PALCOS DO EVIDOSOL/CILTEC-Online

UM GESTO DE LEITURA: A DISCURSIVIDADE NO E DO AVAAZ - Maria Aparecida Viegas de Melo

 
Imagem de Comissão Organizadora do EVIDOSOL/CILTEC-Online
UM GESTO DE LEITURA: A DISCURSIVIDADE NO E DO AVAAZ - Maria Aparecida Viegas de Melo
por Comissão Organizadora do EVIDOSOL/CILTEC-Online - quinta, 15 nov 2018, 13:33
 

Título:

UM GESTO DE LEITURA: A DISCURSIVIDADE NO E DO AVAAZ

Autores: Maria Aparecida Viegas de Melo
Resumo: 

A análise do discurso da linha francesa (AD) tem a cada dia encontrado nas mídias e redes sociais seus objetos de investigação. Campos estes, que tem como objeto de estudo as produções sociais de sentidos. Neste contexto, o ciberespaço abriu para os analistas do discurso novas alternativas de materialidades, novas discursividades que circulam na internet como blogs, redes sociais, vídeos, propagandas que possibilitam diferentes análises. Considerando estes espaços digitais como práticas discursivas em produtos de linguagem em um dado momento social, histórico, nossa proposta foi analisar a página inicial do site “Avaaz”. A página foi acessada em 16 de junho de 2017 às 14h00min. O foco de nossas análises têm destaque para a imagem central, no idioma Português e que trouxe a foto do Presidente Michel Temer, atual Presidente do Brasil e de outra imagem que envolve a temática meio ambiente no idioma Português, Inglês e Francês com destaque para o Presidente dos EUA, Donald Trump e um grupo de adolescentes. Nossas análises foram embasadas nas contribuições teóricas de Foucault, Pêcheux, Grigoletto e Gregolin procurando trazer conceitos como discurso, sujeito, formação discursiva, interdiscurso, memória discursiva e práticas discursivas.

LEIA Artigo Completo em PDF: Documento PDF trabalho completo evento online 2018 atualizado.pdf
Trilha Principal: Linguagem e Tecnologia
Trilha Opcional: Hipertexto
Área do conhecimento (CNPq):Letras, Linguística
Instituição: UFU
Palavras-Chave:Avaaz; análise do discurso; materialidades discursivas.
Mesa (1):Francisco Jeimes de Oliveira Paiva
Mesa (2):Fernanda Correa Silveira Galli

Imagem de Fernanda Correa Silveira Galli
Re: UM GESTO DE LEITURA: A DISCURSIVIDADE NO E DO AVAAZ - Maria Aparecida Viegas de Melo
por Fernanda Correa Silveira Galli - domingo, 18 nov 2018, 22:36
 

Olá, sejam tod@s muito bem-vindos!

O trabalho intitulado UM GESTO DE LEITURA: A DISCURSIVIDADE NO E DO AVAAZ aborda relevante reflexão sobre as discursividades que circulam no ambiente virtual da internet, mais especificamente no site Avaaz.

Para dar início aos nossos diálogos, lanço as seguintes questões:
(i) como pensar a noção de sujeito em tempos de tecnologias digitais, de excesso de informações e de convergência de mídias?
(ii) quais as diferenças e/ou as aproximações entre o sujeito-leitor da materialidade impressa e da digital?


Imagem de Maria Aparecida Viegas de Melo
Re: UM GESTO DE LEITURA: A DISCURSIVIDADE NO E DO AVAAZ - Maria Aparecida Viegas de Melo
por Maria Aparecida Viegas de Melo - terça, 20 nov 2018, 17:11
 

Olá Fernanda!

Pensar no sujeito em tempos de tecnologias digitais é pensar num sujeito da contemporaneidade, social, político e ideológico, que não é passivo, que compartilha, cria e debate nas redes. 

O sujeito leitor da materialidade impressa é diferente da digital, poderia se dizer que sim. Ao ler um livro impresso e outro digital, por exemplo, a interação é diferente, o suporte, a forma de construir sentido e significado também. A materialidade digital é multimodal e isto tem atraído cada vez mais os sujeitos contemporâneos. 

Imagem de Fernanda Correa Silveira Galli
Re: UM GESTO DE LEITURA: A DISCURSIVIDADE NO E DO AVAAZ - Maria Aparecida Viegas de Melo
por Fernanda Correa Silveira Galli - terça, 20 nov 2018, 23:26
 

Olá, Maria Aparecida!

Agradeço seus comentários. E concordo com seu destaque sobre as diferenças, as quais se referem tanto aos modos de inscrição do sujeito-leitor quanto aos modos de ler na contemporaneidade. Compreender esses modos de ler as diferentes materialidades em diferentes espaços discursivos me parece ser um campo fértil para debatermos o nosso objeto que é a linguagem.

Um abraço!