STIS 2015

3. Abril: Produção Textual e Tecnologia

3.1. registro abril

 Registro da Conferência em chat  escrito, de 17 de Abril de 2015:

 

TECNOLOGIAS DIGITAIS NO AMBIENTE ESCOLAR EM PROJETOS DE PRODUÇÃO TEXTUAL

conferencista: José Ribamar Lopes Batista Júnior

Tecnologia e poder semiótico: escrever, hoje

conferencista: Profª Drª Ana Elisa Ribeiro

 

 

moderador: Equipe STIS

 

[13:58] <adelmaa> Hoje teremos a Profa Dra Rivânia Maria Trota Santana como apresentadora e a profa Dra Ana Cristina Fricke Matte como moderadora.
[13:58] <ELIA> Boa tades Professores sejam bem vindos e bom curso para todos!
[13:58] <krlitauesc_> rozi e elia
[13:58] <AnaMatte> boa tarde a todos!
[13:58] <adelmaa> Bom trabalho a todos!
[13:58] <AnaE> obrigada!
[13:58] <debora> obrigada!
[13:58] <brenobelem> O canal vai ficar com +m?
[13:58] <AnaMatte> vai, brenobelem
[13:59] <brenobelem> ok AnaMatte, :*
[13:59] <AnaMatte> depois abre para perguntas
[13:59] <krlitauesc_> bom curso a todos
[13:59] <brenobelem> AnaMatte: obrigado! :)
[13:59] <crisguiar> Boa tarde! bom serminário a todos!
[13:59] <AnaMatte> de nada. rivaniatrotta tá contigo ;-)
[13:59] <kcastelano> Obrigad!
[13:59] <Markinho> vAMOS APROVEITAR O MÁXIMO
[14:00] <rivaniatrotta> Boa tarde, pessoal, sou Rivânia Maria Trotta Sant’Ana, membro da equipe dos Seminários Teóricos Interdisciplinares do Semiotec - STIS. Os Seminários Teóricos Interdisciplinares do Semiotec - STIS  são eventos online que procuram congregar estudiosos  e discutir temas dos mais
[14:00] <rivaniatrotta> variados campos de conhecimento que norteiam os trabalhos interdisciplinares desenvolvidos pelos participantes do grupo Texto Livre: Semiótica e Tecnologia, da UFMG.
[14:01] <rivaniatrotta> Hoje, abro o evento em nome  de Adelma Lúcia Oliveira Silva Araújo, coordenadora dos Seminários Teóricos Interdisciplinares do Semiotec - STIS .
[14:01] <rivaniatrotta>  Na conferência do STIS de hoje, dia 17 de abril 2015, dou as boas vindas a todos os participantes e aos conferencistas convidados. Passamos a apresentar  a todos os presentes os conferencistas de hoje.
[14:02] <rivaniatrotta> A profª  Drª Ana Elisa Ribeiro é doutora em Linguística Aplicada (Linguagem e Tecnologia) e mestre em Estudos Linguísticos (Cognição, linguagem e cultura) pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), onde também se bacharelou e licenciou em Letras/Português.
[14:02] <rivaniatrotta> É pós-doutora em Comunicação pela PUC-Minas (2009-2010), com pesquisa sobre layout e leitura, e pós-doutora pelo Instituto de Estudos de Linguagem da Unicamp, com pesquisa sobre leitura de infográficos e multimodalidade.
[14:02] <rivaniatrotta> Seus estudos e atividades se relacionam fortemente com sua atuação docente no Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG), onde leciona: Redação para o ensino técnico; disciplinas ligadas à produção editorial e à revisão de textos, na graduação em
[14:02] <rivaniatrotta> Letras (Tecnologias da Edição), bacharelado que ajudou a fundar; metodologia de pesquisa e disciplinas específicas em cursos de especialização; e, no Programa de Pós-Graduação em  Estudos de Linguagens, curso ligado à história do livro, das tecnologias de ler e escrever e à multimodalidade.
[14:03] <rivaniatrotta> Além de todo trabalho que ela consegue responder, e bem, pela sua execução, ela ainda é  cronista da revista eletrônica Digestivo Cultural (SP) desde 2003 e autora de livros e  publicações literárias coletivas no Brasil e em Portugal, com reconhecida atuação cultural regional e nacional, tendo sido indicada como semifinalista do Prêmio Portugal Telecom de 2014.
[14:03] <rivaniatrotta> Dentre  tantos trabalho que ela está envolvida quero citar  uma que encantou o stis e acredito encantará também a todos vocês. É uma trabalho feito em parceria com o  poeta Bruno Brum,
[14:04] <rivaniatrotta> na organização e na publicação da Coleção Leve um Livro, que distribui livros de poesia contemporânea em Belo Horizonte. Para maiores informações visite o site e depois divulgue este trabalho belíssimo: http://leveumlivro.com.br/.
[14:04] <AnaE> :)
[14:04] <rivaniatrotta> Nosso  segundo conferencista convidado que honrosamente recebemos em nosso evento STIS é o prof. Dr. José Ribamar Lopes Batista Júnior. Possui Graduação em
[14:04] <AnaE> :D
[14:04] <rivaniatrotta> Letras-Português (UFPI/2001), Especialização em Ensino-Aprendizagem da Língua Portuguesa (UFPA/2007), mestrado e doutorado em Linguística pela Universidade de Brasília. É membro da Associação Brasileira de Linguística (ABRALIN) e da Associação
[14:04] <rivaniatrotta> de Linguística Aplicada do Brasil (ALAB). Atualmente, é professor do ensino básico, técnico e tecnológico da Universidade Federal do Piauí e coordenador do Laboratório de Leitura e Produção Textual (LPT). Dedica-se a estudos nas áreas dos Novos Estudos
[14:05] <rivaniatrotta> do Letramento e da Análise de Discurso Crítica, atuando principalmente nos seguintes temas: Tecnologias Digitais Aplicadas ao Ensino de Língua Portuguesa, Educação Inclusiva e Atendimento Educacional Especializado (AEE).
[14:05] <rivaniatrotta> Antes de passar a palavra à coordenadora e líder do Projeto Texto Livre do CNPq, Profª Drª Ana Cristina Fricke Matte, que moderará nosso evento, gostaria de agradecer aos nossos conferencistas de hoje pelo espírito de colaboratividade e altruísmo mostrado desde o primeiro contato feito pela coordenadora Adelma com ambos para suas participações neste vento.
[14:06] <AnaE> ô, alegria nossa!
[14:06] <rivaniatrotta> Finalizando, com as palavras da Adelm,
[14:06] <Ribamar_> Bom demais da conta.
[14:06] <rivaniatrotta> São pessoas como vocês que nos fazem acreditar que nosso país pode sim mudar e para melhor. É preciso acreditar.
[14:06] <AnaE> :D
[14:06] <rivaniatrotta> Ana, a palavra é sua, para realizar a moderação.
[14:07] <AnaMatte> Ante de qualquer coisa, um pedido: AnaE e Ribamar_ : por favor, cuidem para não enviar trechos muito longos de uma vez, pois há um limite e o sistema corta o texto.
[14:07] <AnaE> ok
[14:07] <Ribamar_> Ok
[14:08] <AnaMatte> Agradeço a todos a presença! Vamos começar com a conferência Tecnologia e poder semiótico: escrever, hoje
[14:08] <AnaMatte> da professora Profª Drª Ana Elisa Ribeiro (CEFET/MG)
[14:08] <AnaMatte> AnaE: a sala está moderada
[14:08] <AnaMatte> isso significa que somente você e o moderador podem falar agora
[14:09] <AnaE> ok
[14:09] <AnaMatte> quando você terminar eu abro para perguntas
[14:09] <AnaE> certo
[14:09] <AnaE> posso abrir?
[14:09] <AnaMatte> AnaE: são 20 a 30 minutos! fique à vontade!
[14:10] <AnaE> obrigada!
[14:10] <AnaE> Boa tarde a todos quero começar agradecendo o convite. Fico muito honrada com a participação neste evento, em especial. E mais ainda ao lado do meu colega Ribamar, que traz a experiência de projetos muito interessantes.
[14:10] <AnaE> O texto que preparei para vocês foi escrito antes, mas me esforcei para que ele tivesse uma carinha de bate-papo
[14:10] <AnaMatte> :) obrigada
[14:10] <AnaE> Quero começar pela expressão que usei no título: poder semiótico. Já adianto que é um empréstimo.
[14:11] <AnaE> Ela não é minha, mas do professor Gunther Kress, muito conhecido no Brasil por seus livros sobre a gramática da linguagem visual e da multimodalidade.
[14:11] <AnaE> Em seu livro de 2003 (Literacy in new media age, que considero muito interessante), o professor Kress fala em distribuição do poder semiótico.
[14:12] <AnaE> Fala que “Tanto na escrita quanto na leitura o sentido é resultado do trabalho semiótico” (39)
[14:12] <AnaE> e trata a “criatividade” como algo ordinário, comum, do dia a dia das pessoas, especialmente na lida com a linguagem.
[14:12] <AnaE> Gosto muito dessa perspectiva dele.
[14:13] <AnaE> que termina por desmistificar bastante a criatividade e enxergá-la como nosso processo normal.
[14:13] <AnaE> Embora ele não defina assim, com todas as letras, parece que o “poder semiótico” é o poder que temos de lidar com signos
[14:13] <AnaE> produzir sentido, manejar linguagens. E as tecnologias digitais têm aumentado esse poder
[14:14] <AnaE> Será?
[14:14] <AnaE> Daí vem meu segundo ponto nesta conferência: o que é escrever, hoje?
[14:14] <AnaE> Penso nisso e já quero mencionar quantas linguagens podemos manejar para construir um texto, por exemplo. Um texto escrito, em especial.
[14:14] <AnaE> O importante aqui também é ter ciência de que a escrita é histórica e socialmente situada. Ou seja: não há UMA escrita.
[14:15] <AnaE> Ela é viva e depende de muitas condições, inclusive e principalmente as tecnológicas
[14:15] <AnaE> O “hoje” do meu título é expressão clara de que trato a escrita como um processo, algo que tem uma história que eu respeito muito, conheço e quero conhecer cada vez mais.
[14:15] <AnaE> As técnicas e tecnologias de que dispomos hoje são, para mim, mais uma fase dessa história, que não despreza nenhuma outra anterior.
[14:15] <AnaE> Além disso, sou dessas pessoas que consideram que há integração, que há incremento, e não competição.
[14:16] <AnaE> Temos, portanto, um cenário complexo em que convivem processos de variadas formas.
[14:16] <AnaE> Tenho me dedicado a isso em algumas pesquisas com estudantes de ensino médio, trabalhando numa disciplina ainda chamada de Redação.
[14:16] <AnaE> Não tenho nada exatamente contra o nome dela, embora saibamos que a perspectiva do processo e da “produção de textos” tenha se tornado hegemônica, ao menos desde o professor Geraldi e outros da Unicamp.
[14:17] <AnaE> Bom, mas ainda assim disciplinas chamadas Redação persistem, existem e podem ser confirmadas por um certame conhecido como ENEM.
[14:17] <AnaE> Embora o ENEM não goze exatamente de prestígio entre os jovens, ele exerce muito poder sobre eles.
[14:17] <AnaE> Vamos falar, então, de duas coisas muito diferentes:
[14:18] <AnaE> o que quer uma “redação do ENEM” e o que pedem outros textos com os quais a juventude lida, hoje em dia, em diversos dispositivos.
[14:18] <AnaE> O que quer a redação do ENEM?
[14:18] <AnaE> Se não me falha a memória, um texto curto, de aproximadamente 20 linhas, coeso e coerente, que empregue palavras em português padrão
[14:18] <AnaE> e que lance argumentos e uma solução para algum tema oferecido sem preparação prévia (exceto pela sorte).
[14:19] <AnaE> Tenho tratado disso com os estudantes como “temas quentes” e “temas frios”, mas levando sempre à reflexão sobre quanto um texto assim é básico e ordinário.
[14:19] <AnaE> Não pode ser difícil. Não pode ser impossível. Não pode ser extraordinário escrever assim.
[14:19] <AnaE> O professor Kress confia na criatividade de todos nós. :)
[14:19] <AnaE> No entanto, precisamos tratar de muitas outras coisas.
[14:19] <AnaE> Meus estudantes produzem boas fotos, editam vídeos e escrevem relatórios ilustrados.
[14:20] <AnaE> São poderosos, semioticamente falando. Não é mesmo?
[14:20] <AnaE> Trato, então, de torná-los cientes da edição dos textos. Penso que esse seja um exercício necessário, importante.
[14:20] <AnaE> Sinto que a escola faz seu papel e de forma diferenciada quando trabalha sobre o saber, a ciência, a distribuição do poder.
[14:20] <AnaE> Não quero ser professora de informática, por exemplo. Não me interesso por dar aulas de como mexer em programas ou como usar ferramentas.
[14:20] <AnaE> Estamos falando de pessoas de 16-17-18 anos
[14:20] <AnaE> Geralmente, eles se entediam também, ou porque já sabem ou porque vão aprender “fuçando”, mais rapidamente.
[14:21] <AnaE> O poder está em empregar a ferramenta mais adequada para cumprir a tarefa.
[14:21] <AnaE> E se a tarefa for um texto, eles precisam se interessar pela função dele, por seu modo de fazer, pelas linguagens que melhor exprimem o que se deseja dizer.
[14:21] <AnaE> Bem, há pouco tempo, trabalhamos regras de jogos.
[14:21] <AnaE> O ponto da matriz curricular era a descrição, mas a narrativa também estava presente ali.
[14:21] <AnaE> Para trabalhar uma descrição mais útil para eles, propus regras de jogos.
[14:22] <AnaE> Primeiro, entreguei um jogo de tabuleiro para que eles jogassem a partir da explicação lida. Era o Batalha Naval.
[14:22] <AnaE> Pasmem: a maioria dos meninos e meninas nunca havia jogado Batalha Naval.
[14:22] <AnaE> E discutiram noções de coordenadas cartesianas, bombardearam-se, foi ótimo. Mas jogar apenas lendo as instruções não foi muito fácil. Dúvidas ficaram e então passamos a discutir como é difícil escrever regras.
[14:22] <AnaE> O exercício seguinte era produzir regras.
[14:22] <AnaE> Os alunos poderiam escolher entre dois jogos simples e muito conhecidos: Jogo da Velha e Forca.
[14:23] <AnaE> Todos conheciam, todos sabiam como jogar. Mas nunca haviam produzido um texto com essas regras.
[14:23] <AnaE> Primeira dificuldade: como é duro colocar-se no lugar do outro!
[14:23] <AnaE> O outro que não conhece o jogo, que não sabe o passo a passo, que não compreende o que fazer.
[14:23] <AnaE> Segunda dificuldade: que linguagens exprimem melhor o que queremos dizer?
[14:23] <AnaE> Basta descrever com palavras? Onde fica o limite das palavras? O que elas não podem dizer?
[14:24] <AnaE> E quando é permitido orquestrar outras linguagens? Que habilidades preciso construir para tal?
[14:24] <AnaE> Bem, não dei muitas restrições a ninguém.
[14:24] <AnaE> À medida que foram sentindo necessidade, os estudantes escolheram uma forma de organizar as regras, um modo de distribuí-las na página, o que já não é banal.
[14:24] <AnaE> Todos preferiram escrever em tópicos. E não porque estivessem com preguiça.
[14:24] <AnaE> Mas porque sentisssem a necessidade de uma organização explícita no texto, neste gênero, em específico.
[14:25] <AnaE> Os redatores mais tímidos mantiveram a hegemonia das palavras, mas reconheceram limites em suas regras.
[14:25] <AnaE> Já os mais arrojados passaram às imagens, quando sentiram que precisavam “mostrar” também.
[14:25] <AnaE> O professor Kress aborda muito isso. O universo do mostrado (e do mostrável) é diferente do universo do narrável ou descritível em palavras.
[14:25] <AnaE> Às vezes, é necessário mostrar ou mostrar será mais eficaz. E por que não?
[14:25] <AnaE> Os estudantes que preferiram mostrar optaram por desenhar tabuleiros, desenhar X e O, mostrar, por meio de desenhos, quais são as jogadas permitidas, quais as vitoriosas.
[14:26] <AnaE> Friso que esses textos eram orquestrações entre palavra e imagem. Eles não se esqueceram das palavras.
[14:26] <AnaE> O passo a passo do Jogo da Velha, por exemplo, precisou do incremento das imagens, em vários casos.
[14:26] <AnaE> O que alguém que não soubesse jogar poderia preferir?
[14:26] <AnaE> Bem, mas esse é um exemplo de produção de textos que traz à tona as questões da orquestração de linguagens, da multimodalidade.
[14:26] <AnaE> (Embora minha compreensão do que seja multimodalidade vá muito além de uma mistura entre texto e imagem.)
[14:27] <AnaE> Os estudantes podem produzir textos que dependem do manejo de palavras, imagens (desenho, foto, etc., que são modalizações diferentes da “imagem”).
[14:27] <AnaE> Mas isso foi raro em suas vidas de frequentadores de escolas.
[14:27] <AnaE> O ENEM e sua “redação” me tiram o fôlego para fazer projetos assim.
[14:27] <AnaE> Aqueles três parágrafos tornam-se uma espécie de meta final de grande parte dos meninos.
[14:27] <AnaE> Mas queremos achar que isso é medíocre, com o perdão da palavra e sem querer ofender ninguém.
[14:28] <AnaE> Penso que as tecnologias digitais podem aumentar o poder semiótico de todos nós quando nos damos conta de que há ferramentas ali que estendem nosso manejo da linguagem.
[14:28] <AnaE> Não sei desenhar, mas consigo produzir gráficos lindos empregando apenas um dedo no mouse.
[14:28] <AnaE> Acho que é isso. Escrever hoje – respondendo à minha própria pergunta – é ter a chance de manejar mais ferramentas para ampliar minhas formas de expressão.
[14:28] <AnaE> Os estudantes com quem atuo sabem disso.
[14:28] <AnaMatte> AnaE: 10 min
[14:29] <AnaE> Quero ajudá-los a refletir sobre isso, sobre como isso tem a ver com poder, com linguagem e com expressão.
[14:29] <AnaE> É isso, AnaMatte
[14:29] <AnaE> É isso, pessoal
[14:29] <AnaMatte> excelente, muito obrigada!
[14:29] <AnaE> sei que falando assim fica tudo muito ligeiro, mas quero sugerir um texto que publiquei
[14:29] <AnaE> há mais detalhes do mesmo projeto lá, só que com outro gênero
[14:29] <AnaE> Ele está aqui: http://online.unisc.br/seer/index.php/signo/article/view/3714
[14:30] <AnaMatte> perfeito!
[14:30] <AnaMatte> Você quer abrir para perguntas já ou deixamos para o final?
[14:30] <AnaE> vocês é que sabem
[14:30] <AnaE> como for melhor
[14:30] <AnaMatte> Vamos abrir para algumas perguntas, as outras ficam para o final, ok?
[14:31] <AnaE> ok
[14:31] <Vania> Boa Tarde
[14:31] <AnaMatte> A sala está aberta, fiquem à vontade para enviar suas perguntas e comentários para a prof.a Ana Elisa
[14:31] <Vania> Desculpe-me pelo atraso
[14:31] <AnaE> boa tarde
[14:31] <ronny_> boa tarde
[14:31] <Markinho> boa tarde
[14:31] <thayane_> internet é tido como um novo genero?
[14:32] <Guest35055> Boa tarde!
[14:32] <AnaE> Thayane, não encaro a internet como novo gênero e nem como gênero
[14:32] <thayane_> obrigada
[14:32] <AnaE> a internet é um "espaço", ambiente, algo assim, e os gêneros circulam por lá
[14:32] <Vania> Gostaria de saber qual a proposta que ela tem para atividades de produção de texto, afim de que os alunos possam se interessar pela escrita.
[14:32] <wandufla_> Boa Tarde Professora Ana Elisa. Primeiramente gostaria de parabenizar pelo maravilhoso trabalho. Essa realidade graças a Deus ja está mudando pois verificamos que muitos cursos de licenciatura
[14:32] <AnaE> Vania, isso é tão difícil, não é?
[14:33] <Vania> sem dúvida
[14:33] <Ribamar_> Acredito, AnaE, que a sua angústia em relação ao Enem é a mesma da minha. Inclusive, começo o período letivo falando ao aluno que teremos aula de Língua Portuguesa.
[14:33] <wandufla_> ja preparam o aluno pras novas tecnologias e como utiliza las de forma a favorecer o desenvolvimento pleno do aluno.
[14:33] <Vania> esse tem sido meu desafio em sala de aula
[14:33] <wandufla_> Como voce analisa esse avanço nos ultimos anos?
[14:33] <AnaE> eu sempre penso as atividades de produção de textos com temas que possam interessar as turmas, mas dentro do que preciso ensinar também
[14:33] <Raissa_> Ana Elisa, você citou a questão do Enem ser um fim para os alunos. Além do Enem, quais outros fins você vê presente para os estudantes?
[14:33] <Guest35055> qual dificuldade vc percebe que os alunos encontram com relação à escrita em meio a era digital?
[14:33] <AnaE> outro dia, eles escreveram comentários sobre cyberbullying e ficaram bem envoldiso
[14:33] <AnaE> envolvidos
[14:34] <AnaE> depende muito a circunstância
[14:34] <Vania> nesses anos de trabalho criei algumas estratégias que têm dado resultado, mas ainda é lento
[14:34] <AnaE> ao contrário do que muitos dizem, numa certa mitologia da escrita, a escrita não é uma atividade solitária. Ela depende de muita interação com o mundo antes! E depois!
[14:34] <Vania> Elaborei um projeto sobre esse assunto e tenho me empenhado nele
[14:35] <Vania> Ana, meu projeto fala exatamente sobre isso
[14:35] <Markinho> Toda forma de comunicação pela net se torna mais interessante no momento em que as ferramentas fogem da normlidade
[14:35] <AnaE> wandufla, não sei quanto ao desenvolvimento pleno... mas uso tecnologias digitais só quando realmente faz sentido.
[14:35] <AnaE> quanto a tecnologia traz um aporte impossível sem ela
[14:35] <AnaMatte> AnaE: eu adorei o conceito de criatividade. Lembra de Baudelaire e o artista deixando a aura na sargeta! E também me lembra daqueles jovens escritores que se desesperam com aquela "frase linda, perfeita" que não cabe no contexto...
[14:35] <jennyhorta> Boa tarde, AnaE! O que você acha de trabalharmos este tipo de multimodalidade desde as séries iniciais? Tive a ousadia de montar um blog com crianças de 5 anos em diante...
[14:35] <debora> Ótimo!
[14:36] <debora> Adorei a pergunta
[14:36] <manuel_____> Ótima colocação, Jenny!
[14:36] <thayane_> adorei a pergunta!
[14:36] <AnaE> Raissa, como ministro Redação... só ouço falar em Enem! kkk
[14:36] <adriane> Jennyhorta: você notou que as crianças ampliaram o repertório com o seu projeto?
[14:37] <rivaniatrotta> Profa. Ana Elisa, a sua apresentação foi muito interessante, e o projeto com os adolescentes me pareceu muito instigante, tanto para o professor, que tem uma oportunidade incrível de observar como os alunos produzem conhecimento sobre a escrita, quanto para os próprios alunos, que experimentam, se apropriam de recursos e produzem autoria.
[14:37] <AnaE> o negócio é tentar que eles vejam que o ENEM é um texto específico... mas que é precário achar que disso depende escrever bem. Gosto de propor muitas outras coisas.
[14:37] <ronny_> ana, eu participo de um projeto de pesquisa que tem como assunto principal a cultura digital
[14:38] <jennyhorta> Sim! Aliás, algo me faz les, depois dos 11,1ção",da "reda2, perdem a motivação, justamente pelo aspecto formal alguma coisa faz com que ecrer que
[14:38] <AnaE> Jennyhorta, acho que é ótimo. Aliás, fiz uns testes com crianças e elas têm mais facilidade de lidar com várias linguagens do que os maiores. E não porque sejam gênias. Mas é que os maiores já foram podados.
[14:38] <jennyhorta> *crer
[14:38] <marcia> Como tornar  essas ferramentas mais atrativas nas aulas da educação básica?
[14:38] <Poliana> Ronny qual o seu projeto?
[14:38] <manuel_____> Este método do ENEM é amplamente reducionista quanto a produção do aluno. Ele só leva em conta aspectos estruturais, deixando de lado elementos de outras ordens sejam elas linguísticas ou semióticas.
[14:39] <AnaE> Obrigada, Rivania :)
[14:39] <AnaE> isso mesmo, Manuel
[14:39] <adriane> em relação a formação dos professores... considero que todos contribuem para a construção do repertório dos alunos, mas me parece que os que são formados na maioria das licenciaturas, especialmente os das naturais e exatas, estão tendo um acesso tão limitado à construção cultura digital, da produção textual com as tecnologias digitais...
[14:39] <ericayhwh> muito bom
[14:39] <AnaMatte> 1 min
[14:39] <debora> é verdade
[14:39] <Vania> Ainda sinto dificuldades com relação ao uso das novas tecnologias para o ensino de produção de texto, pois muitos alunos não sabem como usar essas tecnologias
[14:39] <AnaE> Marcia, essa é a questão para todos nós. Tornar atraente. Não há um manual. Acho fundamental que tenhamos um contato firme, sincero e aberto com os alunos.
[14:40] <AnaE> Vania, eu mesma não acho que precisemos fazer tudo no computador.
[14:40] <ronny_> Poliana,a Formação de professores e cultura digital
[14:40] <Vania> Márcia, também sinto a mesma necessidade. Tornar as aulas atraentes não é algo fácil
[14:40] <AnaE> No caso da orquestração de mais de uma linguagem, interessa primeiro que o aluno consiga projetar um texto, entende?
[14:40] <AnaMatte> Pessoal, vamos encerrar por enquanto para assistir à apresentação do prof. Ribamar. Muito obrigada, AnaE, pela excelente e estimulante conferência
[14:41] <AnaE> de nada! Obrigada a todos!
[14:41] <Gabu> Ana, qual a sua opinião sobre a linguagem cada vez mais informal dos jovens usada nas redes sociais, que, às vezes, eles trazem na escrita da sala de aula?
[14:41] <manuel_____> Foi maravilhoso!
[14:42] <AnaMatte> Bem, gostaria, então de passar a palavra ao professor José Ribamar Lopes Batista Júnior (UFPI/CTF/LPT/CNPq)
[14:42] <AnaMatte> que vai apresentar a conferência TECNOLOGIAS DIGITAIS NO AMBIENTE ESCOLAR EM PROJETOS DE PRODUÇÃO TEXTUAL
[14:42] <AnaMatte> Ribamar_: boa tarde!
[14:42] <Ribamar_> Boa tarde a todos.
[14:43] <AnaMatte> vamos repetir o esquema da AnaE
[14:43] <Ribamar_> ok
[14:43] <AnaMatte> 20 a 30 minutos e depois abrimos para perguntas, ok?
[14:43] <Ribamar_> certo
[14:43] <AnaMatte> fique à vontade e muito obrigada
[14:43] <Ribamar_> Primeiramente, quero agradecer ao Grupo Texto Livre, principal-mente, a Profa. Adelma Araújo pelo convite, bem como pela oportu-nidade de apresentar as atividades desenvolvidas no Laboratório de Leitura e Produção Textual (doravante LPT) do Colégio Técnico de Floriano da Universidade Federal do Piauí.
[14:44] <Ribamar_> Esclareço que vou fazer referências aos slides em determinados momentos.
[14:44] <Ribamar_> A aprendizagem da escrita passa por fases de amadurecimento e aperfeiçoamento, indo da codificação/decodificação da palavra escrita até delicados processos de construção argumentativa ou poética.
[14:44] <Ribamar_> Contudo, muitos fracassam ante o imperativo de se criar pontes entre conhecimentos oriundos de diferentes domínios.
[14:45] <Ribamar_> Nesse sentido, adotamos a visão da Teoria Social do Letramento (Barton, 1998) segundo a qual os usos cotidianos da leitura e da es-crita correspondem ao conjunto de saberes de que lançamos mão ao excursionarmos em domínios desconhecidos, funcionando como filtros pelos quais compreendemos os demais textos.
[14:45] <Ribamar_> Esse conjunto de usos é passível de ser expandido, se construirmos pontes entre os diferentes conhecimentos em atividades de domínios próximos aos que já conhecemos.
[14:46]  * AnaMatte código dos slides: ribamar (abrir na janela ao lado)
[14:46] <Ribamar_> Na capa dos slides, temos uma visão geral dos projetos que desenvolvemos no Laboratório.
[14:46] <Ribamar_> No slide 2 temos o objetivo principal do Laboratório
[14:47] <Ribamar_> Fomentar práticas sociais de leitura e escritas com vistas à emancipação e inclusão social
[14:47] <Ribamar_> Antes de apresentar as experiências desenvolvidas pelo LPT nos anos de 2011 a 2015, quero apresentar alguns dados para que vocês possam compreender a dimensão do que produzimos.
[14:48] <Ribamar_> No slide seguinte, temos a estrutura do nosso Laboratório (em construção).
[14:49] <Ribamar_> na foto 1, temos a Biblioteca Setorial com quase 1000 títulos; na foto 2, a Radiotec, a rádio escolar online; nas fotos 3 e 4, uma visão do Laboratório.
[14:50] <Ribamar_> Ano passado, tivemos a aprovação do projeto “Múltiplos Letramen-tos na Educação Profissional e Tecnológico” na chamada universal do CNPq. Com isso, estamos ampliando com a compra de diversos equipamentos: computadores, impressoras, dentre outros.
[14:50] <Ribamar_> Cito isso porque até 2014, todos os recursos financeiros, infelizmente, saiam do meu bolso pela falta de apoio da gestão.
[14:51] <Ribamar_> Pessoal, peço, por gentileza, que vocês procurem me acompanhar com os slides na tela ao lado
[14:51] <Ribamar_> o código é ribamar
[14:52] <Ribamar_> Em relação às pesquisas, atualmente, estamos desenvolvendo um projeto sobre rádio escolar, outro sobre a educação profissional (observando porque os alunos escolhem essa modalidade) e o último sobre educação inclusiva. Isso vocês podem visualizar no slide 4
[14:52] <Ribamar_> E no slide 5, temos os projetos já desenvolvidos.
[14:53] <Ribamar_> Uma ação importante no Laboratório é a pesquisa. Por conta dos projetos, temos a cada edital, o interesse de vários alunos. Logo, cresce o número de bolsistas, como vcs podem observar no slide 6.
[14:54] <Ribamar_> Para finalizar a contextualização, temos a quantidade de trabalhos publicados no Laboratório, no slide 7.
[14:54] <Ribamar_> Vamos, agora, apresentar os projetos desenvolvidos. Primeiro, precisamos compreender como foi pensado o ensino médio em relação ao ensino de Língua Portuguesa.
[14:55] <Ribamar_> No primeiro ano, o foco é na leitura, visto que chegam ao CTF com nível muito abaixo. Dificilmente, você encontra alunos com hábito de leitura. No segundo ano, a argumentação oral; No terceiro, aspectos de escrita (por conta do Enem) e cidadania. SLIDE 8
[14:55] <Ribamar_> O primeiro projeto que desenvolvo é o Pipoca Cultural
[14:55] <Ribamar_> O objetivo do projeto é trabalhar com produtos culturais (principal-mente livros e cds). É desenvolvido no primeiro semestre. A finali-dade é produzir um catálogo de produtos culturais no YouTube (onde vocês podem conferir alguns videos). Para isso, os alunos, em grupo, elaboram sinopse e trailers.
[14:56] <Ribamar_> Trabalhamos também o site de uma livraria (que contem dados técnico sobre os livros e filmes) e portal de filmes como o adorocinema.com
[14:56] <Ribamar_> *técnicos
[14:57] <Ribamar_> No slide 10 temos a metodologia empregada no projeto
[14:57] <Ribamar_> O pipoca cultural é desenvolvido nas turmas de primeiro ano do ensino médio.
[14:58] <Ribamar_> Até ano passado, outro projeto de leitura se chamava (Re)Descobrindo os Clássicos e, neste ano, resolvemos mudar o nome para Leitura em Cena. Mais na frente explico porque.
[14:58] <Ribamar_> Como no primeiro projeto inserimos o aluno na prática de leitura, agora, passamos a trabalhar adaptações de clássicos da literatura, em que são discutidos  também problemas da juventude: drogas, bully-ing, separação dos pais, dentre outros.
[14:59] <Ribamar_> No slide 13, há exemplos de livros que são trabalhados no projeto.
[14:59] <Ribamar_> Dona Casmurra e Seu Tigrão é uma releitura de Dom Casmurro.
[14:59] <AnaMatte> Ribamar_: 10 min
[14:59] <Ribamar_> Em seguida, temos a lista de todos os livros trabalhados.
[14:59] <Ribamar_> Ok, Ana Matte
[15:00] <Ribamar_> Em seguida, fotos das apresentações dos livros em forma de Sarau (SLIDE 15)
[15:00] <Ribamar_> O terceiro projeto é o Polêmicas em Debate
[15:00] <Ribamar_> É o meu xodó
[15:00] <Ribamar_> Desenvolvido com as turmas de segundo ano. Confesso que é um dos projetos que mais gosto, principalmente, porque é a oportunidade dos alunos trabalharem a oralidade, prática muito rara nas escolas públicas que ainda priorizam o texto escrito.
[15:01] <Ribamar_> A cada edição, vamos selecionando os tópicos por meio de enquetes nas redes sociais ou em sala de aula. Usamos também a revista Mundo Estranho que mensalmente faz uma enquete. A seguir, os temas trabalhados ano passado.
[15:01] <Ribamar_> no slide 18
[15:01] <Ribamar_> Nos slides de 19 a 21 temos os cartazes produzidos e os momentos dos debates.
[15:02] <Ribamar_> O debate é realizado presencialmente, mas as discussões continuam nas redes sociais. Eu, como professor e idealizador do projeto, pergunto aos alunos o que acharam do debate. Observem que temos 76 curtidas e 187 comentários. Resultado de um excelente debate.
[15:02] <Ribamar_> Observem no slide 22
[15:02] <Ribamar_> É interessante como os debates mexem com os alunos. Como eles continuam as discussões nas redes sociais, no ônibus, no restaurante universitário e comentam sobre tudo. Às vezes, até opinam porque não tiveram tempo ou espaço no momento do debate.
[15:02] <Ribamar_> Compreendemos que o aluno precisa ler e escrever, ser mais atuante, critico. Além disso, entendemos que ele deve pensar no outro, ou se-ja, ser cidadão. Por conta disso, surgiu o projeto Ação Legal.
[15:02] <Ribamar_> A ideia é pensar em um problema social e propor uma campanha de conscientização a partir de diversos gêneros dessa esfera e promover ações nas redes sociais e no pátio da escolar, durante o intervalo.
[15:03] <Ribamar_> Vários gêneros textuais são produzidos para a campanha: cartazes, banners, folders, spot, vídeos
[15:03] <Ribamar_> Eles criam página no facebook, criam eventos também no facebook.
[15:04] <Ribamar_> Vocês podem observar o que é feito no Ação Legal até o slide 36
[15:04] <Ribamar_> O outro projeto desenvolvido é a Radiotec, rádio escolar online, com dois programas: Estação Conhecimento e Pipoca Cultural
[15:05] <Ribamar_> Procuramos aproveitar na rádio tudo que é produzido pelos alunos em sala de aula nos projetos já citados.
[15:05] <Ribamar_> O resultado desses projetos foi o maior engajamento dos alunos nas aulas de língua materna e melhor desempenho na escrita formal por parte dos alunos, evidenciando a necessidade de projetos que agreguem os usos das novas tecnologias, tão comuns ao dia a dia de nossos alunos.
[15:05] <Ribamar_> Gostaria de finalizar apresentando outras atividades do Laboratório por compreendermos que a educação e a leitura não se encontra exclusivamente no espaço da sala de aula.
[15:06] <Ribamar_> O primeiro deles é o Sarau LPT, atividade que envolve música, teatro, poesia e dança. Com o Sarau, observamos que a escola tem muitos talentos e a partir disso, criamos outro projeto.
[15:06] <Ribamar_> O projeto Som do Intervalo que consiste na apresentação de músicas, poesias (de autoria dos alunos) dentre outros nos intervalos da ma-nhã e tarde. O dia escolhido foi a quarta-feira porque concentra a maior presença de alunos e, principalmente, de professores. SLIDE 41
[15:06] <Ribamar_> A partir de 2015, o Laboratório desenvolverá mais três projetos, sendo dois deles envolvendo leitura e tecnologias digitais também. Destaco o Quer que eu desenhe? É tentativa de transpor os conheci-mentos do curso técnico na elaboração de infográficos. É a primeira edição.
[15:07] <Ribamar_> Construímos uma parceria com o curso de Agropecuária para estudar sobre agrotóxicos, envolvendo Linguagem, Agrárias e Saúde.
[15:07] <Ribamar_> Para ampliar o repertório de leitura e escrita dos alunos, vamos ofer-tar inúmeras oficinas com convidados/as. Inclusive, estou tentando levar a Ana para Floriano/PI, mas ainda não encontramos uma data bacana. Logo logo vai dar certo.
[15:07] <Ribamar_> Finalizo que essas atividades desenvolvidas fora da sala de aula aju-dam muito no que proponho nas aulas de Língua Portuguesa. O aluno fica motivado. Dificilmente um aluno não tem interesse em participar de leitura e escrita.
[15:07] <Ribamar_> É isso. Muito obrigado pela oportunidade.
[15:07] <AnaMatte> Excelente trabalho, professor Ribamar_ , muito obrigada! vou abrir 10 min para perguntas para você e depois para você e a AnaE , ok?
[15:08] <Ribamar_> certo
[15:08] <Ribamar_> O site do Laboratório é www.labproducaotextual.com
[15:08] <AnaMatte> Está aberto a perguntas, fiquem à vontade
[15:08] <debora> Muito esclarecedor!
[15:08] <adriane> Ribamar, você teve algum retorno dos alunos sobre se a participação nestes projetos aumentou a apropriação dos conteúdos das disciplinas diversas com temas relacionados aos projetos? A autoria nas diversas mídias/linguagens favorece a apropriação de outros saberes?
[15:08] <rivaniatrotta> Professor Ribamar, que trabalho maravilhoso!
[15:09] <cidabrasileiro_> Boa tarde, professor. Sou coordenadora do PIBID de Letras:" as multiplas linguagens na sala de aula"
[15:09] <wandufla_> Parabéns professor, achei muito interessante como a linguagem apresenta seu papel social dentro desse maravilhoso trabalho.
[15:09] <Anna_> Ótimo trabalho! Parabéns pelos projetos
[15:09] <Vania> Você acha viável estes projetos nas escolas estaduais?
[15:09] <Ribamar_> Como convivo diariamente com os alunos, observo como os projetos favorecem o protagonismo juvenil, adriane
[15:09] <Ribamar_> eles se tornam mais críticos, mais atuantes, se comunicam e escrevem bem melhor
[15:09] <ronny_> Muito legal os seus projetos Ribamar.
[15:09] <cidabrasileiro_> A grande dificuldade é fazer com que os professores abram acesso as novas tecnologias
[15:10] <adriane> que bacana!
[15:10] <AnaE> O projeto é fantástico, Ribamar. Ainda acharemos jeito de eu ir visitar. :D
[15:10] <Markinho> mas alguns ainda não se apropriaram desses conhecimento
[15:10] <manuel_____>  Fantástica a iniciativa, Ribamar. Atividades íntegras com estas trazem mais sentido pro aluno.
[15:10] <Markinho> enquanto o aluno já
[15:10] <Ribamar_> O aluno já.
[15:10] <Markinho> mas é válida essa iniciativa e deve ser replicada
[15:10] <Roziane> Muito  bom os seus projetos professor...
[15:10] <Maikel_> quem dera se toda escola tivesse um laboratório desse ne :D
[15:10] <rivaniatrotta> Prof. os alunos participam inclusive da escolha de projetos a serem desenvolvidos?
[15:10] <Ribamar_> Inclusive, uso as atividades que o Redigir, coordenado pela Carla Coscarelli em sala de aula e nesses projetos.
[15:11] <Anna_> e  a prendizagem se dá de maneira significativa, o que acaba despertando a motivação dos alunos
[15:11] <Ribamar_> Nesse ponto, não, rivaniatrotta
[15:11] <Markinho> as fontes de conehcimento estão disponíveis né não?
[15:11] <krlitauesc_> Parabens pelos trabalhos
[15:11] <AnaMatte> Ribamar_: Esse trabalho é feito com alunos do ensino médio, certo? Como você pensa que poderia ser aproveitado no ensino superior?
[15:11] <Ribamar_> Eu faço a escolha dos projetos a partir da minha observação
[15:11] <frankiele> Muito interessante os temas abordados
[15:11] <Ribamar_> Do que acredito que falta para ele
[15:11] <Markinho> Conheço a professor Carla, é nota 1000
[15:11] <Ribamar_> Que não foi oportunizado no ensino fundamental
[15:12] <Vania> Foi minha pofessora
[15:12] <Ribamar_> Todos os projetos são realizados no ensino médio, AnaMatte
[15:12] <ronny_> as vezes o que falta e o professor que tem a vontade de fazer mudar o dia-a-dia dessas criancas
[15:12] <Vania> Por que não no ensino fundamental?
[15:12] <marcia> Professor a sua exposição motivou-me a desenvolver um projeto interdisciplinar na escola dos anos iniciais do ensino fundamental, utilizando as tecnologias. Todavia, as condições não sao favoráveis, pois o nosso laboratorio de informatica é um deposito de livros.
[15:12] <Ribamar_> Confesso que não sei como realizar isso no ensino superior
[15:12] <danschneider> desculpem (se tiver aparecido para vocês, rsrs..). Cliquei no lugar errado aqui. ¬¬
[15:13] <Ribamar_> Eu sempre trabalhei com projetos, desde a quinta série (sexto ano).
[15:13] <Andreaazevedo> Boa tarde a todos. Parabéns aos professores conferencistas. Prof.  Ribamar, em sua opinião, é viável desenvolver em turmas do EF 2 a mesma metodologia do projeto demonstrado com alunos do EM - pipoca cultural? pergunto-lhe porque tenho visto meus filhos de 12 anos envovlidos em atividades semanais similares. Obrigada e me desculpe, estou com problemas de equipamentos.
[15:13] <AnaE> Ribamar, os alunos participantes são voluntários ou são suas turmas de aulas?
[15:13] <Ribamar_> Atualmente, estou apenas no ensino médio e com muito orgulho.
[15:13] <elviraa> Como aluna de letras e futura professora só desejo que este projeto incrível se estenda e abranja mais e mais escolas.
[15:14] <thayane_> é verdade. otimo projeto.
[15:14] <Ribamar_> Eu envolvo todos os meus alunos do Ensino Médio, AnaE
[15:14] <Ribamar_> Porque aplico nas minhas aulas
[15:14] <AnaMatte> Ribamar_: o ensino superior tem algumas particularidades que devem ser respeitadas, mas acho que é imprescindível continuar pensando em formas de tornar o ensino mais estimulante, os alunos chegam muito novinhos aqui
[15:14] <Ribamar_> Acredito que o Pipoca Cultural pode ser desenvolvido em qualquer nível, inclusive no Ensino Superior
[15:15] <Ribamar_> Respeitando as particularidades de cada um, como bem frisou a profa. AnaMatte
[15:15] <adriane> os projetos contam com o apoio e participação dos outros professores da escola? formam-se redes?
[15:15] <AnaE> eu fico pensando é que, infelizmente, esse tipo de ação costuma ser um projeto de um professor... já pensou se fossem coletivos? Trabalhar juntos é tão difícil, não é?
[15:15] <Ribamar_> Infelizmente não, AnaE
[15:15] <Ribamar_> Faço tudo sozinho
[15:15] <ericayhwh_> projeto maravilhoso mesmo .
[15:15] <Ribamar_> Inclusive, quem fez toda a catalogação da biblioteca foi eu
[15:15] <JOSEFA> Parabéns, professor. O projeto é encantador e vejo que traz motivação para os alunos se tornarem pessoas críticas
[15:15] <manuel_____> O projeto é maravilhoso. Ele aborda o ensino de língua em uma perspectiva íntegra do uso da linguagem em suas diversas manifestações. Pararbéns!
[15:15] <Ribamar_> Obrigado a cada pelas manifestações.
[15:15] <AnaE> pois é... isso é uma pena. Difícil ter parceiros...
[15:16] <adriane> os outros professores não se envolvem por não considerar importante?
[15:16] <Ribamar_> Peço desculpas se já deixei de responder alguém
[15:16] <Roziane> Professor como trabalhar  com atividades desenvolvidas em um desses projetos  em escolas que o laboratório de informática não funciona, não tem internet e os professores não possuem  formação tecnológica??
[15:16] <Vania> Qual a viabilidade desses projetos em escolas públicas estaduais, uma vez que dependem de recursos?
[15:16] <IsaOliveira> Ribamar, há perspectiva desse laboratório ser estendido ao ensino ffundamental oara dirimir um pouco dos problemas que o aluno já chega no ensino médio?
[15:16] <Ribamar_> Eu tentei mostrar como é possível fazer na sala de aula, visto que alguém perguntou para a AnaE
[15:16] <ronny_> No IF que eu estudo existe os cursos superiores em um bloco e no outro o ensino medio integrado, os professores criaram projetos para ambos os alunos participarem de acordo com o agrado de cada um
[15:16] <ericayhwh_> professor de parabéns pq não deve ser fácil elaborar um projeto desse, e ainda mais difícil colocá- lo em pratica
[15:16] <Ribamar_> Lá não temos internet tb de qualidade
[15:16] <Gabi__> Sou bolsista do Pibid e estamos planejando um projeto interdisciplinar de inglês e espanhol. As expectativas são grandes
[15:17] <Ribamar_> Eu faço muita coisa em casa e os alunos também.
[15:17] <manuel_____> Bem colocado prof, AnaE.
[15:17] <Ribamar_> Nunca usei um Laboratório de Informática da escola
[15:17] <Ribamar_> Nunca está disponível
[15:17] <Poliana> Projeto MUITO banaca!
[15:17] <adriane> usa os celulares?
[15:17] <Ribamar_> Infelizmente não tenho como estender para o ensino fundamental
[15:17] <Ribamar_> porque no meu campus não tem o curso de letras
[15:18] <Ribamar_> E não tenho parceiros
[15:18] <Ribamar_> A parceria que existe é aqui na UFMG
[15:18] <Maikel_> em sala de aula dá pra fazer muita coisa bacana tb, aqui vc nos dá varias ideias
[15:18] <Ribamar_> Eu faço com que os alunos utilizem o celular também
[15:18] <Madu> Também fiquei curiosa se vc usa celular em algum projeto. Acaba usando, claro.
[15:18] <AnaMatte> tem wireless na escola?
[15:18] <adelmaa>   Não tinha, não é Ribamar?
[15:18] <adriane> a escola disponibiliza wifi para os alunos? há restrições de acesso?
[15:19] <Ribamar_> Usei o celular numa atividade do Redigir sobre selfie
[15:19] <Ribamar_> resultado foi espetacular
[15:19] <Andreaazevedo> Parabéns, Prof. Ribamar. Espero e desejo que a evolução do seu projeto seja a interdisciplinaridade, ou seja, a adesão de seus colegas independente de recursos. Sua experiência mostra que se fosse depender de recursos, os projetos não estariam acontecendo. Parabéns.
[15:19] <Markinho> Ferramenta nova.
[15:19] <Vania> Mesmo não tendo como estender para o ensino fundamental, acredito que alguns desses projetos podem ser desenvolvidos também com turmas de 9° ano, não é?
[15:19] <krlitauesc_> interessante.
[15:19] <Ribamar_> Obrigado, andreaazevedo
[15:19] <Markinho> use o watsap pra ver o resultado
[15:19] <Ribamar_> Usei, Markinho
[15:19] <Ribamar_> no trabalho do selfie
[15:19] <adriane> como foi esse trabalho com selfie?
[15:20] <Markinho> o interesse é outro
[15:20] <AnaE> acho que aí está parte da criatividade a que o Kress se refere... cada um pode projetar coisas e aplicar com seus alunos, seja em que nível for
[15:20] <Ribamar_> São muitas outras coisas que faço, mas que não deu para apresentar aqui.
[15:20] <Markinho> rs
[15:20] <krlitauesc_> tambem gostaria de detalhes
[15:20] <ronny_> Ribamar sou aluno de ciencia da computacao no IFB temos grupos de pesquisa a respeito do tema tratado e temos dificuldade pois existem alunos digitais e professores analogicos
[15:20] <krlitauesc_> sobre o selfie
[15:20] <debora> rs
[15:20] <Ribamar_> O do selfie foi a partir de uma atividade do Redigir
[15:20] <Ribamar_> Maikel, pode passar o site do redigir para o pessoal?
[15:20] <AnaMatte> Pessoal, vamos aproveitar os 10 minutos finais para conversar com os dois conferencistas, tudo bem?
[15:21] <Ribamar_> ok
[15:21] <cvcosc> O site do Redigir é https://sites.google.com/site/redigirufmg/
[15:21] <Maikel_> https://sites.google.com/site/redigirufmg/
[15:21] <Maikel_> :D
[15:21] <Ribamar_> Opa, a querida Carla está por aqui.
[15:21] <ericayhwh_> ok
[15:21] <Maikel_> hehe
[15:21] <Diego_> ok
[15:21] <Ribamar_> Ela é grande parceira do LPT
[15:21] <Ribamar_> Em atividades, vocês encontram a atividade sobre selfie
[15:21] <Diego_> muito bom
[15:21] <Ribamar_> É top
[15:22] <cvcosc> Claro! Não perderia essa conversa por nada!
[15:22] <AnaE> :D
[15:22] <adriane> vocês acham que os professores, para promover estes projetos, devem dominar as tecnologias? ou é mais importante conseguir provocar os alunos?
[15:22] <Ribamar_> A provocação é mais importante.
[15:22] <Ribamar_> Esqueci de comentar.
[15:22] <AnaE> Adriane, eu acho que provocar vem antes de qualquer coisa.
[15:22] <AnaE> As tecnologias vão depender muito do contexto.
[15:22] <Ribamar_> Tenho um amigo web design que faz os cartazes e logomarcas
[15:23] <ronny_> adriane , eu acho que os dois devem entender um pouco sobre a tecnologia
[15:23] <Ribamar_> Como vcs puderam perceber
[15:23] <AnaE> Bons redatores existem muito antes do computador. :)
[15:23] <Ribamar_> A imagem é tudo nos projetos
[15:23] <wandufla_> Aqui na UFLA criamos dois cursos de especialização voltados para formação de professores em tecnologia educacionais. Os professores aprendem varias ferramentes que podem ser utilizadas em sala de aula
[15:23] <Maikel_> verdade
[15:23] <Ribamar_> Que legal, wandufla!
[15:23] <wandufla_> aplicam e voltam para defender seus TCCs com o resultado obtido dessas experiencias em sala de aula
[15:23] <adriane> fiquei pensando no que alguém falou de professores analógicos e alunos digitais... me parece que mais importante do que dominar as tecnologias é entender a cultura digital. é um jeito de pensar
[15:23] <wandufla_> tem sido muito proveitoso
[15:24] <adriane> não me parece ser propriamente só a apropriação de ferramentas
[15:24] <AnaE> eu vejo que tem o contrário também: aluno analógico e professor digital
[15:24] <Ribamar_> O professor precisa, a meu ver, de orientação. De alguém pegar na mão dele e ensinar como fazer um projeto bacana.
[15:24] <adelmaa> Nós temso também na UFOP um curso de Especialização em Mídias Digitais.
[15:24] <AnaE> tem razão, Adriane
[15:24] <Ribamar_> Não é mesmo, Adriane.
[15:25] <IsaOliveira_> qual o dificultador ou impedimento do projeto para o ensino fundanental?
[15:25] <adriane> AnaE falou uma coisa legal: jovens aprendem "futucando". Me parece que falta os professores se disporem a futucar mais. sem medo de errar
[15:25] <Ribamar_> Tempo
[15:25] <Ribamar_> Porque eu teria que executar em outra instituição.
[15:25] <Ribamar_> Em parceria com professores.
[15:25] <ronny_> a Formação de professores e cultura digital tem como objetivo Avaliar o estado da arte da cultura digital dos docentes e discentes face aos conflitos de ensino-aprendizagem do século XXI; Investigar as experiências em desenvolvimento e consolidadas no campo da cultura digital em âmbito educacional; Avaliar a necessidade de transformação das práticas docentes e discentes frente à cultura digital; Desenvolver e propor alternativas
[15:25] <Ribamar_> Acredito que o PIBID pode fazer isso.
[15:25] <Gabi__> os professores mais velhos têm esse medo de sair mexendo..
[15:26] <cvcosc> Sabemos que a gramática ainda é foco de muitas aulas de português. Cocês acham que as NTICs podem mudar isso?
[15:26] <adelmaa> e falo por experiência quequando os professores tem contato com as tecnologias e sabem como usar
[15:26] <Vania> Mas nós, professores, podemos tentar implantar projetos parecidos no ensino fundamental. Não há nenhum problema, não é professor?
[15:26] <wandufla_> Um grande empecilho que muitos dos alunos dos cursos nos relatam é que nas escolas eles tem grande resistencia por parte dos outros professores em percerias ou ate mesmo das direções
[15:26] <cvcosc> *Vocês
[15:26] <adelmaa> produzem maravilhas.
[15:26] <AnaE> gente, cada um de nós tem condições de projetar para a escola onde atuamos, nossos alunos, etc. O Ribamar é "gente que faz". Não é da alçada dele pensar para outras escolas. Ele é professor como eu, como todos.
[15:26] <Ribamar_> Eu não tenho parceiro.
[15:27] <Ribamar_> Vou aplicando, executando porque acredito.
[15:27] <Vania> Temos total apoio na escola em que trabalho, por isso acho possível a aplicação.
[15:27] <Andreaazevedo> Indago aos professores se consideram a maturidade importante para aproveitamento real da evolução didática conforme apresentado no slide...
[15:27] <Ribamar_> Com os projetos, cvcosc, os alunos vão desmistificando essa questão de gramática
[15:27] <Ribamar_> porque eles entram no meu ritmo
[15:27] <AnaE> Vania, mesmo sem apoio... Vejam que Ribamar falou nas dificuldades com a gestão...
[15:27] <cvcosc> Que ótimo!
[15:27] <Ribamar_> Mas ainda perguntam pela famosa aula de gramática
[15:27] <Ribamar_> Isso acontece com os alunos novatos.
[15:28] <Ribamar_> No segundo ano, eles já sabem que não terão aulas puras de gramática
[15:28] <cvcosc> E você explica que a gramática está toda alí?
[15:28] <Ribamar_> Na elaboração dos textos.
[15:28] <wandufla_> É nesse ponto que trabalhamos com os alunos, se nao tem parceria, comece sozinho
[15:28] <Vania> sim, por isso com apoio acho que fica ainda mais fácil
[15:28] <wandufla_> quando os outros professores observarem o seu sucesso vao se seguir
[15:28] <Ribamar_> Ficaria tudo mais fácil com a parceria
[15:28] <Ribamar_> Mas ela não vem
[15:29] <marcelofaro> Boa tarde a todos
[15:29] <AnaMatte> 2 min
[15:29] <Vania> São ideias ótimas e pretendo aplicar, claro que com as adaptações necessárias
[15:29] <manuel_____> Em minha prática docente não aplico o uso da gramática em sala. Apenas abordo os aspectos mais relevantes que possam ser aplicados em sua vida social.
[15:29] <Ribamar_> Quando trabalho notícia, por exemplo, eles tem uma aula sobre verbos
[15:29] <adriane> os alunos tem facilidade em escrever colaborativamente na web?
[15:29] <Ribamar_> Para a construção do título e do corpo
[15:29] <ronny_> veja que nem todos os professores usam a tecnologia na sua formacao ,e os que tem nao usam sabiamente usam para passar slides.
[15:29] <marcelofaro> aqui na minha escola sou coordenador do pronatec e participo do curso
[15:29] <marcelofaro> pacto do ensino médio
[15:30] <marcelofaro> quem faz esse curso sabe falamos sobre isso novas maneiras de ensinar
[15:30] <Ribamar_> Ainda não consegui, por exemplo, utilizar a escrita colaborativa porque nem todos possuem computador ou um celular razoável, adriane
[15:30] <Madu> Uma injeção de ânimo em todos Ribamar. O importante é que vc mostra como é possível fazer acontecer, mesmo sozinho. Parabéns.
[15:30] <Ribamar_> Tentei uma vez no Polêmicas em Debate, mas não funcionou. Foi o caos.
[15:30] <marcelofaro> mas a maioria dos professores principalmente o mais antigos são aversos a inovações principalmente tecnologicas
[15:30] <Ribamar_> Obrigado, Madu.
[15:30] <DEBORACRUZ_> Vocês não enfrentam resistência dos pais ao fugirem do conteúdo engessado da GT?
[15:30] <cvcosc> Parabéns, Ribamar! Você é inspirador!
[15:30] <rivaniatrotta> Pessoal, já está na hora de finalizarmos, infelizmente, já que a conversa foi boa e produtiva. Agradeço aos conferencistas pelas conferências instigantes com que nos presentearam.
[15:31] <Ribamar_> Esclareço que sou dedicação exclusiva. Isso também ajuda.
[15:31] <marcelofaro> oi
[15:31] <cvcosc> Parabéns, Ana! É sempre bom ouvir / ler você!
[15:31] <thayane_> Obrigada, fui de fundamental contribuição!
[15:31] <crisguiar> Existe alguma dificuldade de fazer os alunos serem "autorais" empoderarem do discurso? acredito que o projjeto polemicas em debate faz com que eles se sinntam mais a vontade na participação.
[15:31] <Ribamar_> Quero agradecer muitíssimo pela oportunidade. Uma honra muito grande para mim. Ainda mais por estar ao lado de uma pessoa que admiro demais, a Ana Elisa Ribeiro.
[15:31] <AnaE> eu é que agradeço! Obrigada pelo convite
[15:31] <wandufla_> Parabéns a Organização e MUito Obrigado por essa enorme oportunidade de crescimento profissional!
[15:32] <Roziane> Muito Obrigada!!! ótima contribuição
[15:32] <Diego_> muito boa contribuição
[15:32] <Diego_> parabéns
[15:32] <Andreaazevedo> Obrigada, Ana Matte, Ana Elisa e Ribamar. Parabéns a todos.
[15:32] <ericayhwh_> muito bom
[15:32] <debora> Muito obrigada! Foi ótimo! Aguardo o próximo
[15:32] <Maikel_> pessoal o papo aqui é muito corrido ! colem la no face e twitter e sites do Ribamar e da Ana Elisa
[15:32] <Gabi__> Muito bom!! Parabéns :)
[15:32] <danschneider> Agradeço também. Parabéns!
[15:32] <rivaniatrotta> Parabéns aos conferencistas.
[15:32] <AnaE> Issaê, redes sociais
[15:32] <AnaMatte> Obrigada aos conferencistas e a todos pela presença!
[15:32] <Maikel_> :D
[15:32] <Ribamar_> Parabenizar a equipe do Texto Livre por tudo.
[15:32] <manuel_____> Momento de suma importância em nossa formação docente ou até mesmo nas práticas docentes
[15:32] <Ribamar_> Foi maravilhoso.
[15:32] <AnaMatte> clap clap clap clap clap clap clap
[15:32] <AnaE> Obrigada a todos. Valeu, Ribas! Alegria minha.
[15:32] <AnaMatte> clap clap clap clap clap clap clap
[15:32] <Dani_> Parabéns, Ana e Ribamar!
[15:32] <JOSEFA> Parabéns aos conferencistas.
[15:32] <Vania> Obrigada.
[15:32] <adriane> clap clap clap
[15:32] <rivaniatrotta> clap,clap,clap.
[15:32] <thiagobatistaamo> Foi muito bom, parabéns!
[15:32] <AnaMatte> clap clap clap clap clap clap clap
[15:33] <adelmaa> clap clap clap clap clap clap clap
[15:33] <cvcosc> Muito bom!
[15:33] <crisguiar> muito empolgante parabens!!
[15:33] <krlitauesc_> clap clap clap clap clap clap clap
[15:33] <adriane> quando vai ser o próximo?
[15:33] <AnaE> Ouié!
[15:33] <Ribamar_> Obrigado a todos de coração. clap clap clap clap clap
[15:33] <bia_> Parabéns! Excelente!
[15:33] <AnaMatte> clap clap clap clap clap clap clap
[15:33] <rivaniatrotta> Pessoal, quero fechar este evento de hoje com as palavras da nossa amiga Adelma, que esteve nos acompanhando, mas não pôde fazer a abertura nem o fechamento.
[15:33] <Anna_> muito bom. Parabéns aos conferencistas
[15:33] <rivaniatrotta> O STIS esta radiante com o evento que construímos juntos hoje e temos a certeza de que todos sairão muito mais instigados e estimulados a também ousarem nas suas aulas com projetos tão didaticamente explicados e fabulosamente executados.
[15:34] <rivaniatrotta> Quando colocamos o Sudeste (Ana ELisa) e o Nordeste (Ribamar) tudo junto e misturado só poderia ser este o resultado : excepcionalidade do ser professor e um saber/fazer docente admirável.
[15:34] <Vania> Muito bom, parabéns pelo trabalho.
[15:34] <rivaniatrotta> Estamos todos hoje energizados pelos projetos fantásticos desenvolvidos por você Ana e Ribamar. . Queremos agradecer a todos vocês pela presença e aos nossos conferencistas pelas aulas magnas que tivemos a oportunidade de assistir hoje.
[15:34] <rivaniatrotta> Obrigada a todos participantes pela interação e presença. O Projeto Texto Livre tem como meta maior a construção de conhecimento, a divulgação de nossas pesquisas, a integração com vocês e a propagação do uso da tecnologias livres.
[15:34] <AnaE> :D
[15:34] <AnaE> <3
[15:34] <Madu> Verdade Rivania. Um evento show. Parabéns a todos.
[15:34] <Ribamar_> :D
[15:34] <rivaniatrotta> No dia 22 de maio temos a honra de receber o Prof. Dr. Leôncio Soares (FAE/UFMG) e o Prof Dr. Luciano Sérgio Ventin Bomfim para discorrermos sobre o tema Educação de Jovens e adultos (EJA)
[15:35] <rivaniatrotta> Agradecemos a Carla Viana Coscarelli e o seu Grupo do Redigir FALE UFMG pelo apoio e incentivo constantes. Excelente final de semana a todos e bom feriado! Divulguem nosso trabalho
[15:35] <AnaE> Boa tarde a todos
[15:35] <Vania> Boa tarde!
[15:35] <rivaniatrotta> Para receber seu certificado basta nos escrever um email com seu nome completo e login para stis@textolivre.org. Espero vocês em maio! Grupo STIS! Fim da conversa no bate-papo
[15:35] <rivaniatrotta> Boa tarde a tdos.
[15:35] <bia_> Que maravilha! Tema muito bom!
[15:35] <AnaMatte> obrigada, rivaniatrotta
[15:35] <danschneider> Obrigado! Boa tarde!
[15:35] <krlitauesc_> oa tarde
[15:35] <Ribamar_> Boa Tarde. Abraço. Até logo.
[15:36] <Andreaazevedo> Tarde, sô. Inté mais vê.
[15:36] <Diego_> muito grato pela atenção!!!
[15:36] <cvcosc> Obrigada a vocês!
[15:37] <thayane> muito bom
[15:37] <Markinho> boa tardeeee
[15:37] <Markinho> Grande abraço a todos. tarde proveitosa por aqui
[15:38] <Josiel> muito legal e boa tarde
[15:39] <manuel_____> Até maio galera!
[15:41] <kcastelano> Obrigada!
[15:41] <ritassiru> Obrigado!
[15:41] <manuel_____> dia 22 de maio será em que horário?
[15:42] <cacris> obrigada... boa tarde...
[15:42] <rivaniatrotta> Às 14 h.
[15:43] <manuel_____> obrigado!
[15:43] <wandufla_> Boa Tarde a todos e ate maio!
[15:45] <milena_hygino> Obrigada! Excelentes projetos!
[16:12] <ronny_> Tenha todos um bom final de semana
[16:19] <Lourdinha> Obrigada a todos. Bom fim de semana.






 

Como citar este texto:

 

 

Todos os trabalhos aqui publicados estão licenciados segundo a Creative Commons

Creative Commons TL Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

Based on a work at Texto Livre.