem, uma série de serviços para cada especificidade de mídia e interfaces com finalidades específicas.
[20:15] <HenriqueSilva> O material seria organizado diretamente pelo professor em seu HD virtual, a sua nuvem, se o material fosse em um formato binário de fluxo contínuo, os streaming, esse material deveria contar com uma ligação com um servidor de streaming para distribuição.
[20:15] <HenriqueSilva> Toda o acesso e distribuição desse material é realizado pelo recurso de incorporação, como acontece com os vídeos do youtube. Além dos serviços, as plataformas especializadas, como as de repositórios institucionais, que possuem recursos de indexação e categorização dos recurso pela utilização de metadados, seriam conectadas aos demais serviços, como consumidores.
[20:15] <HenriqueSilva> Nesta arquitetura, cada camada é responsável por uma ação específica.
[20:15] <HenriqueSilva> No modelo atual, a plataforma adotada pelo IBICT, o DSpace, que é o sistema de Repositório Institucional adotado pelas universidades públicas, atua como Base de Dados, armazenando o material no seu próprio servidor.
[20:16] <HenriqueSilva> Definida a arquitetura, a partir de estudos sobre as dimensões envolvidas na implantação de REA, documentada pela Unesco, reduzimos as cinco dimensões propostas, a três: a dimensão pedagógica, a dimensão tecnológica e a dimensão política.
[20:16] <HenriqueSilva> A lógica é que, cada dimensão é responsável por tratar de ações que são impreteríveis para o sucesso de implantação do projeto.
[20:16] <HenriqueSilva> A dimensão pedagógica se responsabiliza por ações de sensibilização ou engajamento, no caso, cursos, eventos, material de divulgação, tutoriais, sites, etc. Sua finalidade é tratar a disseminação e estabelecimento de uma cultura de acesso aberto. Que trate das orientações sobre práticas abertas, produção colaborativa e uso desses recursos na atividade de ensino e aprendizagem.
[20:16] <HenriqueSilva> A dimensão tecnológica precisa responder como se faz a integração de vários serviços e plataformas para que atendam a arquitetura que dá suporte para a implantação do projeto. Além das instalações dos servidores, serviços e plataformas, ainda é preciso fazer a gestão e dimensionamento desses recursos. Questões sobre acesso, autenticação, contabilização, segurança, privacidade e interoperabilidade, são as preo
[20:17] <HenriqueSilva> A dimensão política, está no nível estratégico da instituição e se responsabiliza por elaborar as políticas de uso, licenças, regras de publicação de direitos autorais, direitos de propriedade, políticas de catalogação, reconhecimento das atividades desenvolvidas pelos servidores para efeitos de prestação de contas e progressão na carreira, entre outros. Na prática, isso significa, elaborar os regulamentos, norma
[20:17] <HenriqueSilva> Iniciamos a ação em 2013, porém, esse é um movimento que já vem se estabelecendo mundo afora e já tinha sido percebido pelas instâncias superiores no MEC.
[20:17] <HenriqueSilva> Tanto que em março de 2016, como revisão das diretrizes para a educação a distâncias, o Conselho Nacional de Educação, formulou na sua resolução n.º 1, no artigo segundo, parágrafo quarto, o seguinte:
[20:17] <HenriqueSilva> As instituições de educação superior, bem como os órgãos e as entidades da Administração Pública direta e indireta, que financiem ou fomentem a educação superior a distância, devem assegurar a criação, a disponibilização, o uso e a gestão de tecnologias e recursos educacionais abertos, por meio de licenças livres, que facilitem o uso, a revisão, a tradução, a adaptação, a recombinação, a distribuição e o
[20:18] <HenriqueSilva> ...direitos autorais pertinentes.
[20:18] <HenriqueSilva> Essa resolução foi a ação política que deu respaldo para o projeto que vinha sendo trabalhado em nossas instituições.
[20:18] <HenriqueSilva> Em síntese, feitas as devidas introduções, os objetivos do projeto se sintetizaram em: incentivar a produção de REA, disseminar as PEA e democratizar o conhecimento criado nas nossas instituições.
[20:18] <HenriqueSilva> A finalidade era de estabelecer uma cultura de PEA e de possibilitar ao estudante e ao docente: acessar, produzir e disponibilizar REA.
[20:18] <HenriqueSilva> Com isso, acabamos promovendo algumas mudanças no âmbito das instituições: estudantes e professores tornam-se autores, houve uma melhoria da qualidade dos recursos educacionais digitais produzidos, iniciamos uma transição para Educação Híbrida, uma mudança para uma cultura de colaboração e compartilhamento que, de forma prática, se estabeleceu e está se consolidando, como uma ação de democratização do conheciment
[20:19] <HenriqueSilva> Durante a implantação do projeto, percebemos que a dimensão do que estávamos realizando era maior do que simplesmente um projeto, por isso, decidimos transformar o projeto em um programa, que passaria a aceitar outras instituições que se propusessem a aderir ao movimento.
[20:19] <HenriqueSilva> Envolvemos então, além da UTFPR e da UFPR, o IFPR, a ESAF, a Unila, a UEL, a UEM e a UEPG. Também realizamos ações junto a SEED-PR e à Secretaria para Assuntos Estratégicos do PR.
[20:19] <HenriqueSilva> Essas são algumas das ações que realizamos por aqui: MOOC/CIPEAD – PEA 2 Ofertas – 1000 Vagas Convite CAPES/UAB para remixagem do curso PEA, MOOC/CIPEAD para oferta nacional. MOOC/CIPEAD/SEAE – Formação de Gestores de Espaço Cidadão Todos os cursos de EAD são abordados os MOOC, PEA, REA MOOC – IFPR – Eureka – Preparação para o ENEM GEDAI – Marcos Wachowicz: Todo material produzido é publicado com licenç
[20:20] <HenriqueSilva> ADM/UFPR – Glauco de Menezes: Estudantes transformaram trabalhos da disciplina em REA. Criação da Semana de Educação Aberta Articulação para novas adesões
[20:21] <HenriqueSilva> A comunidade atingida, pelos números dos participantes, chega a mais de 170 mil pessoas. Nesse número estão computados todas as pessoas, de dentro das instituições, que podem se beneficiar dessas ações
[20:21] <HenriqueSilva> Também associamos o REA Paraná ao consórcio OpenEducation.
[20:21] <HenriqueSilva> E no site emundus, o REA Paraná aparece indexado como uma ação de REA. http://emundusatlas.org/initiative/216
[20:22] <HenriqueSilva> Nos links abaixo você pode encontrar mais informações sobre o programa REA Paraná: Site: http://reaparana.com.br Facebook: http://facebook.com/reaparana Repositório UFPR: http://www.portal.ufpr.br/rea.html Repositório UTFPR http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/
[20:22] <HenriqueSilva> Em linhas gerais, essa foi e está sendo a nossa trajetória até o momento
[20:22] <HenriqueSilva> Devolvo a palavra a dona Joyce
[20:23] <JoyceFettermann> Obrigada, Henrique!
[20:23] <JoyceFettermann> Parabéns, Mara e Henrique, pelas palestras e pelos projetos realizados!
[20:23] <JoyceFettermann> É muito bom ver esses resultados. Eles reforçam a importância de continuar a discussão sobre REA.
[20:23] <JoyceFettermann> Abrimos a mesa para as perguntas e discussões.
[20:24] <daniervelin_> Muito bom conhecer melhor seus projetos na UTFPR, HenriqueSilva! Muita coisa já feita, hein!
[20:25] <HenriqueSilva> Manter a discussão e trocar experiências para que as ações de pesquisa cheguem a comunidade geral
[20:25] <daniervelin_> MaraMazzardo_, muito interessante a iniciativa de desenvolver cursos para os profs. da educação básica. Como vocês pensaram no programa do curso?
[20:25] <MaraMazzardo_> Partindo das práticas dos professores de utilizar recursos da Internet
[20:26] <JoyceFettermann> Certamente, HenriqueSilva!
[20:26] <MaraMazzardo_> para organizar/produzir material didático
[20:26] <HenriqueSilva> Pois é Dani, foi dessa ação que a Capes acabou nos conhecendo e nos convidando para a oferta do curso de especialização que estamos acompanhando
[20:26] <MaraMazzardo_> fazendo isso de forma legal e explorando o potencial dos REA
[20:27] <HenriqueSilva> Uma parte da nossa motivação coincide com a da Mara
[20:27] <JoyceFettermann> MaraMazzardo_, você notou alguma dificuldade dos participantes do curso em diferenciar REA de recursos gratuitos online?
[20:27] <MaraMazzardo_> sim,
[20:28] <HenriqueSilva> minha inquietação começou ao ver alunos aprendendo com o material que encontravam na internet e não com o que era produzido ou apresentado pelos professores no presencial
[20:28] <daniervelin_> ótimo, HenriqueSilva! Parece que as universidades do sul têm se destacado muito na produção de REA e na discussão sobre a questão
[20:28] <MaraMazzardo_> confusão entre o estar disponível online com o aberto
[20:28] <HenriqueSilva> aham, bem isso
[20:28] <MaraMazzardo_> também não existe a prática de observar os direitos autorais
[20:28] <acris_profe> MaraMazzardo: Que show o curso. Estou torcendo para cresça mais e mais! Só uma pergunta: você diz, em certo momento, que "Para efetivar os 5Rs de abertura os recursos precisam estar em Domínio Público", no entanto domínio público não possui proteção alguma para o autor. Um REA pode ser feito com uma licença Creative Commons By, que garante obras derivadas ou que citem o original devam citar o autor original. Creative Commons não é
[20:28] <acris_profe> domínio público, você pode explicar melhor isso, por favor? Obrigada e parabéns!
[20:29] <MaraMazzardo_> obras em domínio público também são REA
[20:30] <MaraMazzardo_> porém a atribuição de autoria continua
[20:30] <MaraMazzardo_> não existe mais direito patrimonial, mas permanece o direito moral
[20:30] <MaraMazzardo_> que é a atribuição de autoria
[20:31] <daniervelin_> a atribuição de autoria sempre deve existir, né?
[20:31] <HenriqueSilva> no Brasil o direito autoral é inalienável
[20:31] <acris_profe> mas não existe uma obrigação legal de citar a autoria quando se usa uma obra em domínio público, não é?
[20:31] <MaraMazzardo_> no Domínio Público o Direito Moral do autor continua
[20:31] <MaraMazzardo_> existe
[20:32] <MaraMazzardo_> existe a licença domínio público do CC
[20:32] <daniervelin_> a autoria sempre deve ser citada
[20:32] <MaraMazzardo_> que não exige atribuição de autoria
[20:32] <JoyceFettermann> HenriqueSilva, vc fala sobre a resolução formulada pelo Conselho Nacional de Educação, de 2016. Que bacana!
[20:32] <MaraMazzardo_> geralmente aplicada em imagens
[20:33] <JoyceFettermann> Foi a partir do trabalho que vcs realizaram, né?
[20:33] <HenriqueSilva> Então, um dos conselheiros do CNE, sempre acompanhou nossas discussões por ser integrante da Unirede.
[20:34] <acris_profe> que ótimo!
[20:34] <HenriqueSilva> Acreditamos que, ao tratar desses temas, acabamos criando um movimento que extrapola a ação direta
[20:35] <HenriqueSilva> e aos poucos, junto com outras ações, de forma distribuída, acaba se juntando em uma ação maior
[20:35] <JoyceFettermann> O legal é que vcs já estão vendo isso acontecer na prática.
[20:35] <MaraMazzardo_> temos um trabalho imenso
[20:35] <MaraMazzardo_> o de tornar os REA conhecidos
[20:36] <MaraMazzardo_> e explorar o potencial para melhorar e diversificar os materiais didáticos
[20:36] <HenriqueSilva> outro caso dessas discussões, que sensibilizaram um colega que, na época, fazia parte do conselho da Capes que discutia os critério de avaliação dos mestrados profissionais da área de educação,
[20:36] <MaraMazzardo_> e aos poucos ir optando por recursos abertos
[20:37] <JoyceFettermann> Bacana, Mara!
[20:37] <acris_profe> HenriqueSilva: existe alguma perspectiva de levar essa ação de vocês a universidades de outros estados? Ou vocês já foram procurados para compartilhar a experiência?
[20:37] <JoyceFettermann> Aos poucos vai se criando essa mentalidade
[20:37] <HenriqueSilva> ... se concretizou com a proposta desse colega de pontuar os resultados dos trabalhos de conclusão dos mestrados com nota 5 se fossem disponibilizados como REA
[20:38] <HenriqueSilva> ele apresentou essa proposta no conselho para o triênio que iniciou em 2014 e foi aceito
[20:38] <daniervelin_> bacana, HenriqueSilva
[20:38] <JoyceFettermann> MaraMazzardo_, após o curso, você teve algum retorno de professores sobre suas autorias, usos e compartilhamento de outros REAs em suas práticas? Sabe se eles continuam produzindo REAs para usarem em suas aulas?
[20:39] <acris_profe> muito bom
[20:39] <HenriqueSilva> Os produtos dos mestrados profissionais das áreas de educação que não são liberados como REA, recebem nesse critério, a nota 1
[20:39] <MaraMazzardo_> Pretendo começar essa verificação, pois estive ocupada em escrever a tese
[20:39] <MaraMazzardo_> a proposta de formação continua
[20:40] <JoyceFettermann> Legal!
[20:40] <MaraMazzardo_> estou desenvolvendo uma edição com o grupo de Pesquisa da Professora Elena Mallmann
[20:40] <MaraMazzardo_> o GEPETER
[20:40] <MaraMazzardo_> para formar os tutores das próximas edições
[20:40] <acris_profe> MaraMazzardo_ e HenriqueSilva, peço desculpas, mas preciso me retirar, depois leio o log no site do STIS. Agradeço imensamente sua participação, trabalhos de primeira linha, parabéns!
[20:41] <HenriqueSilva> Eu agradeço o convite Ana
[20:41] <MaraMazzardo_> por ora tenho observado a preocupação dos professores e de algumas instituições em não infringir os Direitos Autorais
[20:42] <JoyceFettermann> Isso já é um bom começo, né Mara?
[20:42] <MaraMazzardo_> e interesse pelos REA
[20:42] <MaraMazzardo_> pelas possibilidades do aberto
[20:42] <HenriqueSilva> Mara, acredito que o que inibe a produção de material por parte dos professores seja justamente isso, o desconhecimento sobre os limites de uso e de direitos autorais.
[20:43] <MaraMazzardo_> sim
[20:43] <MaraMazzardo_> poucos conhecem
[20:43] <MaraMazzardo_> e sempre digo que para conhecer o aberto é necessário conhecer os direitos autorais
[20:43] <HenriqueSilva> o movimento REA foi a luz no túnel para nós, no sentido de achar uma solução plausível para mobilizar a comunidade de docentes para essa ação
[20:44] <MaraMazzardo_> a prática do compartilhamento também precisa ser incentivada
[20:44] <MaraMazzardo_> daí a importância dos repositórios institucionais
[20:45] <HenriqueSilva> minha batalha tem sido em mudar o conceito do pessoal da bibliotecas sobre o tal Repositório Institucional
[20:45] <HenriqueSilva> eles tem uma postura muito restrita sobre o que "pode" ser postado
[20:45] <HenriqueSilva> quase no nível de sensura
[20:45] <HenriqueSilva> censura
[20:46] <daniervelin_> muitos são os desafios nessa área
[20:46] <MaraMazzardo_> estamos pesquisando repositórios onde seja possível disponibilizar os REA produzidos pelos participantes das próximas edições do curso
[20:47] <HenriqueSilva> recebemos até uma sugestão de mudar o nome, ao invés de usar o conceito de repositório (que é tácito) passar a usar o termo Portal
[20:47] <HenriqueSilva> a arquitetura que propus no nosso projeto é justamente para transpor o problema do "onde colocar"
[20:48] <HenriqueSilva> é um modelo de sistemas distribuído
[20:48] <HenriqueSilva> até o momento, do ponto de vista da tecnologia, foi a melhor solução que encontramos
[20:48] <HenriqueSilva> mas ainda não conseguimos implantar efetivamente
[20:49] <MaraMazzardo_> o link do vídeo de divulgação do curso
[20:49] <MaraMazzardo_> https://youtu.be/uKY1NuaejkM
[20:50] <JoyceFettermann> Que ótimo!
[20:50] <MaraMazzardo_> e do folder
[20:50] <MaraMazzardo_> http://site.ufsm.br/arquivos/uploaded/uploads/99586fdb-9e6c-4350-bd44-413b4800db3a.pdf
[20:50] <MaraMazzardo_> o vídeo é uma adaptação de REA
[20:51] <JoyceFettermann> Eu participei do curso em 2016 e realmente foi muito bom. Houve muita produção e troca de materiais (e tb de experiências).
[20:51] <MaraMazzardo_> Os professores são imprescindíveis na implementação das políticas públicas sobre REA e na integração de REA nos materiais e nas práticas didáticas.
[20:52] <HenriqueSilva> na época criamos um vídeo para divulgar o REA Paraná
[20:52] <HenriqueSilva> https://youtu.be/16z6OcUwbiU
[20:52] <HenriqueSilva> lá tem várias explicações sobre como aconteceu a fase inicial do projeto
[20:53] <MaraMazzardo_> vou compartilhar em uma página do curso, agora direcionado para professores da Educação Básica
[20:54] <MaraMazzardo_> https://www.facebook.com/REAEducacaoBasica
[20:54] <JoyceFettermann> O que vocês consideram mais importante para quem deseja se iniciar na produção e compartilhamento de REA, mas não sabe como fazer?
[20:55] <MaraMazzardo_> conhecer o conceito de REA, as licenças abertas e
[20:55] <HenriqueSilva> outra informação importante, todo o material produzido para divulgação, orientação e treinamento sobre REA, produzido pela UFPR, está disponível para usar no repositório deles: https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/35989
[20:55] <MaraMazzardo_> as vantegens do aberto e as limitações do Copyright
[20:56] <HenriqueSilva> banners, livros, panfletos, infográficos, todos podem ser pesquisados e utilizados de forma aberta
[20:56] <MaraMazzardo_> os Little OER
[20:57] <MaraMazzardo_> imagens
[20:57] <HenriqueSilva> Só que o material que está lá ainda está com os 4R, na época o quinto R ainda não tinha se estabelecido
[20:58] <MaraMazzardo_> perspectiva da autoria e do compartilhamento e não somente na perspectiva de usuários de recursos disponíveis na Rede
[20:58] <daniervelin_> obrigada por compartilharem os links
[20:59] <MaraMazzardo_> para o professor sair da condição somente de usuário
[20:59] <MaraMazzardo_> e passar para a autoria
[20:59] <MaraMazzardo_> e compartilhamento
[21:00] <JoyceFettermann> Muito obrigada pelas participações de vcs! Acredito que essas informações podem ajudar muitos a compreender melhor o assunto.
[21:00] <JoyceFettermann> Vcs podem deixar seus e-mails, caso alguém deseje entrar em contato?
[21:00] <MaraMazzardo_> maradmazzardo@gmail.com
[21:01] <HenriqueSilva> hosilva@utfpr.edu.br
[21:01] <JoyceFettermann> Obrigada! :)
[21:02] <JoyceFettermann> Vamos encerrando nossa conferência de junho por aqui. E em junho tem mais!
[21:02] <JoyceFettermann> Será no dia 13/05
[21:02] <HenriqueSilva> Mais uma vez obrigado pelo convite!
[21:02] <daniervelin_> 13/06?
[21:02] <MaraMazzardo_> Foi um prazer participar
[21:02] <HenriqueSilva> Boa noite a todos e todas!
[21:03] <MaraMazzardo_> Boa Noite!
[21:03] <daniervelin_> obrigada, MaraMazzardo_ e HenriqueSilva!
[21:03] <JoyceFettermann> Isso, 13/06!!
[21:03] <JoyceFettermann> E teremos a participação dos professores Débora Sebriam e Tiago Soares.
[21:03] <JoyceFettermann> Boa noite a todos!
[21:04] <daniervelin_> Boa noite!
[21:04] <JoyceFettermann> Nós que agradecemos, HenriqueSilva!
[21:04] <Eliane> Boa noite!
[21:04] <MaraMazzardo_> Boa Noite!
[21:05] <marcialamary> Boa noite e obrigada pela excelente conferencia

 

Todos os trabalhos aqui publicados estão licenciados segundo a Creative Commons

Creative Commons TL Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

Based on a work at Texto Livre.