PALCOS DO EVIDOSOL/CILTEC-Online

ESTÁGIOS DA DIFUSÃO DA INOVAÇÃO EM UMA FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE - Camila Vilela de Queiroz

 
Imagem de Comissão Organizadora do EVIDOSOL/CILTEC-Online
ESTÁGIOS DA DIFUSÃO DA INOVAÇÃO EM UMA FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE - Camila Vilela de Queiroz
por Comissão Organizadora do EVIDOSOL/CILTEC-Online - quinta, 15 nov 2018, 13:22
 

Título:

ESTÁGIOS DA DIFUSÃO DA INOVAÇÃO EM UMA FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE

Autores: Camila Vilela de Queiroz
Resumo: 

Este trabalho apresenta parte de um relato de uma experiência do uso de dispositivos móveis e do aplicativo WhatsApp utilizado em uma formação continuada de professores de Língua Portuguesa. A partir da análise da interação de uma, das nove semanas de curso, proponho uma reflexão sobre a interação ocorrida no grupo de formação, a percepção desses professores participantes e o viés dos estágios iniciais do Modelo de Difusão da Inovação de Rogers (2003). Sendo assim, o objetivo deste estudo foi verificar se os professores percebem as especificidades do aparelho móvel, mais especificamente dos smartphones, o caráter pedagógico que o aparelho pode assumir e se eles adotam a ideia de seu uso nas práticas pedagógicas.


LEIA Artigo Completo em PDF: Documento PDF Evidosol_2018_CamilaQueiroz.pdf
Trilha Principal: Linguagem e Tecnologia
Trilha Opcional: 
Área do conhecimento (CNPq):
Instituição: UFMG
Palavras-Chave:difusão da inovação; aprendizagem móvel; formação docente.
Mesa (1):Pedro Santos da Silva
Mesa (2):Suellen Silva dos Santos de Souza

Imagem de Pedro Santos da Silva
Re: ESTÁGIOS DA DIFUSÃO DA INOVAÇÃO EM UMA FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE - Camila Vilela de Queiroz
por Pedro Santos da Silva - segunda, 19 nov 2018, 12:08
 


Primeiramente, gostaria de parabenizar a autora (Camila) pelo trabalho realizado!

Bom dia a todos (as)!

Gostaria de parabenizar também a todos(as) membros organizadores do XV Encontro Virtual de Documentação em Software livre (EVIDOSOL) e XII Congresso Internacional de Linguagem e Tecnologia Online (CILTEC)- 2018-2 pela organização dos eventos.

Mesmo que esses eventos não sejam presenciais, eles não deixam de ter a magnitude e importância para a comunidade acadêmica. Pois, trata-se da apresentação de resultados de estudos e pesquisas científicas que convenhamos não é nada fácil de realizar, porém é muito gratificante.

Como coordenador de mesa diria que é uma honra fazer parte dessa equipe e um prazer estar atuando como um dos mediadores das reflexões que aqui aparecerão.

Gostaria de abrir as discussões colocando em tópicos algumas reflexões sobre o artigo.

O trabalho em pauta é de autoria de Camila Vilela Queiroz, intitulado “ESTÁGIOS DA DIFUSÃO DA INOVAÇÃO EM UMA FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE”. Digo, inicialmente, que esse trabalho, como tantos outros, demonstra a função que exerce a teoria na prática.

A adoção feita pela Camila da teoria de Rogers (2003) mostra muito bem o uso da teoria na prática. O modelo de Difusão da Inovação (inovação, difusão e adoção) requer disposição e disponibilidade por parte dos professores em formação continuada para por em prática tais propostas.

A adoção da tecnologia (dispositivos móveis e aplicativos) pelos professores em formação continuada servirá para agregar valor às suas aulas. Isso porque, atualmente, é impossível negarmos o uso da tecnologia por parte dos alunos. Ao invés de negarmos a presença dos aparelhos em sala de aula é melhor nos unir a eles e torná-los ferramentas de ensino/aprendizagem.

Há um fenômeno interessante a ser observado a partir do trabalho da Camila. Enquanto o governo tenta até hoje implantar laboratórios de informática em todas as escolas públicas e internet de qualidade, os alunos já estão, em termos de acesso à tecnologia e internet, avançados muito além do sistema.

Ao invés do professor deslocar os alunos para usar o laboratório de informática da escola, muitas vezes, em condições precárias e internet ruim, porque não usar o “laboratório que pulsa à sua frente” dentro da própria sala de aula?

Gostaria de tocar em outro ponto sobre o trabalho da Camila. É necessário ressaltar que ela faz uma análise da interação ocorrida em um grupo de formação continuada de professores, sobre a percepção e adoção, por esses professores do uso de dispositivos móveis e aplicativos em suas respectivas aulas.

A proposta do trabalho é interessante, porém é preciso fazer uma ressalva a título de contribuição.

Quando se realiza um curso com professores em formação continuada online é tudo muito lindo e perfeito. Alguns dizem “nós inovamos”, outros dizem “nós ajudamos na difusão”, outros ainda dizem “nós adotamos”. Alguns podem até citar algumas práticas realizadas em suas aulas. Logo, uma das funções do estudioso é analisar as falas e exemplos dados pelos professores, assim como fez a Camila.

O artigo dessa pesquisadora, portanto, pressupõe ainda um outro trabalho: observação in loco de algumas dessas práticas e analisar quais os efeitos da adoção na prática efetiva dos professores. Somente o terceiro estágio (a adoção: conhecimento, persuasão, decisão, implementação, confirmação) daria outro trabalho. Isso porque uma coisa é o professor falar que fez ou está fazendo, outra coisa é demonstrar na prática, resultados concretos, imagens, participação e rendimento dos alunos, etc., o que pode ser feito online também.

É notório que a tecnologia está avançando num sentido de contribuir na prática docente do ensino/aprendizagem. Tanto os dispositivos móveis, como também os aplicativos estão sendo aliados importantes para os professores. O trabalho da Camila demonstra nitidamente o quanto é produtivo trabalhar com a tecnologia em sala de aula.

Certamente que nessa empreitada de implantação e adesão dessas ferramentas há os professores que são mais receptivos e os que são mais conservadores quanto ao uso de dispositivos móveis e aplicativos em sala de aula.


Imagem de Elaine Teixeira da Silva
Re: ESTÁGIOS DA DIFUSÃO DA INOVAÇÃO EM UMA FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE - Camila Vilela de Queiroz
por Elaine Teixeira da Silva - segunda, 19 nov 2018, 17:42
 

Camila, muito bacana o seu projeto!

Sem dúvida alguma que o fazer docente precisa dialogar com as tecnologias digitais, além disso, precisamos aprender a usar as ferramentas digitais e entender que elas são nossas aliadas e não vilãs.

Bom congresso!

Elaine

Imagem de Pedro Santos da Silva
Re: ESTÁGIOS DA DIFUSÃO DA INOVAÇÃO EM UMA FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE - Camila Vilela de Queiroz
por Pedro Santos da Silva - terça, 20 nov 2018, 10:20
 

Bom dia, Elaine e Camila!

Bacana mesmo. 

Penso que não há mais como negarmos a importante contribuição que os dispositivos móveis e aplicativos nos oferece.

Este trabalho da Camila ainda toca em um ponto crucial que é manter a formação continuada dos professores. 


Abraços!

Imagem de Camila De Queiroz
Re: ESTÁGIOS DA DIFUSÃO DA INOVAÇÃO EM UMA FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE - Camila Vilela de Queiroz
por Camila De Queiroz - quarta, 21 nov 2018, 14:32
 

Olá, Elaine!!!

Justamente!

A tecnologia trabalha a nosso favor, é preciso que 'caia por terra' esse medo de alguns  professores sobre computadores, internet, aplicativos, livros digitais e a possível substituição do homem pela máquina. 

O professor será substituído sim!!! Mas, será por outro professor que está atento às novidades, que sabe buscar e mesclar suas aulas, enriquecendo o conteúdo a ser lecionado. 

Não é romper com as teorias e práticas existentes, acredito que se existem até hoje é porque são válidas. Mas, penso que podemos sempre melhorar e aperfeiçoar nossa prática!

Forte abraço!!!

Imagem de Camila De Queiroz
Re: ESTÁGIOS DA DIFUSÃO DA INOVAÇÃO EM UMA FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE - Camila Vilela de Queiroz
por Camila De Queiroz - quarta, 21 nov 2018, 14:33
 

Boa tarde Pedro e demais colegas!

É um prazer muito grande participar desse evento com vocês, já participei como ouvinte no ano passado e agora, pela primeira vez, como autora! 

Fico lisonjeada lendo seu parecer, Pedro! Esse trabalho tem sido muito enriquecedor e gratificante. Tive a oportunidade de conhecer a teoria de Rogers, graças a nossa colega (e quem tem se tornado uma amiga para mim) Adriana Teixeira, que também está participando do evento como autora. 

Adriana foi uma das grandes colaboradoras da formação continuada Taba Móvel Redigir  e, ao ler sua tese, conheci a 'Difusão da Inovação'. Uma teoria que como você mesmo disse, Pedro, não seria necessário tantos gastos e investimentos em máquinas ao implantar laboratórios de informática uma vez que nossos alunos já estão com seus laboratórios pulsando em suas mãos.

Para isso ocorrer, é necessário que busquemos formação e informação sobre as possíveis adoções, seus benefícios (ou não), sua aplicabilidade e funcionalidade.

#pormaiseventoscomoesse


Abraços!

Imagem de Adriana Teixeira
Re: ESTÁGIOS DA DIFUSÃO DA INOVAÇÃO EM UMA FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE - Camila Vilela de Queiroz
por Adriana Teixeira - quarta, 21 nov 2018, 14:38
 

Oi Camila,

adorei ler o seu artigo! Bem escrito, claro e muito coerente.

A criação de políticas públicas baseadas nos preceitos da Teoria da Inovação de Rogers faria uma enorme diferença tanto montante gasto para a implantação do programa quanto em seus resultados. Há mais de 15 anos, desde a introdução do Proinfo, a atenção foi dada ao dispositivo a ser inserido em sala - laboratórios de informática, os UCAs, enfim, a preocupação sempre foi "qual" aparelho. Observando a abordagem da adoção da inovação, entendemos que mais do que o aparelho em si, o mais relevante é o "como" é introduzida a inovação e por "quem". Ou seja, novamente podemos perceber que o ponto nevrálgico é o docente. Parabéns pelo trabalho.



Imagem de Suellen Silva dos Santos de Souza
Re: ESTÁGIOS DA DIFUSÃO DA INOVAÇÃO EM UMA FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE - Camila Vilela de Queiroz
por Suellen Silva dos Santos de Souza - quarta, 21 nov 2018, 08:30
 

Bom dia!!!

 O presente estudo apresenta uma temática atual e relevante, tendo em vista que em tempos de uso de tecnologias móveis nas mais diferentes áreas, torna-se necessário compreende-las, especialmente, no ambiente educacional. Nesse cenário, verifica-se a importância da análise realizada neste artigo ao evidenciar como os professores se comportam frente à possibilidade do uso dessas tecnologias no processo de ensino-aprendizagem.

Como ponto de partida de nossas discussões, lanço os seguintes questionamentos: na sua opinião, o uso de tecnologias móveis em sala de aula contribui para estimular/motivar o aluno em seu processo de aprendizagem? Partindo da análise realizada no estudo e de sua leitura, você se sente motivado a inovar suas práticas pedagógicas a partir do uso de tecnologias móveis?

 Reflitam sobre esse assunto!!!

 Participem!!!!

 Bom evento a todos!!!

 Suellen Santos