sábado, 27 fev 2021, 00:00
Site: Texto Livre Eventos
Curso: Ciência Aberta: Espaço Compartilhado dos Grupos de Semiótica do Brasil (Semiótica)
Glossário: Biblioteca comentada
M

MANCINI, Renata; TROTTA, Mariana; SOUZA, Silvia Maria de. Análise semiótica da propaganda Hitler, da Folha de São Paulo

MANCINI, Renata; TROTTA, Mariana; SOUZA, Silvia Maria de. Análise semiótica da propaganda Hitler, da Folha de São Paulo. XIII Colóquio do Centro de pesquisas Sociossemióticas. PUC-SP, São Paulo, 2007. Disponível em <http://www.contrastepropaganda.com.br/sedi/wp-content/uploads/renata-mancini/2007_Mancini_CPS2007FolhaSPHitler.pdf>. Acesso em 22 de setembro de 2018.

(em anexo)

Introdução
É apenas um ponto negro na tela e uma voz impostada em off que enuncia: “Este homem pegou uma nação destruída...” Parcos elementos sem cor e sem música são suficientes para inquietar um telespectador do outro lado da tela. A ausência de atributos, bem como de sentido – que homem? que nação? – fissura olhos e ouvidos habituados ao excesso sonoro e visual das (...)

MATTE, A.C.F., MEIRELES, A.R., FRAGUAS, C.C. SIL Web - analisador fonológico silábico-acentual de texto escrito

MATTE, A.C.F., MEIRELES, A.R., FRAGUAS, C.C. SIL Web - analisador fonológico silábico-acentual de texto escrito. Revista de Estudos da Linguagem, v. 14, p. 31-50, 2006. Acesso em 06/11/2017. Disponível em: <http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/relin/article/view/4976/0>.

 

Comentário da autora (MATTE): este artigo fala sobre o software de análise fonológica automática silábica-acentual de texto escrito, que visa sua aplicação nas ciências da fala, mais especificamente a fonética acústica e a fonoestilística.

MATTE, Ana C. F. Existe Fala Neutra para a Poesia?

MATTE, Ana C. F. Existe Fala Neutra para a Poesia?. DELTA. Documentação de Estudos em Lingüística Teórica e Aplicada, v. 24, p. 159-174, 2008. Acesso em 10/01/2019. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502008000200001>.

 

Comentário da autora (MATTE): este texto apresenta uma metodologia, aplicada em exemplos, cujo objetivo é prover ao analista da fala uma maior propriedade no tratamento da fala neutra, comumente usada em pesquisas de fonética acústica como parâmetro de referência. Trata-se do principal resultado do pós-doutorado desenvolvido pela autora na UNICAMP, no Laboratório de Fonética Acústica, de 2003 a 2004.

MATTE, Ana C. F. O Processo Semiótico de Comunicação. Sobre o Esquema de Comunicação de Ignácio Assis Silva

MATTE, Ana C. F. O Processo Semiótico de Comunicação. Sobre o Esquema de Comunicação de Ignácio Assis Silva. In: CASA Cadernos de Semiótica Aplicada Vol. 6.n.2, dezembro de 2008 URL: http://seer.fclar.unesp.br/casa/article/view/1206 Acesso em 12/10/2012

 

O esquema de comunicação foi publicado pela primeira vez em 1972, na tese de doutorado do prof. Ignácio Assis Silva, e foi recuperado pela prof.a Diana Luz Pessoa de Barros, no livro de introdução à linguística publicado pela USP. Este esquema possui uma virtude muito importante para trabalhos em comunicação humana: sua estrutura é flexível e faz emergir a maleabilidade e erros previstos pelo ato de comunicação, sendo, portanto, mais que um esquema, um processo, baseado na continuidade e com forte usabilidade em trabalhos de análise de conversação.

MATTE, Ana C. F., MEIRELES, Alexsandro. R., RIBEIRO, Rubens T. SETFON: O Problema da Análise de Dados Prosódicos, Textuais e Acústicos

MATTE, Ana C. F., MEIRELES, Alexsandro. R., RIBEIRO, Rubens T. SETFON: O Problema da Análise de Dados Prosódicos, Textuais e Acústicos. In: Revista (con) textos linguísticos (UFES), v. 1, p. 8-30, 2011. Disponível em: <http://www.periodicos.ufes.br/contextoslinguisticos/article/view/5175/0>. Acesso em 06 de novembro de 2017.

Artigo sobre o software Setfon, cujo desenvolvimento previa, desde o início, uma ferramenta como o dadosSemiotica, tendo com este grande afinidade de propósitos e fundamentos.

MATTE, Ana Cristina Fricke, LARA, G. M. P. Um panorama da semiótica Greimasiana

MATTE, Ana Cristina Fricke, LARA, G. M. P. Um panorama da semiótica Greimasiana. Alfa Revista de Linguística, v. 53, n. 2, 2009. Disponível em: <http://seer.fclar.unesp.br/alfa/article/view/2119>. Acesso em 6/11/2017.

 

Comentário da autora (Matte): este artigo foi precursor da introdução ao livro de semiótica Ensaios de Semiótica, das autoras, disponível nesta biblioteca comentada. É um texto mais sucinto e, já que o conteúdo é praticamente o mesmo (foram ambos publicados no mesmo ano), é possível utilizá-lo no lugar da introdução mais recente.

MATTE, Ana Cristina Fricke, MARQUES, Daniervelin Renata Marques. Ignacio Assis Silva: a fantástica fábrica de conexões

MATTE, Ana Cristina Fricke, MARQUES, Daniervelin Renata Marques. Ignacio Assis Silva: a fantástica fábrica de conexões. Revista CASA Cadernos de Semiótica Aplicada, vol. 8, n.o 2, 2010. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/casa/article/viewFile/3317/3097. Acesso em 20 de abril de 2019.

Texto explicando o alcance interdisciplinar do trabalho daquele que, segundos muitos incluindo eu mesma, foi o maior semioticista brasileiro: Ignácio Assis Silva.

MATTE, Ana Cristina Fricke. A escoliose de Branca de Neve: protagonistas e sujeitos

MATTE, Ana Cristina Fricke. A escoliose de Branca de Neve: protagonistas e sujeitos. Revista do GEL, Araraquara - SP, v. 1, n.1, p. 13-34, 2004. Acesso em 01/09/2019. Disponível em: <https://revistas.gel.org.br/rg/article/view/289>.

 

RESUMO: A comparação de diversas versões de uma mesma história produzidas em diferentes épocas pode ter variadas formas e objetivos. Neste trabalho, apresento uma opção de análise cujo principal objetivo é investigar a relação entre o conceito de protagonista e o conceito de sujeito como reveladora de elementos da opção ideológica de cada versão. 0 objeto da análise são cinco versões de Branca de Neve produzidas para a indústria fonográfica entre 1950 e 1991.
PALAVRAS-CHAVE: Narrativa; sujeito; semiótica; discurso; passividade; enunciação.

MATTE, Ana Cristina Fricke. A respeito da construção semiótica do sentido do bullying e do cyberbullying

MATTE, Ana Cristina Fricke. A respeito da construção semiótica do sentido do bullying e do cyberbullying. Texto Livre: Linguagem e Tecnologia, [S.l.], v. 5, n. 1, p. 2-12, jul. 2012. ISSN 1983-3652. Disponível em: <http://periodicos.letras.ufmg.br/index.php/textolivre/article/view/1712>. Acesso em: 25 de agosto de 2018. doi:http://dx.doi.org/10.17851/1983-3652.5.1.2-12.

Publicação original do capítulo correspondente, revisado e atualizado, no livro Sementes de Educação Aberta e Cultura Livre, indicado neste glossário.

MATTE, Ana Cristina Fricke. Análise Quantitativa da Tensividade no Conteúdo Verbal tendo em vista o Estudo da Expressão da Emoção na Fala e o Modelamento Prosódico

MATTE, Ana Cristina Fricke. Análise Quantitativa da Tensividade no Conteúdo Verbal tendo em vista o Estudo da Expressão da Emoção na Fala e o Modelamento Prosódico. In: Cadernos de Estudos Linguísticos vol. 46, n.o 1, 2004. p. 53-69. Acesso em 6/11/2017. Disponível em: <https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8637158>.

 

Resumo

In order to support with semiotic information the research in the field of phonostylistics, we propose a formula that allows turning a subjective and emotional information of one verbal text into quantitative information, from one analysis of temporality as a constitutive element of emotion. It gives us coordinates for a graphic that represents the variation of tension in the text sentence by sentence. It supports simultaneously the representation of prosodic information, such as speech rate in absolute values and, in relative values, the deviation of the duration of speech segments according to the expected patterns. In this paper we present the linguistic basis for this analysis, from a hierarchy of the sense of temporality to the graphics of the modulation of the deep temporal flow.

MATTE, Ana Cristina Fricke. Análise semiótica da sala de aula no tempo da EAD

MATTE, Ana Cristina Fricke. Análise semiótica da sala de aula no tempo da EAD. Revista Tecnologias na Educação, v. 1, 2009. Acesso em 6/11/2017. Disponível em: <http://tecedu.pro.br/wp-content/uploads/2015/07/pal4-vol1-dez-20091.pdf> .

Texto original do capítulo correspondente (revisado e ampliado) publicado no livro Sementes de Educação Aberta, disponível neste glossário.

MATTE, Ana Cristina Fricke. Automato livre: semiótica e tecnologia adaptativa

MATTE, Ana Cristina Fricke. Automato livre: semiótica e tecnologia adaptativa. In: Worshop Internacional de Software Livre, 2015, Porto Alegre. Proceedings of WSL 2015. Porto Alegre: Associação de Software Livre.org, 2015. v. 1. p. 1-12. Acesso em 6/11/2017. Disponível em: <http://wsl.softwarelivre.org/2015/0007>.

Artigo apresentado no WSL, Workshop internacional mantido pela Sociedade Brasileira de Computação. Faz parte de uma série de trabalhos abordando a compatibilidade entre a semiótica e a inteligência artificial na linha da tecnologia adaptativa.

MATTE, Ana Cristina Fricke. Como e porquê dar aulas de semiótica online?

MATTE, Ana Cristina Fricke. Como e porquê dar aulas de semiótica online? Estudos Semióticos (USP), v. 5, p. 1, 2009. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/esse/article/view/49229>. Acesso em 02 de março de 2018.

 

Comentário da autora: texto baseado em apresentação no ENAPOL de Semiótica em 2008, trata de recursos online que podem ser aproveitados de forma a facilitar e envolver os estudantes no estudo da Semiótica, trazendo experiências realizadas na UFMG.

MATTE, Ana Cristina Fricke. Esquema de comunicação sob olhares da semiótica e da tecnologia adaptativa

MATTE, Ana Cristina Fricke. Esquema de comunicação sob olhares da semiótica e da tecnologia adaptativa. Revista CASA Cadernos de Semiótica Aplicada (Araraquara), v. 12, p. 55-101, 2014. Acesso em 6/11/2017. Disponível em: <http://seer.fclar.unesp.br/casa/article/view/7149>.

Este texto aborda o Esquema de Comunicação proposto por Ignácio Assis Silva em 1972 numa conversaa interdisciplinar com a tecnologia adaptativa, com base na Semiótica Francesa.

MATTE, Ana Cristina Fricke. Gostar de música: percurso de uma paixão

MATTE, Ana Cristina Fricke. Gostar de música: percurso de uma paixão. Significação (UTP), v. 23, p. 1-20, 2005.

(em anexo)

Resumo do texto Gostar de Música/AnaMatte

 

MATTE, Ana Cristina Fricke. Sementes de Educação Aberta e Cultura Livre.

MATTE, Ana Cristina Fricke. Sementes de Educação Aberta e Cultura Livre. Coleção Texto Livre: Pensemeando o mundo. Pedro & João Editores: São Carlos, 2018. Disponível em https://ebookspedroejoaoeditores.files.wordpress.com/2019/03/livroanaebook.pdf. Acesso em 05 de agosto de 2019..

Livro publicado em versão impressa e digital. A versão digital, em PDF e gratuita, pode ser baixada na página da editora, conforme o endereço acima, ou na página da coleção: http://textolivre.org/arquivos/colecaoTextoLivre/

COMENTÁRIO DA AUTORA: não é um livro de Semiótica teórica, mas de Semiótica Aplicada. O público alvo são professores de todas as áreas do conhecimento, de modo que muitos conceitos semióticos ou não foram aprofundados ou receberam uma explicação menos especializada. Destaque para os capítulos 3 a 5.

Sumário
Prefácio.....................................................................................................8
Começo de conversa...............................................................................16
Sobre a coleção.......................................................................................20
PARTE 1: Pensamentos................................................................................26
O que é Texto Livre?...............................................................................28
Capítulo 1.O lápis e o verbo......................................................................... 37
Capítulo 2.Professores rurais........................................................................ 47
Capítulo 3.Análise Semiótica da Sala de Aula no tempo da EAD................55
Capítulo 4.Semiose on-line: construção de sujeitos.....................................99
Capítulo 5.Cyberbullying: a (des)ordem da falácia.................................... 119
Capítulo 6.A identidade do jogador: gamificação na prática ......................151
Capítulo 7.O método Texto Livre: a metodologia do risco .........................175


MATTE, Ana Cristina Fricke. Taxa de elocução, grupo acentual, pausas e fonoestilística: temporalidade na prosa e na poesia com interpretação livre

MATTE, Ana Cristina Fricke. Taxa de elocução, grupo acentual, pausas e fonoestilística: temporalidade na prosa e na poesia com interpretação livre. Estudos Lingüísticos (São Paulo), v. XXXV, p. 276-285, 2006. Disponível em: http://www.gel.hospedagemdesites.ws/estudoslinguisticos/edicoesanteriores/4publica-estudos-2006/sistema06/28.pdf. Acesso em 6 de maio de 2019.

 

Resumo. Neste trabalho investigou-se a relação entre a duração da fala e das pausas silenciosas intra ou entre sentenças, numa discussão metodológica visando sua aplicação nos campos da fonética e, mais especificamente, da fonoestilística. Taxa de Elocução e duração de unidades vogal a vogal são correlacionadas com a duração absoluta e normalizada das pausas silenciosas que delimitam o segmento de texto estudado.

Palavras-chave.Fonética acústica; fonoestilística; modelamento prosódico, taxa de elocução; pausa silenciosa.

MATTE, Ana Cristina Fricke. Tempo fonoestilístico e semi-simbólico: a árvore gerativa da temporalidade

MATTE, Ana Cristina Fricke. Tempo fonoestilístico e semi-simbólico: a árvore gerativa da temporalidade. Estudos Lingüísticos XXXIII, p. 1274-1279, 2004. Disponível em: http://www.gel.hospedagemdesites.ws/estudoslinguisticos/edicoesanteriores/4publica-estudos-2004/4publica-estudos2004-pdfs-comunics/tempo_fonoestilistico.pdf. Acesso em 01/09/2019.

ABSTRACT
In order to support with semiotic information the research in the field of phonostylistics, we propose a formula that allows turning a subjective and emotional information of one verbal text into quantitative information, from one analysis of temporality as a constitutive element of emotion. It gives us coordinates for a graphic that represents the variation of tension in the text sentence by sentence. It supports simultaneously the representation of  prosodic  information,  such  as  speech  rate  in  absolute  values  and,  in  relative  values,  the  deviation  of  the duration of speech segments according to the expected patterns. In this paper we present the linguistic basis for this analysis, from a hierarchy of the sense of temporality to the graphics of the modulation of the deep temporal flow.

(texto em português)

MATTE, Ana Cristina Fricke. Um mergulho simulado nas profundezas do texto

MATTE, Ana Cristina Fricke. Um mergulho simulado nas profundezas do texto. Caderno Seminal Digital, ano 12, n.o 4, vol. 4, 2005, pp. 135-151. Disponível em: http://www.dialogarts.uerj.br/admin/arquivos_seminal/seminal04.pdf. Acesso em 27 de abril de 2019.

 

Introdução:

O presente trabalho tem o objetivo de sugerir uma abordagem prática da semiótica tensiva aplicando-a à análise de uma história infantil, Chapeuzinho Vermelho.

Procurou-se detalhar cada passo da análise a fim de permitir a melhor compreensão da proposta. A semiótica concebe a geração do sentido em três níveis: o fundamental, o narrativo e o discursivo, numa sequência que vai do mais abstrato, simples, geral e profundo ao mais concreto, complexo, específico e superficial. Para ilustrar essa estrutura, gosto muito da metáfora do lago: se o sentido fosse um lago, não poderíamos simplesmente mergulhar nele para conhecer seu equilíbrio; tal tarefa só poderia ser realizada com a observação cuidadosa da superfície, a fim de lá distinguir as cores e ondulações que lhe são próprias daquelas oriundas dos movimentos dos peixes e das diferenças de profundidade. Ou seja, a porta de entrada para o texto é o nível discursivo, o mais imediatamente acessível. O nível fundamental será percebido na análise do discursivo, onde aprendemos a relacionar cores claras e escuras a uma menor ou maior profundidade do lago, apreendendo assim a categoria de base do nível fundamental num mergulho simulado.

MATTE, Ana Cristina Fricke. Uma definição informal de documentação: análise semiótica

MATTE, Ana Cristina Fricke. Uma definição informal de documentação: análise semiótica. Revista Texto Livre: linguagem e tecnologia v. 1, n. 2, 2008. Disponível em: <http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/textolivre/article/view/15). Acesso em 27 de agosto de 2018.

 

Documentação de software é aqui discutida com exemplos do dia a dia e, com base em análises semióticas, indica diferentes tipos de documentação de software e sua importância para o desenvolvimento de software livre. Tem como tema a cultura livre, a aplicação da semiótica na formação de comunidades e a análise de documentos formais.