PALCOS DO EVIDOSOL/CILTEC-Online

O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral

 
Imagem de Comissão Organizadora do EVIDOSOL/CILTEC-Online
O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Comissão Organizadora do EVIDOSOL/CILTEC-Online - quinta, 15 nov 2018, 13:48
 

Título:

O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO

Autores: Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
Resumo: 

A violência contra as mulheres não é recente na história da humanidade, pois decorre de uma construção histórica que condicionou as mulheres a uma posição, hierarquicamente e socialmente, inferior a do homem. O objetivo deste artigo é analisar o desestímulo à violência contra a mulher motivada pelo gênero mediada pelas redes sociais digitais, bem como a exposição de alguns aspectos da lei 13.104/15, que criou o delito “feminicídio”, inserindo-o no rol dos crimes hediondos. Emprega-se metodologia qualitativa, por meio de revisão bibliográfica, em estudiosos do tema como Luis Felipe Miguel (2011), Flávia Biroli (2011), Sérgio Gomes Silva (2010), Raquel Recuero (2006), Carlos Henrique Medeiros de Souza (2018), dentre outros, trazendo-se uma abordagem por meio da qual se evidencia a relevância do tema na sociedade contemporânea, em que as redes sociais digitais exercem poderosa influência sobre os usuários, podendo ser usadas como instrumento de formação de opinião favorável a coibir a prática delituosa em relação à violência contra a mulher.


LEIA Artigo Completo em PDF: Documento PDF O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO (1).pdf
Trilha Principal: Blogs, Wikis e Redes Sociais
Trilha Opcional: Cultura Livre
Área do conhecimento (CNPq):
Instituição:Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro - UENF
Palavras-Chave:feminicídio; violência; gênero; redes sociais digitais.
Mesa (1):Marilane de Abreu Lima Miranda
Mesa (2):Ludmila Ferrarezi

Imagem de Marilane de Abreu Miranda
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Marilane de Abreu Miranda - sexta, 16 nov 2018, 18:45
 

O artigo “O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO” nos apresenta a questão da violência contra a mulher, resultante de uma cultura machista que coloca a mulher em posição inferior ao homem. O artigo analisa a motivação da violência contra a mulher nas redes sociais e alguns aspectos da lei 13.104/15, que criou o “feminicídio”.  Bom texto para tempos atuais!


Imagem de Raquel Veggi Moreira
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Raquel Veggi Moreira - segunda, 19 nov 2018, 22:17
 

Prezada, Marilane, agradecemos pelo comentário.

Em virtude da força das redes sociais, podemos utilizá-la a favor das mulheres, levando-se em consideração o crescente número de ofensas disseminadas, recentemente, até mesmo por este meio.

Imagem de Marilane de Abreu Miranda
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Marilane de Abreu Miranda - quinta, 22 nov 2018, 21:30
 

Sim, as redes sociais nos proporcionam verificar tais problemas mais de perto, pois oportuniza diálogos polêmicos em que os atores sociais emitem vozes ofensivas e discriminatórias.

Imagem de Raquel Veggi Moreira
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Raquel Veggi Moreira - sexta, 23 nov 2018, 11:14
 

Exatamente, Marilane!

As redes sociais nos proporcionam essa melhor visibilidade, e também debatermos "na mesma velocidade".

Abraços.

Imagem de Adriano Simioni Alvim
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Adriano Simioni Alvim - terça, 20 nov 2018, 15:22
 

Boa tarde, 

Parabéns as autores e autor pela temática. Apesar do caminho percorrido em prol de defesa das mulheres é notório como em pleno século XXI ainda são subjugadas. As redes sociais pode e deve contribuir para o empoderamento feminino e mais um meio de divulgação daquilo de que chamamos de violência seja física, psicológica ou qualquer outra forma de violência simbólica. Sucesso aos autores.



Imagem de Raquel Veggi Moreira
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Raquel Veggi Moreira - quinta, 22 nov 2018, 23:57
 

Boa noite, Adriano!

Infelizmente, temos uma questão cultural, como pano de fundo.

Abraços.

Imagem de Adieliton Tavares Cezar
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Adieliton Tavares Cezar - segunda, 19 nov 2018, 23:52
 

Boa noite! Primeiramente gostaria de parabenizar pelo trabalho. É de extrema importância pensarmos a força das redes sociais em nosso cotidiano. Da mesma forma que discursos de ódio ganham força, discursos de paz e respeito, pautados na empatia também podem ganhar espaço. Até pouco tempo, pairava no imaginário coletivo que a internet trazia um anonimato, que era uma "terra de ninguém", onde reinava impunidade e onde as pessoas poderiam dizer o que queriam sem serem responsabilizadas. Via-se uma segurança em dizer coisas que no contato face a face não diriam. Nos últimos anos isto tem mudado. Hoje as pessoas sabem que podem e serão responsabilizadas por seus atos. Este é um grande passo.

Imagem de Raquel Veggi Moreira
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Raquel Veggi Moreira - terça, 20 nov 2018, 22:43
 

Prezado, Adielton, realmente, as redes sociais possibilitaram uma maior expressão de pensamentos, em virtude do falso anonimato, em que as pessoas achavam que estavam "protegidas" por detrás das telas de computadores.

No entanto, declarações ofensivas, no ciberespaço, podem e devem ser punidas, com a finalidade de evitar que tais atitudes se propaguem e virem corriqueiras.

Imagem de Ana Carla Barros Sobreira
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Ana Carla Barros Sobreira - terça, 20 nov 2018, 08:26
 

O que e mais importante nas redes sociais e seu papael social ao dar voz as minorias. Hoje se pode denunciar nas redes sociais , coisa q antes a mulher se sentia constrangida em ir a uma delegacia da mulher, por exemplo. Parabens pelo artigo.

Imagem de Raquel Veggi Moreira
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Raquel Veggi Moreira - terça, 20 nov 2018, 22:45
 

Prezada, Ana Carla, a popularização das redes sociais possibilitou tal avanço para todos os cidadãos, principalmente para aqueles que se sentirem desrespeitados em seus direitos.


Imagem de Roberta Oliveira da Silva
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Roberta Oliveira da Silva - terça, 20 nov 2018, 10:27
 

Prezados autores e demais congressistas,

O tema do artigo é muito pertinente e relevante  com relação a violência doméstica e ao "feminicídio". Acredito que as redes sociais podem colaborar no sentido de alertar/ conscientizar as mulheres sobre a violência seja ela física, psicológica , sexual, moral e patriarcal.

Roberta Oliveira da Silva

Imagem de Ivanete Azevedo
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Ivanete Azevedo - terça, 20 nov 2018, 15:45
 

Primeiramente gostaria de parabenizar pelo ótimo trabalho!!!

Gostei demais da leitura e achei de uma importância extradicionaria...Parabéns mesmo!!

Imagem de Raquel Veggi Moreira
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Raquel Veggi Moreira - terça, 20 nov 2018, 22:36
 

Agradecemos pelo comentário, Ivanete.

Imagem de Raquel Veggi Moreira
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Raquel Veggi Moreira - terça, 20 nov 2018, 22:52
 

O papel das redes sociais tem ido muito além de um entrelaçado de relacionamento social entre pessoas, tendo em vista que dispõe de informações, de canais de denúncia, de grupos de orientação fornecendo suporte, esclarecendo direitos, e podendo, até mesmo, influenciar as mulheres a requere os seus direitos.

Imagem de Franciely Lopes
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Franciely Lopes - terça, 20 nov 2018, 23:29
 

Boa noite! Primeiramente, parabéns pelo excelente trabalho. Infelizmente a violência contra mulher atravessou séculos, gerações e ainda está impregnada na sociedade brasileira, em decorrência de uma cultura eminentemente patriarcal. A lei do feminicídio decorre da necessidade atual de proteger a mulher, juntamente com o regulamento que trata da violência doméstica ( Lei Maria da Penha). Não nos falta Lei, o que nos falta é atitude, denúncia, apoio e não julgamento às vítimas. Nesse sentido as redes sociais são um instrumento não só de empoderamento, mas de troca de experiência e de incentivo. Obrigada por ressaltar essa importância.

Parabéns!

 Franciely Lopes

Imagem de Raquel Veggi Moreira
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Raquel Veggi Moreira - quinta, 22 nov 2018, 22:55
 

Boa noite, Franciely e demais congressistas,

Podemos perceber que as redes sociais têm sido uma grandes aliadas no combate à violência de todas as formas,

Ademais, o crescimento e força do movimento feminista é resultado de um apoio mútuo entre mulheres, propagado pelas mídias e por essas redes que contribuem para a divulgação dos direitos das mulheres, com destaque para o direito à informação que resultada em uma verdadeira sororidade, que é a união e aliança entre mulheres, baseado na empatia e companheirismo, em busca de alcançar objetivos em comum, ajudando a romper os estereótipos preconceituosos criados por uma sociedade machista e patriarcal constituída a séculos.

Abraços.




Imagem de Ludmila Ferrarezi
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Ludmila Ferrarezi - quarta, 21 nov 2018, 09:37
 

Olá! 

O trabalho em questão aborda uma questão atual e muito relevante que pode suscitar algumas perguntas e debates a respeito de, por exemplo, quais seriam os espaços da Internet em que é possível e mais notória e eficaz uma mobilização contra o feminicídio?

E quanto aos espaços que incentivam a misoginia, o que pode ser feito a respeito, na esfera legal? 

Imagem de Raquel Veggi Moreira
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Raquel Veggi Moreira - quinta, 22 nov 2018, 23:56
 
Olá, Ludmila!

Ainda, não há uma lei específica que trate do tema dando destaque ao objeto do delito e a pena. No entanto, o termo em específico – misoginia – foi recentemente utilizado em uma norma legal, quando atribui competência para investigação à Polícia Federal.
Assim, na consumação de algum crime envolvendo essa situação, cabe analisar o objeto do delito para enquadramento no devido tipo legal e, consequentemente, a penalidade.
Cabe destacar que há um projeto de lei de 2017 que pretende incluir a palavra misoginia na lei n 7716/1989.
Abraços.
Imagem de Mileane Andrade Azevedo
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Mileane Andrade Azevedo - quarta, 21 nov 2018, 11:32
 

Parabéns pelo tema, atual e importante pelo momento em que vivemos.

Imagem de Raquel Veggi Moreira
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Raquel Veggi Moreira - quinta, 22 nov 2018, 19:49
 

Exatamente, Mileane!

Temos que trazer à tona e descortinar esse tema, que é cotidiano na vida de algumas mulheres.

Imagem de Maressa Monteiro
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Maressa Monteiro - quarta, 21 nov 2018, 17:53
 
Boa tarde.

Conscientização é a palavra da vez, pois através dela é que muito pode ser evitado e essa conscientização se torna mais ampla e com um caráter mais robusto quando realizada em redes de amplo acesso público.

Amei a temática e a abordagem.

Parabéns.
Imagem de Raquel Veggi Moreira
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Raquel Veggi Moreira - quinta, 22 nov 2018, 23:03
 

Boa noite, Maressa e demais congressistas,

É fundamental uma conscientização de que a mídia é uma ferramenta no combate à violência de forma geral e específica no referente à violência contra a mulher, pois através da informação a respeito dos direitos das mulheres é possível o combate à violência e ao feminicídio de todas as classes sociais.

Abraços.


Imagem de Breno de Campos Belém
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Breno de Campos Belém - quarta, 21 nov 2018, 20:11
 

Olá, boa noite.  Parabéns pelo trabalho. É muito triste ler estatísticas que apontam o Brasil como um país que tem um alto índice de feminicídio.  O Brasil que é um país tão grande, tão diverso, tão cheio de diferenças ainda sofrer com esse tipo de homicídio.  Na verdade, não é só a mulher que sofre, são todas as minorias, como vocês bem apontam no artigo.  É com muito pesar que recebemos a cada dia mais notícias de agressões contra seres humanos, tão iguais quanto nós mesmos, por serem minoria, como se alguma culpa pudessem carregar.  Concordo com a equipe quando eles falam que as redes sociais são fortes influenciadoras no comportamento dos seres humanos.  São sim.  Entretanto, infelizmente vivemos em uma era em que a falta de interpretação das pessoas, seja com o insumo da imagem, ou do texto é alarmante.  Ao mesmo tempo que podemos ter pessoas que defendem as minorias, há também aquelas que atacam ou fazem o interlocutor pensar que estão atacando, não somente nas redes sociais, mas na televisão, no ambiente familiar, "heranças" ideológicas de pai pra filho... É uma série de sistemas que passamos na vida que é bem difícil dizer o que mais influencia.  Apesar de tudo isso, temos também a índole, o caráter de cada um.  Os que são sucetiveis a cometer violência de qualquer tipo, possuem algum problema psicológico/sociológico.  Seria necessário uma investigação mais aprofundada para compreender a mente humana.  Como uma pessoa que diz amar tanto outra em um determinado momento da vida, pode reverter esse "jogo" e matá-la? Isso é algo que não compreendo mesmo.

Imagem de Raquel Veggi Moreira
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Raquel Veggi Moreira - quinta, 22 nov 2018, 23:37
 

Excelente consideração, Breno!

Se pararmos, realmente, para pensar na motivação desse lamentável tipo de crime, há necessidade de uma investigação mais aprofundada como você disse, seja ela psicológica, sociológica etc.

Por fim, devemos considerar o feminicídio como evento atípico, como expressão de prática cruel a serem coibidas com toda a força da lei, e esta não se torne apenas uma simples manifestação simbólica, eleitoreira e populista.
Abraços.

Imagem de Jaiza Fernandes
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Jaiza Fernandes - quarta, 21 nov 2018, 20:51
 

Caros autores, parabéns pela temática abordada!

O papel das redes sociais, atualmente, é determinante para impulsionar de forma positiva ou negativa temáticas  colocadas em discussão nesses espaços virtuais. O que vai determinar a condução desses debates é a capacidade argumentativa dos internautas presentes nessas redes. Sendo assim, apesar da lei Maria da Penha considerar o feminicídio como crime hediondo, esses crimes não tem diminuído. Dessa forma, a abordagem e discussão das questões e consequências do feminicídio no Brasil é importante a partir da conscientização das pessoas acerca do surgimentos dos assédios e violências contra as mulheres, suas causas e relações com comportamentos machistas, autoritários e discriminatórios. 

Que os debates na academia, nas redes sociais e outras instituições capazes de mudar essas realidade sejam promovidos. Parabéns! Sucesso aos autores! 



Imagem de Jobson Carlos do Carmo Tenório
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Jobson Carlos do Carmo Tenório - quarta, 21 nov 2018, 21:27
 

Boa noite autores!

Meus parabéns pelo ótimo trabalho. É um tema que me chamou muita atenção, pois era um assunto que eu tinha pouco conhecimento, mas diante desses rios de conconhecimentos pude entender melhor!

Imagem de Raquel Veggi Moreira
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Raquel Veggi Moreira - quinta, 22 nov 2018, 23:45
 

Boa noite, Jobson!

As redes sociais permitem que as vozes contrárias ao machismo e à intolerância não sejam ignoradas e se apresentam como um elemento positivo dentro de um sistema que parece ser impossível de se fraturar.

Agradecemos pelo seu interesse pelo tema.




Imagem de Raquel Veggi Moreira
Re: O PAPEL DAS REDES SOCIAIS NO COMBATE AO FEMINICÍDIO - Lorena Curty, Mirella Crespo, Iure Simiquel Brito, Raquel Veggi Moreira, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
por Raquel Veggi Moreira - quinta, 22 nov 2018, 23:43
 

Boa noite, Jaiza!

Infelizmente, devido à cultura e educação de nosso país, a capacidade argumentativa da maioria dos internautas é rasa. 

Acredito que é uma questão cultural, que, por meio da educação, o cenário poderia ser modificado/evoluído, ao longo do tempo.

Abraços.